© 2014 - Todos os Direitos Reservados ao Blog Negócios e Informes. Tecnologia do Blogger.

quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Revendedores de gás fazem protesto na BR-101

(Foto: ABBC Comunicação/Divulgação)
Um protesto foi realizado nesta quarta-feira pela manhã por revendedores de gás, que estacionaram os caminhões na BR-101 Sul, em Jaboatão dos Guararapes. A movimentação contou com cerca de 100 veículos e o objetivo é protestar contra os sete aumentos de gás determinados pela Petrobras, que aconteceram em menos de quatro meses. Eles também são contra a cobrança de uma taxa para entrada no Complexo Industrial Portuário de Suape.


O Porto de Suape informou, por meio de nota, que não é feita cobrança por parte do governo do estado ou do próprio terminal, mas que as taxas são cobradas pelas empresas particulares dos três pátios de triagem para custear os serviços oferecidos pelos espaços. A nota ainda informou que os custos da tarifa de triagem são de responsabilidade do dono da carga ou do tomador de serviço, de acordo com Lei Federal.


Como resposta, o Sindicato dos Revendedores de Gás Liquefeito de Petróleo do Estado de Pernambuco (Sinregás/PE) divulgou uma nota solicitando a autorização para todos os veículos destinados ao transporte de gás de cozinha entrar nos terminais de carregamento das respectivas distribuidoras, sem a passagem pelo pátio de triagem.


"Oportuno relembrar que até agosto passado não havia qualquer restrição ao acesso de caminhões às bases de carregamento das distribuidoras, diferentemente do que ocorreu a partir do início da operação dos pátios de triagem, passando a ser uma condicionante a apresentação do comprovante de pagamento, realizado em favor das empresas operadoras dos pátios, para entrada no Porto", informava a nota do Sinregás/PE.


Do Diario de PE

Auxílio: 15 milhões não vão receber todas as parcelas de R$ 300

Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Cerca de 15,4 milhões de pessoas não vão receber todas as quatro parcelas de R$ 300 do auxílio emergencial. É que o chamado auxílio emergencial residual só será liberado depois que o cidadão já tiver recebido todas as cinco parcelas de R$ 600. E muita gente ainda tem pagamentos de R$ 600 previstos para os próximos meses, já que só foi aprovada para receber o auxílio depois de abril.


Presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães confirmou nesta terça-feira (29/09) que os brasileiros que estão recebendo os R$ 600 só vão receber as parcelas de R$ 300 "se der tempo". Isso porque a Medida Provisória (MP) que estendeu o auxílio determina que os R$ 300 só serão pagos após a quinta parcela de R$ 600 e limita os pagamentos a este ano de 2020. Logo, afirma que serão "até" quatro parcelas de R$ 300 até dezembro.


"Você começa a receber o auxílio emergencial extensão quando terminar o recebimento da quinta parcela do auxílio emergencial. Quem recebeu a primeira parcela em abril começa a receber a partir de amanhã porque já recebeu as cinco parcelas do auxílio. Quem estiver recebendo a quinta parcela parcela só começa a receber o auxílio extensão no mês que vem. São cinco parcelas do auxílio emergencial e, a partir do momento que se recebe a quinta parcela, a próxima parcela será o auxílio extensão", explicou Guimarães.


Por conta disso, o governo calcula que 16,3 milhões de pessoas do Bolsa Família e 27 milhões de brasileiros que pediram o auxílio pelo aplicativo ou pelo CadÚnico receberão os R$ 300 a partir deste mês. Isto é, 43,3 milhões dos 67,2 milhões de brasileiros que estão no cadastro do auxílio emergencial. Já o restante só será contemplado pelos R$ 300 a partir dos próximos meses, à medida que vê o auxílio de R$ 600 chegar ao fim.


De acordo com os números apresentados pelo governo, serão mais 8,1 milhões de brasileiros em outubro, mais 5,9 milhões em novembro e mais 1,4 milhão em dezembro. Portanto, são 15,4 milhões de pessoas que vão receber só três, duas ou uma parcela do auxílio emergencial extensão, de acordo com o período de aprovação do seu cadastro. "Quem recebeu em abril a primeira parcela e já recebeu as cinco parcelas do auxílio, são esses que começam a receber agora o auxílio extensão e vão receber as quatro parcelas do auxílio extensão.


Quem recebeu a partir de maio só irá terminar de receber no próximo ciclo, então receberá três parcelas do auxílio extensão. E assim sucessivamente", reforçou Guimarães.


Seguindo a lógica, quem foi aprovado em junho terá acesso a duas parcelas de R$ 300. Quem foi aprovado em julho terá só um pagamento de R$ 300. E quem foi aprovado só agora não deve receber os R$ 300, já que terá pagamentos de R$ 600 até dezembro.


O governo, por sua vez, disse que não considera que essas pessoas serão prejudicadas, recebendo menos que quatro parcelas de R$ 300, por conta da demora na análise dos cadastros do auxílio emergencial. O presidente da Caixa alegou que o governo recebeu um volume muito expressivo de dados no início da pandemia e conseguiu avaliar esse material de forma eficiente. "Tivemos 109,2 mi de adultos se cadastrando para receber o auxílio. Sete em cada 10 adultos se cadastraram no aplicativo", lembrou.


Secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto destacou, por sua vez, que o governo garante que não haverá interrupção no pagamento do auxílio ao longo deste ano de pandemia. "Quando você recebe a quinta parcela do auxílio, no mês subsequente entra recebendo o auxílio de R$ 300 e vai passar a receber os R$ 300, que se estendeu até 31 de dezembro", declarou. Ele explicou ainda que os pagamentos não vão entrar em 2021 pois o auxílio visa atender a população no período de calamidade pública, que vai até 31 de dezembro.


Por: Correio Braziliense

Setembro: Prefeitura de Casinhas divulga datas de pagamento dos servidores

A prefeitura de Casinhas divulgou, nesta quarta-feira (30), o calendário de pagamento do salário dos servidores municipais referente ao mês de Setembro. Os proventos começam a ser pagos a partir de hoje (30) parcialmente. De acordo com nota divulgada pela assessoria de imprensa da prefeitura, "a organização do calendário dar-se seguindo as recomendações da Caixa Econômica Federal, devido à pandemia do novo coronavírus, para que não haja aglomeração de pessoas nas filas dos bancos e/ou casas lotéricas.



Pernambuco: Investimento de R$ 47 milhões beneficia produtores rurais e população em vulnerabilidade

Com investimento de R$ 47,2 milhões, a edição 2020-2021 do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) Federal e do Programa Leite de Todos (PAA Leite) vai beneficiar as duas pontas da cadeia. Se por um lado, adquire a produção dos produtores locais, garantindo uma venda direta, por outro leva esses alimentos para a população em situação de vulnerabilidade social. Em Pernambuco, serão beneficiadas 700 mil pessoas em 134 municípios do estado. O anúncio da iniciativa foi feito nesta terça-feira, no Palácio do Campo das Princesas, com a presença do ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.



Através do PPA Federal, serão investidos R$ 12,89 milhões, recursos para adquirir alimentos de 13.540 trabalhadores rurais. Os produtos serão doados para mais de 700 entidades socioassistenciais de todas as regiões. Já o PAA Leite terá investimento total de R$ 24,3 milhões, sendo R$ 19,5 milhões do Ministério da Cidadania e R$ 4,8 milhões de contrapartida do Governo de Pernambuco. A previsão é comprar 984,37 mil litros de leite por mês, de vaca e de cabra, beneficiando uma média de 32 mil famílias mensalmente.


Ainda serão destinados R$ 10 milhões pelo governo federal para a aquisição de produtos agrícolas de associações e cooperativas agrícolas também destinados à doação a entidades socioassistenciais na modalidade operada pela Conab no estado. "É um olhar importante para a Zona Rural, para o setor produtivo e para quem atua no campo. E um olhar importante também para a questão nutricional da nossa população. Vai ao encontro do que a gente acredita, de fazer parcerias e, ao mesmo tempo, movimentar o setor econômico, principalmente em uma camada social que precisa desse apoio", afirmou.


Para o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, os recursos serão aplicados nesta ponte entre quem produz na agricultura familiar e quem precisa por viver em situação de vulnerabilidade social e alimentar. "O estado tem papel importante no momento que atua na aquisição direta de alimentos e de leite. A compra é feita no CPF do produtor. Além disso, tem o trabalho que a Conab faz, um trabalho diferente porque compra do CNPJ da cooperativa ou da associação que reúne os produtores. É uma cadeia relevante porque vai atrás daquele micro produtor que produz para si e vende uma parcela da sua produção para comprar outros alimentos. Tem um alcance grande e para os dois lados porque beneficia os produtores e mais de 700 mil pessoas com alimentos de qualidade. Eles serão distribuídos para creches, hospitais, instituições de longa permanência, situação vital para este momento de pandemia", ressaltou.

Do Diario de PE


terça-feira, 29 de setembro de 2020

Unicesumar lança promoção “Futuro Premiado”

Aqui, na EAD Unicesumar, você tem VANTAGENS ESPECIAIS para construir o futuro que sempre quis. Preencha o formulário com suas informações e raspe a área em destaque para GANHAR UM DESCONTO IMPERDÍVEL em qualquer graduação da EAD Unicesumar!


Clique no link abaixo e descubra quanto você ganhou de bolsa em um dos cursos da Unicesumar!

https://inscricoes.unicesumar.edu.br/futuropremiado


Mais informações: Polo Unicesumar Surubim – 3634-2340 | Whatsapp: https://wa.me/558189825586 | Av. São Sebastião, 889 – Bairro São Sebastião.


Intenção de consumo tem segunda alta consecutiva em Pernambuco

Imagem: Getty Images/iStockphoto/
AndreaGoldschmidt

A retomada das atividades econômicas em Pernambuco, datas comemorativas, recuperação gradativa dos empregos e injeção de renda com o Auxílio Emergencial e saque do FGTS foram fatores que influenciaram na intenção de consumo dos pernambucanos. Em setembro, o índice de Intenção de Consumo das Famílias (ICF) Pernambucanas apresentou alta pelo segundo mês consecutivo. O indicador passou de 57,8 pontos em agosto para 59,6 pontos no mês seguinte. Ainda assim, o indicador continua na zona de avaliação negativa, abaixo dos 100 pontos, condição iniciada em agosto de 2015. Apesar do avanço na variação mensal, a queda causada pela pandemia do coronavírus foi tão intensa que a recuperação ainda não foi suficiente para alcançar o mesmo patamar do mesmo período do ano passado, quando o índice foi de 80,3 pontos.


A intenção de consumo costuma ser impulsionada em setembro por datas importantes, que incentivam o consumo, principalmente, de alimentação e bebidas. O feriado da Independência foi uma data importante porque caiu na segunda-feira e resultou em um feriadão e marca a abertura da temporada de sol, bastante explorada em Pernambuco. Além disso, também foi realizada a Semana do Brasil, com ofertas em diversas lojas e produtos. Porém, de uma forma geral, o segundo semestre apresenta melhores perspectivas de consumo em relação ao primeiro semestre, que foi bastante afetado com o isolamento social imposto para conter a disseminação do coronavírus.


"Existe um movimento de recuperação desta perda que aconteceu. Acreditamos que o segundo semestre será melhor do que o primeiro. Tem a injeção do auxílio emergencial e do FGTS e ainda existe uma recuperação dos empregos. O saldo positivo foi de quatro mil vagas formais em julho, o primeiro resultado positivo do ano. Agosto teve o dia dos pais, que impulsiona o consumo. Em setembro tem a contratação para o começo da safra da cana e em outubro começa a contratar os temporários de final de ano, com pico em novembro", explica Rafael Ramos, economista da Fecomércio-PE.


Porém, a recuperação não deve ser suficiente para atingir os mesmos resultados do ano passado. "Quando analisa o mesmo período do ano passado, a recuperação ainda é muito baixa. Tivemos quedas significativas em abril e maio, quando o isolamento social foi maior. Agora o período para se recuperar é muito curto", ressalta o economista.


Do Diario de PE

Pernambucano é único brasileiro a conquistar ouro na Olimpíada Internacional de Matemática

Foto: Reprodução/Internet
Pela primeira vez, o Brasil ficou entre os 10 melhores países na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, na sigla inglês). O time, formado por seis jovens de quatro estados, conquistou uma medalha de ouro e cinco de prata. O ouro brasileiro foi conquistado pelo pernambucano Pedro Gomes Cabral, de 17 anos, atualmente aluno de um colégio de Fortaleza/CE. 



Pedro fez 32 pontos para conseguir a medalha e o primeiro lugar no pódio. As medalhas de prata ficaram com Bernardo Peruzzo Trevizan, Francisco Moreira Machado Neto, Gabriel Ribeiro Paiva, Guilherme Zeus Dantas e Moura e Pablo Andrade Carvalho Barros. Com 142 medalhas, o Brasil é o país latino-americano com maior número de premiações na competição.


O pernambucano havia sido medalhista de prata na edição do ano passado da IMO, e Bernardo e Guilherme tinham conquistado o bronze.


A 61ª edição da IMO, que teve 105 países participantes, aconteceria em São Petersburgo, na Rússia, mas foi realizada remotamente devido à pandemia da Covid-19. As provas foram aplicadas em 21 e 22 de setembro, e o resultado foi divulgado no domingo (27).


Os seis, todos estudantes do ensino médio, com idades entre 14 e 19 anos, foram medalhistas da 41ª OBM, a Olimpíada Brasileira de Matemática, passaram por três testes seletivos e um treinamento até a IMO.


O melhor resultado da história do Brasil na competição deixou o País à frente de Japão, Singapura, Alemanha, Canadá, Romênia, França e todos os países nórdicos - referências na competição.


Da Folha de PE

IDEB 2019: ETE Antônio Arruda de Farias alcança melhor nota de Surubim e terceiro lugar da GRE Vale do Capibaribe

O Ministério da Educação divulgou, no dia 15 de setembro, dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) decorrentes da última análise do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), coordenado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A Escola Técnica Antônio Arruda de Farias, em Surubim, no Agreste de Pernambuco, teve o melhor desempenho no município e terceiro lugar da Gerência Regional de Educação Vale do Capibaribe (GRE). Confira a nota publicada nas redes sociais:

"Nossa ETE essa semana foi motivo de orgulho mais uma vez! Saiu o resultado do IDEB de 2019 e nossa escola ficou em primeiro lugar entre as escolas de Surubim! Mais do que isso, nossa equipe conquistou o terceiro lugar (retificando) entre todas as escolas da GRE Vale do Capibaribe com a segunda melhor nota!

Como se não bastasse tanto orgulho, nós não só ficamos em primeiro lugar, como ultrapassamos, e muito, a nossa nota anterior e a meta estabelecida para nós!

Tudo isso é fruto de muito esforço de nossos professores, em especial aos de língua portuguesa e matemática e, claro, dos nossos alunos, que se esforçaram e estudaram muito para esse resultado acontecer!

ETE, trilhando caminhos de sucesso junto de cada um de vocês! Essa conquista é de todos nós!"

Governo chega a consenso sobre financiamento de novo programa social

Foto: Reprodução/ Flickr
De acordo com o senador, que é o futuro relator-geral do Orçamento de 2021, e também relator da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do Pacto Federativo, a solução final foi dada hoje com a utilização de parte dos recursos destinados para o pagamento de precatórios e dos recursos adicionais aprovados para o novo Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica).

O novo programa social constará da PEC Emergencial, que trata da regulamentação dos gatilhos que devem ser acionados no caso de descumprimento do teto de gastos - emenda constitucional que limita o crescimento da despesa à inflação do ano anterior. A expectativa é que o relatório que está sendo preparado por Bittar tenha essas duas PECs. 


“O Brasil tem R$ 55 bilhões para pagar de precatório e vamos usar o limite de 2% da RCL (Receita Corrente Líquida), que é mais ou menos o que já fazem estados e municípios. O que sobrar desses recursos vamos destinar para patrocinar o programa”, afirmou Bittar. Segundo a assessoria do senador, o valor estimado para o novo programa com essa medida gira em torno de R$ 35 bilhões. Esse montante praticamente dobra o orçamento do Bolsa Família previsto na peça orçamentária do ano que vem, de R$ 34,8 bilhões. Até 5% dos novos recursos do Fundeb, que foi ampliado a partir deste ano, também serão destinados ao novo programa.


O governo mal detalhou a medida e ela já está recebendo críticas. "Precatórios também são dívidas trabalhistas e pagamento de fornecedores. Isso é calote de dívida", criticou o economista e professor da Universidade de Brasília (UnB), José Luis Oreiro. "Limitar pagamento de precatórios é eufemismo para dizer que se empurrará com a barriga um pedaço relevante dessas despesas (obrigatórias). Não se cancelou um centavo de gasto. Quanto a usar 5% do Fundeb, é preocupante, pois pode representar bypass no teto de gastos", criticou o diretor-executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI), Felipe Salto, em rede social.


O senador Marcio Bittar não informou o valor do benefício e destacou que os detalhes da proposta ainda deverão ser definidos nos próximos dias. O novo programa pretende incluir 10 milhões de brasileiros no novo Bolsa Família, porque eles não têm como sobreviver a partir de janeiro quando acabar o auxílio emergencial, que foi prorrogado entre setembro e dezembro com um novo valor, de R$ 300 ao mês, metade do pago anteriormente. "A questão do do Renda Cidadã será apresentada na PEC Emergencial", frisou Bittar.


O presidente Jair Bolsonaro participou do pronunciamento de Bittar com os líderes da base governista e com ministros. Eles saíram rapidamente para comentar sobre a reunião, iniciada às 11h, e retornarem para continuar o encontro. Ele teve alta no fim de semana após cirurgia para retirada de pedra na bexiga realizada na sexta-feira (25), em São Paulo.


Os líderes do governo tentaram passar uma mensagem ao mercado de que respeitarão o teto de gastos. O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder do Governo no Senado Federal, o senador Eduardo Gomes (MDB/TO), líder do governo no Congresso Nacional e o deputado Ricardo Barros (PP/PR), líder do governo na Câmara dos Deputados, fizeram questão de afirmar que o Renda Cidadã vai respeitar os limites do teto de gastos. Eles também frisaram que não houve consenso sobre a reforma tributária e fizeram questão de afirmar que não será aprovado aumento de carga tributária e, em seguida, o ministro da Economia Paulo Guedes, reforçou a intenção de uma "substituição tributária" não descartou um novo imposto para a desoneração da folha.

Por: Correio Braziliense

segunda-feira, 28 de setembro de 2020

Empréstimos às famílias cresce 4,5% em agosto, puxado por financiamento imobiliário

Foto: Paullo Allmeida/Arquivo
Folha de Pernambuco

Os bancos emprestaram 4,5% a mais para as famílias em agosto, com relação a julho, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (28) pelo Banco Central. O crescimento foi puxado pelos financiamentos imobiliários, que aumentaram 11% no período. 


Com a taxa básica de juros (Selic) no menor patamar da história, a 2% ao ano, o apetite por empréstimos para aquisição da casa própria aumentou.


As empresas, no entanto, tiveram redução de 1,7% nos empréstimos no mês. Com a desaceleração financiamentos pelo Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), as concessões na rubrica Outros, que engloba a linha de crédito na tabela divulgada pelo BC, caiu 8,1% em agosto.


Em julho, a rubrica tinha apresentado alta de 397,4% e, segundo o BC, o Pronampe respondeu pela maior parte desse aumento. Assim, as concessões totais de crédito somaram R$ 343 bilhões em agosto, alta de 1,9% em relação ao mês anterior.


A variação foi registrada na série com ajuste sazonal, que retira peculiaridades do período, como número de dias úteis a mais ou a menos, para facilitar a comparação. Agosto que teve dois dias úteis a menos que julho, por exemplo.

No acumulado do ano, em relação ao mesmo período de 2019, as concessões cresceram 5,6%, com alta de 14,2% para empresas e queda de 1,6% para as famílias.


O estoque de crédito alcançou R$3,7 trilhões em agosto, aumento de 1,9% no mês. Em doze meses, o crescimento da carteira total foi de 12,1%. A taxa média de juros das operações contratadas em agosto foi de 18,7% ao ano, queda de 0,5 ponto percentual no mês e de 6,1 pontos em 12 meses.


Com isso, o spread -diferença entre a taxa que os bancos pagam para captar recursos e a taxa cobrada em empréstimos- ficou em 15 pontos, redução de 0,5 ponto no mês e de 4,4 pontos no acumulado dos últimos 12 meses.

Por Folhapress

A ociosidade da economia e a taxa de juros

O Banco Central (BC) divulgou o Relatório Trimestral de Inflação, onde apresentou suas projeções dos principais indicadores da economia brasileira. A inflação deve ficar em 2,1% ao final de 2020, abaixo do piso da meta; e, abaixo de 3,0% ao final de 2021. Este cenário contradiz o recente pico de inflação, principalmente de alimentos, itens de higiene e material de construção, consequência da redução do isolamento social, demanda externa aquecida e retomada forte com o Auxílio Emergencial.


O que chama mais atenção é a situação econômica atual. Segundo o BC, a ociosidade da economia brasileira está muito grande. O hiato do PIB, a diferença entre o PIB efetivo, medido pelo IBGE, e o seu potencial aumentou consideravelmente com a pandemia. Desta forma, mesmo que o consumo se expanda consideravelmente, não trará uma força inflacionária expressiva, pois a capacidade instalada das indústrias, principalmente, poderá atender a elevações do consumo.


Este fato induz a uma continuada política de taxa de juros básicos da econômica (Selic) em níveis muito baixos, e os atuais 2% ao ano deverão continuar por um período ainda mais longo. A indicação é que permaneça neste patamar até o início de 2022, quando este estímulo deverá começar a ser retirado. Quem poderia prever um período tão longo com juros tão baixos? A repercussão disso no consumo, nos investimentos e no setor produtivo são enormes.

Do Diario de PE (Por Ecio Costa). Foto: Divulgação / Reprodução Internet

Confiança da indústria atinge maior nível desde janeiro de 2013

Foto: Miguel Ângelo / CNI
O Índice de Confiança da Indústria, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), cresceu 8 pontos na passagem de agosto para setembro deste ano. Com o resultado, o indicador chegou a 106,7 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos, o maior nível desde janeiro de 2013, quando também registrou 106,7 pontos.


Dezoito dos 19 segmentos industriais pesquisados registraram aumento da confiança de agosto para setembro.


O Índice da Situação Atual, que mede a confiança dos empresários no momento presente, cresceu 9,5 pontos e chegou a 107,3 pontos. Já o Índice de Expectativas, que mede a confiança no futuro, subiu 6,3 pontos e atingiu 105,9 pontos.


“Na opinião dos empresários, a demanda estaria satisfatória, o nível de estoques está confortável e haveria expectativa de aumento de produção e do quadro de pessoal no curtíssimo prazo. Esse resultado sugere que o pior da crise já foi superado e que o setor teria fôlego para continuar a apresentar resultados positivos no próximo trimestre”, afirma a economista da FGV Renata de Mello Franco.


Há no entanto, uma preocupação do setor com relação aos próximos seis meses. “Uma cautela possivelmente motivada pela incerteza com relação aos rumos da economia após a retirada dos programas emergenciais do governo”, diz Renata de Mello Franco.

Por: Agência Brasil

Prefeitura instala serviço do Posto de Atendimento Virtual da Receita Federal em Casinhas

A Prefeitura de Casinhas, no Agreste de Pernambuco, inaugurou na última quinta-feira (24) a instalação do serviço do Posto de Atendimento Virtual (PAV), na sede da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos. O PAV surge, como parceria da Prefeitura com a Receita Federal, com objetivo de aumentar a capacidade de atendimento local da RFB por meio das novas possibilidades de atendimento a distância. 


A administração pública do município já fez seleção dos servidores que passaram por processo de capacitação e estão à disposição do órgão para atender a população. A sede da Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos fica localizada na Rua Severino Augusto de Miranda, s/n, Centro, de segunda a quinta-feira de 8h às 12 h. 





Veja abaixo os serviços que serão ofertados no Ponto de Atendimento Virtual da Receita Federal, em Casinhas:

Fotos: Divulgação/Reprodução


domingo, 27 de setembro de 2020

Governo de Pernambuco publica protocolos para retomada de eventos sociais e culturais

Foto: STR / AFP
O Governo de Pernambuco publicou no Diário Oficial do Estado, neste sábado (26), três portarias que detalham os novos protocolos para a retomada dos eventos sociais e culturais, autorizados a partir da nona etapa do Plano de Convivência das Atividades Econômicas com a Covid-19. A partir de segunda-feira (28), os municípios das Gerências Regionais de Saúde (Geres) 1, 2, 3, 4 e 12 passarão a poder realizar eventos com limite máximo de público de até 100 pessoas ou 30% de ocupação do espaço. Será possível, ainda, reabrir cinemas e teatros sob a adoção de medidas preventivas.


Caso os níveis de contágio continuem sob controle após o período de duas semanas, essas cinco Geres poderão ampliar a capacidade máxima permitida em eventos para 300 pessoas. As regras para evitar o contágio e disseminação do novo coronavírus são divididas em distanciamento social, higiene, monitoramento e comunicação.


Eventos sociais

De acordo com o protocolo, são classificados como eventos sociais festas de aniversário, casamentos, batizados, formaturas e similares. A limite máximo permitido por espaço é de 100 pessoas ou 30% da capacidade do ambiente, o que for menor, exclusivamente em casas de eventos, hotéis ou ambientes preparados para essa finalidade. Caso seja fornecido serviço de alimentação no evento, devem ser seguidas as normas e orientações do Protocolo do Setor de Alimentação.


O documento exige, ainda, que a organização dos eventos facilite a entrada e saída dos participantes ampliando, se possível, o número de acessos; oriente a utilização preferencial de escadas para acesso ou no caso de uso de elevador ser necessário, respeitar a limitação de distanciamento definida para o equipamento; mantenha o distanciamento de 1,5m entre as pessoas dentro do espaço de eventos; estabeleça como 10 o número máximo de pessoas por mesa.


Além disso, garantir o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre clientes de mesas diferentes; avaliar a redução do número de trabalhadores envolvidos no processo de separação do produto, higienização e entrega a cada cliente, no sentido de manter o distanciamento de 1,5m; revisar as rotinas de recebimento de mercadorias e limitar o contato pessoal onde as mercadorias são recebidas ou manipuladas; e minimizar trabalhos que requerem proximidade pessoal entre trabalhadores.


Quanto à higiene, o protocolo cobra o uso obrigatório de máscara de todos os funcionários, participantes e prestadores de serviço durante todo o evento, salvo o momento destinado à alimentação e consumo de bebidas, quando deverão estar sentados em cadeiras ou bancos, ou seja, não podendo estar neste momento circulando no ambiente. Além disso, o reforço da limpeza e da desinfecção das superfícies mais tocadas (mesas, balcões, teclados, maçanetas, botões, etc.) e banheiros a cada duas horas, a disponibilização de álcool gel 70% aos funcionários e clientes em todos os pontos de entrada e de atendimento.


Em relação à comunicação e monitoramento, a empresa contratada para a realização do evento deve dar ciência aos contratantes, aos funcionários e aos prestadores de serviço sobre as novas normas e protocolos de segurança regulamentados pelas autoridades sanitárias para produção e realização do evento no espaço. A empresa deve, ainda, assumir as responsabilidades cabíveis em caso de descumprimento das determinações vigentes, além de colocar, em local visível, sinalização indicativa de número máximo de pessoas permitido para garantir o distanciamento social nos ambientes. Deve também utilizar intensivamente os meios de comunicação disponíveis para informar aos clientes sobre as medidas adotadas de higiene e precaução, e utilizar todos os meios de mídia interna, assim como as redes sociais, para divulgar as campanhas e informações sobre a prevenção do contágio. Será preciso, ainda, promover o acompanhamento diário da sintomatologia dos trabalhadores.


A empresa deve também esclarecer para todos os funcionários e prestadores os protocolos a serem seguidos em caso de suspeita ou confirmação de Covid-19 e instituir mecanismos e procedimentos para que os funcionários, clientes e prestadores possam reportar se estiverem com sintomas de gripe ou similares ao da doença. Orientar funcionários e prestadores que apresentarem sintomas gripais sugestivos de Covid-19 a fazerem o teste e a permanecerem afastados até sair o resultado. Caso o resultado for positivo, o tempo de afastamento mínimo será de 10 dias, e pelo menos 3 dias sem nenhum sintoma; Será necessário também orientar os trabalhadores que apresentarem sintomas gripais, e os seus contatos domiciliares, a acessarem o aplicativo “Atende em Casa”.


Cinemas, teatros e circos

Assim como definido para eventos sociais, o protocolo autoriza as sessões de cinema, teatro e circo a acontecer com até 100 pessoas e 30% da capacidade de lugares, o que for menor. Não será permitido consumir alimentos ou bebidas dentro dos espaços da sessão, não podendo ser retirada a máscara dentro do auditório ou sala de exibição.


As exigências de distanciamento social são similares às estabelecidas para eventos sociais, com acréscimo dos seguintes pontos: Na venda, limitar a capacidade das salas de exibição, auditórios e arquibancadas, de forma que os lugares vendidos garantam o distanciamento mínimo de um lugar ou cadeira vaga entre os clientes; membros de uma mesma unidade familiar podem ficar sentados juntos, desde que seja mantido um lugar vago entre outras pessoas ou outras unidades familiares; suspensão de ações promocionais que promovam a aglomeração de pessoas; é recomendado aos guichês de atendimento ao público e nos pontos de coleta ter anteparos de vidro ou acrílico para proteção das pessoas.


Em relação à higiene, as medidas também se assemelham às para eventos sociais. Detalhes mais específicos do segmento foram determinados para o melhor funcionamento dos espaços. São eles: aumentar o intervalo entre sessões para garantir a higienização adequada das salas, auditórios e arquibancadas; e após o término de cada sessão fazer a higienização e sanitização das poltronas, bancos, corrimãos, puxadores de portas ou qualquer outra superfície de contato.


As medidas preventivas de comunicação e monitoramento são as mesmas determinadas para os eventos sociais.


Eventos culturais

Assim como os demais espaços liberados nessa etapa, os serviços de eventos culturais estarão autorizados a acontecer com até 100 pessoas e 30% da capacidade do ambiente, o que for menor, exclusivamente em ambientes preparados para essa finalidade, não sendo permitido nessa fase o uso de espaços públicos. Caso seja fornecida alimentação no evento, devem ser seguidas as normas e orientações do Protocolo do Setor de Alimentação. 


Em relação ao distanciamento social, as determinações são parecidas com as exigidas para a liberação de eventos sociais, tendo como detalhes mais específicos para o segmento: manter o distanciamento de 1,5m entre as pessoas nas filas de acesso do evento; abrir a entrada do público ao evento com antecedência para reduzir a quantidade de pessoas simultaneamente nas filas; organizar a saída do evento, escalonando por grupos de participantes (ex: por fileiras de cadeiras, se em auditórios) ou organizando as pessoas por meio de filas, evitando qualquer tipo de aglomeração e garantindo o distanciamento de 1,5m entre as pessoas;


Além disso, a suspensão de ações de divulgação com personagens, panfletagem e fotos em painéis e revisar as rotinas de recebimento de mercadorias e limitar o contato pessoal onde as mercadorias são recebidas ou manipuladas. 


Quanto às medidas de higiene, serão exigidas basicamente as mesmas que as determinadas para o funcionamento de eventos sociais. Assim como o setor de comunicação e monitoramento, que tem poucas exigências a mais, como a necessidade da empresa colocar, em local visível, sinalização indicativa de número máximo de pessoas permitido para garantir o distanciamento social nos ambientes. Para continuar lendo, clique AQUI!

sábado, 26 de setembro de 2020

Intenção de consumo das famílias volta a crescer após cinco quedas

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A Intenção de Consumo das Famílias, medida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), aumentou 1,3% em setembro, após cinco quedas consecutivas, e subiu a 67,6 pontos.


Mesmo com a alta, o índice registrou o pior desempenho para um mês de setembro desde o início da série histórica, em janeiro de 2010. Além disso, no comparativo anual, houve recuo de 26,9% - a sexta retração seguida nesta base comparativa. O indicador está abaixo do nível de satisfação (100 pontos) desde abril de 2015.


Para o presidente da CNC, José Roberto Tadros, a flexibilização do funcionamento dos estabelecimentos comerciais tem ajudado na recuperação do consumo dos brasileiros. “As famílias têm se revelado mais satisfeitas diante das novas regras de abertura do comércio, mesmo que o momento atual ainda exija cautela”, disse, em nota, Tadros.


Retração de renda

O único indicador relativo ao momento atual que apresentou retração foi o relacionado à renda (-1,1%). O item acumulou a sexta queda seguida e caiu a 76,5 pontos – o menor patamar da série histórica.


“A renda continua sendo um fator sensível para as famílias, mesmo tendo melhora nas percepções em relação ao mercado de trabalho, que se tornaram menos negativas”, afirmou Catarina Carneiro da Silva, economista da CNC responsável pelo estudo.


O subíndice que mede a satisfação dos consumidores com relação ao emprego voltou a registrar crescimento (+0,3%), após cinco quedas seguidas, e fechou o mês como o item de pontuação mais elevada (85,7 pontos).


Em relação às condições de consumo, o subíndice consumo atual voltou a apresentar crescimento ( 1,6%), após cinco quedas consecutivas, chegando a 50,7 pontos. O item acesso ao crédito seguiu o mesmo caminho, registrando aumento mensal de 0,8% – depois de quatro recuos seguidos – e atingindo 81,1 pontos.


Com relação à perspectiva de consumo, houve leve retração mensal (-0,1%), o que, segundo Catarina, “mostra que, apesar da melhora na percepção de consumo atual, as famílias continuam seletivas com sua renda”.

Por: Agência Brasil

Arena de Pernambuco sedia eventos em formato drive-in neste fim de semana

A Arena de Pernambuco, equipamento gerido pelo Governo do Estado, terá programação cheia para este fim de semana, com foco voltado para os eventos religiosos. Com uma vasta estrutura de estacionamento, o complexo multiuso aproveita o espaço para receber atrações no modelo drive-In, em que os espectadores acompanham o show de dentro do carro.

“É muito bom ver a adesão do público de nosso Estado às alternativas oferecidas pela Arena de Pernambuco. Dois eventos no modelo drive-In ocupam o complexo do Governo do Estado neste fim de semana, respeitando todas as normas de segurança sanitária, para atender com conforto os fiéis”, comenta o secretário de Turismo e Lazer de Pernambuco, Rodrigo Novaes.

No sábado, Padre Damião Silva convida, a partir das 16h, os cantores Josildo Sá, Cristina Amaral e Dudu do Acordeon para o Louvor Drive-In. Essa será a primeira edição do evento, que terá a renda revertida para o projeto Natal Sertanejo. Os ingressos custam R$ 50,00 por carro e podem ser adquiridos na loja Empório HD ou através do site da Sympla pelo link: https://www.sympla.com.br/louvor-drive-in__959155.

Já no domingo, será a vez do Abração Drive In, evento criado pela Catedral da Trindade em comemoração ao aniversário de Dom Paulo Garcia, arcebispo e Primaz da Igreja Episcopal Carismática do Brasil (IECB). O evento acontece a partir das 17h e contará com apresentação do grupo Trazendo a Arca. As entradas (por carro com quatro pessoas) são vendidas por R$ 80,00 + dois quilos de alimentos não perecíveis na plataforma Ingresso Prime, através do link: https://www.ingressoprime.com/abracao-drive-in-episcopal-trindade

Devido à realização dos eventos na área externa do equipamento, especialmente neste sábado e domingo, as atividades físicas e de lazer estarão bloqueadas no local, retornando normalmente no fim de semana seguinte.

Do Governo de PE

Agências da Caixa não abrem neste sábado (26)

Foto registrada antes da pandemia do Covid-19!
Diferentemente das últimas três semanas, as agências da Caixa Econômica Federal não abrirão neste sábado (26) para saques do auxílio emergencial e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). As retiradas serão retomadas ao longo dos próximos dias, num calendário escalonado de pagamentos.


Em relação ao auxílio emergencial, cerca de 1,9 milhão de inscritos no Bolsa Família, com o Número de Inscrição Social (NIS) de final 8, poderão sacar o benefício na próxima segunda-feira (28). Os cerca de 19 milhões de beneficiários do Bolsa Família recebem o auxílio emergencial nos dez últimos dias úteis de cada mês.


Para os demais beneficiários, a Caixa depositará, ao longo da próxima semana, mais uma parcela do auxílio emergencial para nascidos em outubro, novembro e dezembro. Na segunda-feira (28), o crédito será feito para cerca de 7,8 milhões de pessoas nascidas em outubro e novembro. Na quarta-feira (30), será a vez de 3,8 milhões de beneficiários nascidos em dezembro receberem o depósito.


O dinheiro será creditado na conta poupança digital e só poderá ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de boletos, compras em sites comerciais com cartão de débito virtual ou compras com QR code (versão avançada de código de barras que pode ser fotografada com a câmera do celular) em estabelecimentos parceiros. Para continuar lendo, clique AQUI!

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Prefeitura distribui kits de merenda escolar para famílias de alunos da rede municipal em Casinhas

A Prefeitura de Casinhas, através da Secretaria Municipal de Educação, inicia nesta sexta-feira (25) a distribuição de kits de merenda escolar, para as famílias de alunos da rede pública municipal. A secretaria elaborou um calendário de distribuição, atendendo as orientações do Ministério da Saúde com relação aos cuidados necessários para a realização da entrega dos kits da merenda escolar. Os demais calendários foram enviados aos Diretores das Escolas.



e-Saúde: CDL Surubim lança Certificado Digital para profissionais de saúde

Como forma de agradecimento aos profissionais da área de saúde, em especial no período de pandemia, o SPC Brasil lançou o produto Certificado Digital e-Saúde, com preço super acessível. A CDL Surubim e o SPC Brasil acreditam que a colaboração é fundamental e fará toda a diferença para a sociedade.


Quem pode adquirir o e-Saúde do SPC Brasil?

De acordo com a resolução 287 de 08 de outubro de 1998, os profissionais das categorias abaixo podem emitir o e-Saúde:


Assistentes Sociais; Biólogos; Biomédicos; Profissionais de Educação Física; Enfermeiros; Farmacêuticos; Fisioterapeutas; Fonoaudiólogos; Médicos; Médicos Veterinários; Nutricionistas; Odontólogos; Psicólogos; Terapeutas Ocupacionais (necessário comprovar credenciamento no respectivo Conselho de Classe).


Saiba mais:


O Certificado Digital e-Saúde do SPC Brasil é a identidade digital de profissionais da saúde que buscam mais segurança e agilidade no dia a dia. Com ele, o profissional otimiza a rotina no ambiente hospitalar criando prontuários eletrônicos, receitas, atestados e laudos com valor legal, sem precisar acumular papéis.


Reduza burocracia e otimize seu tempo. Aproveite as condições especiais que a CDL Surubim preparou. Mantenha contato através dos fones (81) 3634.1608 / 3634.1607, ou através do WhatsAPP (81) 9 9236.3897. Adquira já o seu, profissional da área de saúde!



Pedidos de seguro-desemprego caem 9,3% na primeira metade de setembro

Depois de dispararem nos últimos meses por causa da pandemia do novo coronavírus, os pedidos de seguro-desemprego de trabalhadores com carteira assinada continuam a cair. Nos 15 primeiros dias do mês, o total de pedidos recuou 9,3% em relação ao mesmo período do ano passado.


Desde o início de junho, o indicador está em queda. Na primeira metade de setembro, 218.679 benefícios de seguro-desemprego foram requeridos, contra 241.102 pedidos registrados nos mesmos dias de 2019. Ao todo, 62,9% dos benefícios foram pedidos pela internet na primeira quinzena do mês, contra apenas 2,8% no mesmo período de 2019.


O levantamento foi divulgado nesta quinta (24) pela Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia, e considera os atendimentos presenciais – nas unidades do Sistema Nacional de Emprego (Sine) e das Superintendências Regionais do Trabalho – e os requerimentos virtuais.


Acumulado

Apesar da queda na primeira quinzena de setembro, os pedidos de seguro-desemprego continuam em alta no acumulado do ano, tendo somado 5.203.736, de 2 janeiro a 15 de setembro de 2020. O total representa aumento de 6,7% em relação ao acumulado no mesmo período do ano passado, que foi de 4.876.556.


No acumulado do ano, 55,9% dos requerimentos de seguro-desemprego (2.909.114) foram pedidos pela internet, pelo portal.gov.br e pelo aplicativo da carteira de trabalho digital; 44,1% dos benefícios (2.294.622) foram pedidos presencialmente. No mesmo período do ano passado, 98,4% dos requerimentos (4.796.231) tinham sido feitos nos postos do Sine e nas superintendências regionais e apenas 1,6% (80.325) tinha sido solicitado pela internet.


Embora os requerimentos possam ser feitos de forma 100% digital e sem espera para a concessão do benefício, o Ministério da Economia informou que os dados indicam que muitos trabalhadores aguardaram a reabertura dos postos do Sine, administrados pelos estados e pelos municípios, para darem entrada nos pedidos. O empregado demitido ou que pediu demissão tem até 120 dias depois da baixa na carteira de trabalho para dar entrada no seguro-desemprego.


Perfil

Em relação ao perfil dos requerentes do seguro-desemprego na primeira quinzena de setembro, a maioria é do sexo masculino (59,9%). A faixa etária com maior número de solicitantes está entre 30 e 39 anos (33,4%) e, quanto à escolaridade, 59,4% têm ensino médio completo. Em relação aos setores econômicos, os serviços representaram 43% dos requerimentos, seguido pelo comércio (26,3%), pela indústria (14,9%) e pela construção (9,6%).


Os estados com o maior número de pedidos foram São Paulo (65.358), Minas Gerais (24.129) e Rio de Janeiro (17.420) e os que tiveram maior proporção de requerimentos via web foram Acre (96,4%), Sergipe (87,1%) e Tocantins (85,7%).


Da Agência Brasil / Foto: Divulgação


quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Sesc retoma aulas de natação em Surubim

Foto: Divulgação / Reprodução

Unidade adotou protocolo de segurança para garantir a saúde dos alunos. Inscrições abertas no Ponto de Atendimento  


O Sesc Ler Surubim está retomando as aulas de natação, paralisadas devido a pandemia do novo coronavírus. As matrículas para as novas turmas podem ser feitas no Ponto de atendimento da unidade, localizada na Rua Frei Ibiapina, s/n, no bairro São José. A mensalidade custa R$ 46, mas os trabalhadores do comércio e seus dependentes que possuem o Cartão do Sesc têm desconto e pagam R$ 23. A faixa etária é dos 15 aos 59 anos.


As aulas serão nas terças e quintas, em dois horários: às 18h ou às 19h. Para evitar a propagação do novo coronavírus, a unidade adotou um protocolo de segurança sanitária com medição da temperatura corporal na chegada dos alunos à unidade, uso de máscara durante a permanência na unidade (exceto quando estiverem dentro da piscina), uso do álcool em gel para higienizar mãos e objetos pessoais e raias individuais, entre outras medidas.


“Além da natação, vamos retomar as aulas de hidroginástica no mês de outubro e assim, aos poucos, voltar aos poucos ao normal com nossas atividades esportivas”, explica Daniela Liano, professora de atividades esportivas e recreativas do Sesc Ler Surubim.

Da Assessoria

Desemprego cresce pelo quarto mês seguido em Pernambuco

(Foto: Gabriel Melo/Arquivo DP)
Se o cenário de antes da pandemia do coronavírus na economia pernambucana era de uma lenta recuperação, o isolamento social voltou a agravar o panorama. O desemprego cresceu pelo quarto mês consecutivo em Pernambuco alcançando 15,3% em agosto, segundo a PNAD Covid, divulgada pelo IBGE. O índice foi de 13,5% em julho, 12,6% em junho e 10,5% em maio. O resultado de Pernambuco em agosto também ficou acima da média nacional, que foi de 13,6%. No estado, no mês passado, 574 mil pessoas estavam desempregadas e buscavam ativamente por um emprego, mas não encontraram. A variação chega a 50,2% em relação a maio, primeiro mês do levantamento, quando eram 382 mil pessoas na mesma situação.


Os números se agravaram por conta da pandemia e da paralisação das atividades econômicas, que estão sendo retomadas gradualmente em Pernambuco. "Alguns setores ainda estão parados, como o de serviços, que gera muito emprego. Parques aquáticos, circos, setor de recepções, por exemplo, ainda não voltaram. E são segmentos que aquecem outros que não fazem parte da cadeia. Isso tem um impacto grande na geração de emprego no estado", afirmou Alberes Lopes, secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco.


Já o número de pessoas ocupadas, por outro lado, apresentou crescimento em Pernambuco, passando de 3 milhões e 153 mil em julho para 3 milhões e 177 mil pessoas em agosto, subindo em 24 mil trabalhadores. Ainda no mês passado foi registrada uma retração na população fora da força de trabalho, que é o grupo que não estava nem trabalhando e nem procurando por emprego, mas que gostaria de trabalhar e não procurou uma vaga por conta da pandemia ou por falta de oportunidade. Em agosto, era 1 milhão de pessoas contra 1 milhão e 219 mil pessoas em julho.


Também apresentou queda o número de pessoas ocupadas e afastadas do trabalho por conta do distanciamento social pelo quarto mês seguido no estado. O recuo foi de 45,6% na variação mensal, já que em julho eram 313 mil e em agosto eram 170 mil. Da população ocupada e não afastada do trabalho, 9,5% trabalharam de forma remota no mês passado, contra 10,7% em julho. Entre as pessoas ocupadas e afastadas, 69 mil deixaram de receber remuneração em agosto, contra 620 mil em maio.


Desde maio, é a primeira vez que a pesquisa revela um leve recuo no número de domicílios pernambucanos em que pelo menos um dos moradores recebeu auxílio emergencial. Foram 56,4% em agosto contra 57,9% em julho. Em números absolutos, 1 milhão e 732 mil lares receberam o benefício no mês passado. O valor médio recebido foi de R$ 912 em agosto contra R$ 932 em julho. Já a taxa de informalidade no estado saiu de 40,7% em julho para 41,7% em agosto, chegando a 1 milhão e 326 mil trabalhadores, 42 mil pessoas a mais.

Do Diario de PE

Estudo do BC mostra que população usou auxílio emergencial para consumo

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O Banco Central trouxe, no relatório de inflação divulgado nesta quinta-feira (24), um estudo que avalia o impacto do auxílio emergencial, pago pelo governo àqueles que perderam renda com a pandemia do novo coronavírus, no consumo.


A pesquisa mostrou que grande parte dos valores recebidos foram utilizados pela população para fazer compras. Segundo o BC, a simulação sugere que apenas uma pequena parcela do benefício foi destinada à poupança.


"A análise sugere que o auxílio emergencial ajudou a sustentar o consumo durante os primeiros meses de impacto da pandemia. [...] Nesse caso, o fim do programa pode contribuir para a desaceleração do consumo das famílias, ainda que de forma temporária", diz o texto.


O levantamento mediu o impacto do auxílio emergencial sobre o consumo a partir das compras com cartão de débito. Para fazer a simulação, o BC mediu a importância do auxílio por município e o aumento das vendas entre abril e julho, na comparação com janeiro e fevereiro.


"Observamos municípios com diferentes níveis de renda, o auxílio é mais expressivo em alguns, é como se o município fizesse o papel de uma pessoa [na simulação]. Naqueles mais dependentes, pudemos medir se o consumo aumentou com o auxílio. Vimos que grande parte do auxílio foi consumido", explicou o diretor de política econômica do BC, Fábio Kanczuk.


Na simulação da autoridade monetária, o auxílio emergencial teria contribuído em 10,3 pontos percentuais o consumo no período, que cresceu 0,3%.


Pelo modelo, a média obtida foi de 0,83 ponto percentual. Isso significa que em uma cidade em que o auxílio emergencial representa 1 ponto a mais em sua renda, a população comprou 0,83 pontos a mais que um município similar com menor dependência do socorro do governo.


De acordo com o documento, no entanto, o benefício é mais relevante em municípios com maior proporção de trabalhadores informais -que tiveram mais prejuízos com a pandemia.


Assim, sem a renda do trabalho no modelo estatístico, o resultado poderia ser afetado.


"Por outro lado, a variação das compras com cartão de débito pode não representar adequadamente a variação do consumo das famílias no momento. Por exemplo, nota-se que o cronograma do auxílio incentiva o aumento do uso desse meio de pagamento ao permitir compras com cartão de débito antes da liberação para saque ou transferência bancária, o que pode implicar em viés para cima", ponderou o estudo.


Além disso, segundo o BC, outros fatores podem influenciar o movimento do consumo, como outras medidas emergenciais (antecipação do 13º salário a aposentados e pensionistas, adiamento de impostos e outros) e a possibilidade de que as pessoas tenham ido às compras em municípios vizinhos.

Por FolhaPress

Incanti Interiores oferta vagas de emprego em Surubim

Imagem: Divulgação/Reprodução

Em Surubim, a Incanti Interiores está ofertando vagas de emprego. As funções serão para Vendedoras, Designer de Interiores e Montadores de Móveis. Interessados (a), devem entregar os currículos na loja matriz, que fica localizada na Av. Agamenon Magalhães, 62, Centro. Fones: (81) 3634-2951 / (81) 9.9863-7453 (WhatsAPP). 


Confira a Nota divulgada nas redes sociais:

"Nosso time de campeões se prepara para receber novos integrantes. Você pode ser um deles! Venha viver a experiência Incanti."


Da Redação (Negócios & Informes)

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Federação de Bancos alerta para aumento de fraudes durante a pandemia

Levantamento da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) mostrou o crescimento de tentativas de fraudes financeiras contra os brasileiros durante a pandemia de covid-19. Neste período, as instituições registraram aumento de 80% nas tentativas de ataques de phishing – que se inicia por meio de recebimento de emails que carregam vírus ou links e que direcionam o usuário a sites falsos.

O golpe do falso motoboy, em que é oferecido o serviço para recolher o cartão na casa da pessoa, teve aumento de 65% durante o período de isolamento social. Já os golpes do falso funcionário e falsas centrais telefônica cresceram 70%. Além disso, mensagens com ofertas atrativas, clonagem de contas de WhatsApp e avisos para que as pessoas recadastrem urgentemente seus dados junto a uma instituição são algumas das situações usadas para os golpes.

Segundo a Febraban, no período da quarentena houve ainda alta de 60% em tentativas de golpes financeiros contra idosos, o que resultou em uma campanha de alerta com o apoio da Secretaria Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, vinculada ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e do Banco Central.

“Queremos contribuir para o desenvolvimento de uma cultura de prevenção a fraudes e do uso seguro dos canais digitais no país”, disse Isaac Sidney, presidente da Febraban.

Segundo ele, os bancos investem cerca de R$ 2 bilhões por ano em sistemas de tecnologia da informação (TI) voltados para segurança, que corresponde a cerca de 10% dos gastos totais do setor com TI, com o objetivo de garantir a tranquilidade dos clientes em suas transações financeiras cotidianas.

Alerta

O diretor da Comissão Executiva de Prevenção a Fraudes da Febraban, Adriano Volpini, alerta que os dados pessoais do cliente jamais são solicitados ativamente pelas instituições financeiras e que, caso haja dúvida, o consumidor deve procurar seu banco para ter esclarecimentos.

“Seja pelo telefone, por e-mail, pelas mídias sociais, SMS, o fraudador solicita dados pessoais do cliente, como números de cartões e senhas, em troca de algo, ou ainda induz o usuário a ter medo de alguma situação”, disse Volpini.

Segundo a federação, atualmente 70% das fraudes estão vinculadas à engenharia social, que consiste na manipulação psicológica do usuário para que ele forneça informações confidenciais, como senhas e números de cartões para os fraudadores.

Da Agência Brasil (Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)

Pernambuco apresenta melhor cenário econômico do Nordeste

Foto: Oli Scarff/AFP
Pernambuco apresentou uma alta de 1,78% em julho, comparado a julho de 2019, no Índice do Banco Central (IBC-Br), que mede a atividade econômica utilizando como prévia do Produto Interno Bruto (PIB) oficial. O Estado teve o melhor desempenho no Nordeste, e o segundo do Brasil, ficando atrás apenas de Minas Gerais. O número representa um importante papel pernambucano nos indicadores que medem o bem-estar da economia brasileira, e reforça o bom desempenho mesmo durante a pandemia provocada pelo novo coronavírus.  

Quando comparado com o mês de junho, a alta de 2,97% em julho marca o terceiro mês consecutivo de crescimento, reforçando a rota contínua de recuperação do Estado. Além disso, Pernambuco aparece com o melhor cenário do Nordeste no acumulado do ano (janeiro a julho/2020) e nos últimos 12 meses. A pesquisa do Banco Central considera apenas 13 estados do Brasil, sendo 3 do Nordeste: Bahia, Ceará e Pernambuco. 

Segundo a secretária executiva de Políticas de Desenvolvimento Econômico, Maíra Fischer, o número representa a tendência de bom desempenho do Estado, também em outras pesquisas. 

“Foi o terceiro número positivo que a gente teve desses indicadores, mostrando processo de retomada da economia, todas as pesquisas indicam a conjuntura positiva. Isso mostra a expectativa com as contratações, a movimentação do mercado. A expectativa é que continue melhorando, comércio contrate, setores com demandas, como a indústria de confecções, estamos com expectativa positiva”, disse. 

No que diz respeito à Indústria, o Estado apresentou o melhor resultado do Brasil em julho, com alta de 17% ante o mesmo mês de 2019. Segundo a secretária-executiva de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Maíra Fischer. 

No segmento industrial, Maíra aponta que a decisão de manter as empresas operando mesmo durante a pandemia, contribui para esse bom desempenho. “A indústria cresce três meses seguidos, números positivos. Temos um fator positivo de diversidade industrial grande. Quando olhamos para o Nordeste, indústria com grande porte é a que tem mais segmentos diferentes, e faz com que a gente consiga ser referência na distribuição para outros mercados”, afirmou. 

Já no varejo vem apresentando resultados positivos, apesar dos meses fechados pela pandemia. Com o menor impacto do isolamento social imposto pela Covid-19, a taxa média do varejo do Estado cresceu 18,9% em julho, no comparativo com junho deste ano, ficando em segundo lugar no ranking nordestino e em terceira posição do país na Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Da Folha de PE

Acompanhe-nos no Facebook


Publicidade


!

!
!
!

!

!

!

!

!

!
!
!
!
!

!
! !

Você é o Visitante:

Acessos em Tempo Real

Previsão do Tempo em Surubim

Blogs e Sites Parceiros

Curta Nossa FanPage - Muito Obrigado!

Internautas On Line

(81) 9925.8297 // negocioseinformes@gmail.com