© 2014 - Todos os Direitos Reservados ao Blog Negócios e Informes. Tecnologia do Blogger.

terça-feira, 30 de novembro de 2021

Em Pernambuco, taxa de desocupação recua mas segue como a maior do país

Apesar de registrar um recuo em relação ao último trimestre, quando atingiu um patamar de 21,8%, a taxa de desocupação em Pernambuco segue como a maior do Brasil. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada nesta terça-feira (30) pelo IBGE, no 3º trimestre deste ano, 19,3% da população do estado em idade de trabalhar estava desempregada. No Brasil, a taxa é de 12,6%.


“A desocupação caiu em Pernambuco cerca de 2.5 pontos percentuais, foi um dos estados onde mais caiu nesse trimestre, mas nossos números ainda são difíceis", comentou o secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação do estado, Alberes Lopes.


 

Em números absolutos, o resultado significa que em Pernambuco, 806 mil pessoas procuraram emprego entre julho, agosto e setembro e não encontraram. O resultado é igual ao obtido pelo estado no terceiro trimestre do ano passado, quando a taxa de desocupação também ficou em 19,3%. 


Lopes destaca o trabalho que vem sendo realizado pela gestão estadual para reverter o quadro. "Houve uma retomada de operações no estaleiro, temos investido no plano de crescimento da economia, subsidiando a contratação de empregos pelas empresas com o benefício de meio salário mínimo, atraindo novos empreendimentos, qualificando os trabalhadores, mas tudo é um processo que estamos enfrentando, fazendo a roda girar com o carro em andamento. Estamos com muita esperança e, mais do que esperança, estamos trabalhando”, afirmou. 


OCUPAÇÃO

Apesar do elevado índice de desocupação, Pernambuco registrou um aumento no número de pessoas ocupadas, que saiu de 3 milhões e 259 mil pessoas no 2º trimestre deste ano para 3 milhões e 374 mil trabalhadores no 3º trimestre, um aumento de 3,6%. Com relação ao mesmo período de 2020, o avanço na população ocupada, seja formalmente ou informalmente, foi de 13,6%. 


No último trimeste, também subiu o número de empregados do setor privado, com avanço de 7,3%. No entanto, o maior impacto no mercado de trabalho ficou por conta dos trabalhadores sem carteira assinada, que aumentaram 11,3% entre o segundo e o terceiro trimestres de 2021, chegando a 546 mil pessoas. Nesse período, a atividade econômica que mais absorveu esses trabalhadores foi o comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, com aumento de 11,6% no contingente de trabalhadores, passando de 648 mil para 724 mil pessoas.


INFORMALIDADE

A taxa de informalidade no estado também aumentou. Agora, 52,2% da população ocupada no 3º trimestre de 2021 não possui emprego formal, contra 51,2% no trimestre anterior. O percentual equivale a 1 milhão e 760 mil pessoas, o que deixa Pernambuco em oitavo lugar nacional no ranking dos informais. No Brasil, a taxa é de 40,6%.


De acordo com Alberes, uma das explicações para o caso está nos desmontes realizados nacionalmente. "Pouco mais de 95 mil pessoas no estado foram contratadas neste trimestre sem carteira assinada e o número de empregados domésticos sem carteira cresceu 32%. Mas a gente tem que olhar lá atrás, quando houve a reforma trabalhista com o enfraquecimento do Ministério Público do Trabalho, a extinção do Ministério do Trabalho, as demissões no estaleiro e tantos outros desmontes por falta de políticas nacionais", observou. 


RENDIMENTO MÉDIO

O rendimento médio real habitual de todos os trabalhos das pessoas ocupadas em Pernambuco foi de R$ 1.715, o que representa o menor resultado no estado desde 2018. No 2º trimestre de 2021, essa renda havia sido de R$ 1.878. Já no 3º trimestre de 2020, o valor era maior ainda: R$ 1.964. "Essa perda de rendimento foi agravada pelo aumento da inflação nos últimos meses. Além disso, é provável que estejamos trocando empregos com carteira assinada e direitos trabalhistas por trabalho precário", explicou Fernanda Estelita, gerente de planejamento e gestão do IBGE em Pernambuco.  


DESALENTO

A pesquisa também mostrou que o número de pessoas desalentadas chegou a 329 mil pessoas no 3º trimestre de 2021, 15,2% a menos do que no período anterior. Essa parcela que havia desistido de procurar emprego voltou a pressionar o mercado de trabalho local. Por definição, desalentados são aqueles que estão fora da força de trabalho ou que não realizam busca efetiva por trabalho pelas seguintes razões: não conseguir trabalho, ou não ter experiência, ou ser muito jovem ou idosa, ou não encontrou trabalho em sua localidade e que, se tivesse encontrado trabalho, estaria disponível para assumir a vaga.  


A PNAD Contínua também mostra que os trabalhadores subocupados por insuficiência de horas trabalhadas, ou seja, aqueles que trabalham menos horas do que poderiam trabalhar, alcançou 324 mil pessoas, um aumento de 9,3% perante o 2º trimestre deste ano e de 31,2% na comparação com o 3º trimestre de 2020, quando as medidas de distanciamento social eram mais rígidas.


Do Diario de PE / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Primeira parcela do décimo terceiro deve ser paga até hoje

Um dos principais benefícios trabalhistas do país, o décimo terceiro salário tem a primeira parcela paga até hoje (30). A partir de amanhã (1º), o empregado com carteira assinada começará a receber a segunda parcela, que deve ser paga até 20 de dezembro.


Essas datas valem apenas para os trabalhadores na ativa. Por causa da pandemia de covid-19, o décimo terceiro dos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foi antecipado pelo segundo ano seguido. A primeira parcela foi paga entre 25 de maio e 8 de junho. A segunda foi depositada de 24 de junho a 7 de julho.


Quem tem direito

Segundo a Lei 4.090/1962, que criou a gratificação natalina, têm direito ao décimo terceiro aposentados, pensionistas e quem trabalhou com carteira assinada por pelo menos 15 dias. Trabalhadores em licença maternidade e afastados por doença ou por acidente também recebem o benefício.


No caso de demissão sem justa causa, o décimo terceiro deve ser calculado proporcionalmente ao período trabalhado e pago junto com a rescisão. No entanto, o trabalhador perde o benefício se for dispensado com justa causa.


Cálculo proporcional

O décimo terceiro salário só será pago integralmente a quem trabalha há pelo menos um ano na mesma empresa. Quem trabalhou menos tempo receberá proporcionalmente. O cálculo é feito da seguinte forma: a cada mês em que trabalha pelo menos 15 dias, o empregado tem direito a 1/12 (um doze avos) do salário total de dezembro. Dessa forma, o cálculo do décimo terceiro considera como um mês inteiro o prazo de 15 dias trabalhados.


A regra que beneficia o trabalhador o prejudica no caso de excesso de faltas sem justificativa. O mês inteiro será descontado do décimo terceiro se o empregado deixar de trabalhar mais de 15 dias no mês e não justificar a ausência.


Tributação

O trabalhador deve estar atento quanto à tributação do décimo terceiro. Sobre o décimo terceiro, incide tributação de Imposto de Renda, INSS e, no caso do patrão, Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. No entanto, os tributos só são cobrados no pagamento da segunda parcela.


A primeira metade do salário é paga integralmente, sem descontos. A tributação do décimo terceiro é informada num campo especial na declaração anual do Imposto de Renda Pessoa Física.


Pandemia

A situação dos trabalhadores com contrato suspenso ou com jornada reduzida com diminuição proporcional dos salários, porque fecharam acordo durante a segunda onda da pandemia de covid-19, seguiu o modelo do ano passado. Para os contratos com jornada reduzida, o décimo terceiro e as férias devem ser pagos de forma integral.


No caso de suspensão de contratos, o período não trabalhado será descontado do décimo terceiro. No entanto, para manter a harmonia com a legislação, o mês em que o empregado tiver trabalhado 15 dias ou mais será contado como mês inteiro e será pago.


Os critérios para o pagamento do décimo terceiro nessas situações foram definidos por nota técnica do Ministério do Trabalho e Previdência. Embora a nota técnica não tenha força de lei, equivale à interpretação da norma pelo governo e será levada em conta pelos auditores fiscais do trabalho nas fiscalizações das empresas.



Da Agência Brasil / Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil

Brasil registra 253.083 vagas de empregos formais em outubro

O Ministério do Trabalho e Previdência, divulgou nesta terça-feira (30), dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O levantamento mostrou que o Brasil criou 253.083 novas vagas de trabalho com carteira assinada em outubro de 2021. Em 2021 foram criados 2.645.974 novos empregos formais, decorrente de 17.209.495 admissões e de 14.563.521 desligamentos.


Segundo os dados do Caged, as cinco regiões do Brasil mostraram saldos positivos no período, com a criação de vagas. Norte apresentou 8.734, Nordeste 51.455, Sudeste 121.409, Sul 52.938 e Centro-Oeste com 17.544 vagas criadas.


O Valor Data, havia previsto a abertura de 270 mil vagas no mês de outubro, porém mesmo abaixo das projeções, outubro ficou dentro do
intervalo de estimativas, que ia de 206.121 a 310 mil.


Em setembro, o Brasil havia criado 313.902 empregos formais, resultado da admissão de 1.780.161 pessoas e da demissão de outras 1.466.259. 


Desemprego


Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada também nesta terça, pelo Instituto Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a taxa de desocupação no Brasil recuou 1,6% do segundo para o terceiro trimestre este ano, ao atingir a marca de 12,6% nos meses de julho, agosto e setembro.


O levantamento mostra que a quantidade de pessoas que buscam emprego no Brasil também caiu, mas ainda é alto, pois 13,5 milhões estão à procura de emprego. Do outro lado, os ocupados chegaram a 93 milhões, com crescimento de 4% entre um trimestre e outro, sendo que destes 66,4% estavam empregados, 4,1% eram empregadores, 2,1% são trabalhadores familiares auxiliares e 27,4% pessoas que trabalhavam por conta própria.


Por  Correio Braziliense / Por: Correio Braziliense

Empreendedorismo: Surubim inaugura Central de Oportunidades

Na próxima sexta-feira (03), será inaugurada a Central de Oportunidades de Pernambuco (COPE) em Surubim e contará com a presença do Governador Paulo Câmara.



A iniciativa é uma parceria entre o Governo do Estado e a Prefeitura de Surubim, através da Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Econômico do município. 


Este equipamento tem o objetivo de ampliar o atendimento aos surubinenses e disponibiliza diversos serviços que geram fortalecimento da empregabilidade e do empreendedorismo na cidade.


A COPE engloba os atendimentos da Agência do Trabalho, da Junta Comercial de Pernambuco (JUCEPE), do Expresso Empreendedor e da AGE (Agência de Empreendedorismo de Pernambuco), que tem como principal papel coordenar o Programa de Crédito Popular. Todas as atividades serão oferecidas no mesmo local.


Da ASCOM

Adagro reforça importância da vacinação contra aftosa

A Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), autarquia vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), alerta os pecuaristas que o prazo final de vacinação contra febre aftosa termina em 30 de novembro. Na segunda etapa, o objetivo é imunizar 665 mil bovinos e bubalinos de zero a 24 meses, mas até o momento 45% do rebanho pernambucano, nessa faixa-etária, foi imunizado.


Além de vacinar, o produtor tem que declarar 100% do seu rebanho, incluindo os animais que morreram e/ou nasceram. A declaração é obrigatória e deve ser realizada até 15 de dezembro nos escritórios da Adagro ou pela internet, no Sistema de Integração Agropecuária (Siapec 3) que pode ser acessado via aplicativo ou no site www.adagro.pe.gov.br.  


“Lembramos que Pernambuco deve alcançar os 90% de cobertura estabelecidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para manter o status de área livre de aftosa com vacinação. Quem não vacina e não declara paga multa e não pode transitar com seu rebanho”, reforça o presidente da Adagro, Paulo Roberto Lima.


Na primeira etapa da vacinação contra aftosa que ocorreu entre maio e julho, o Estado ultrapassou o percentual registrando 93,66% de cobertura vacinal apesar das restrições causadas pela pandemia da Covid-19.


Da ASCOM

segunda-feira, 29 de novembro de 2021

Vaga disponível para Vendedor em Surubim

O Blog (Negócios & Informes) acaba de receber uma sugestão de pauta sobre uma vaga de emprego, o (a) contratado (a), irá atuar no município de Surubim. A vaga em aberto é para Vendedor. Interessados (a), enviar o currículo para o e mail: mpevagas@gmail.com. Mais informações sobre atribuições para o cargo, requisitos necessários, podem ser adquiridas na imagem abaixo:

CNC: endividamento das famílias atinge maior patamar em quase 12 anos

O percentual de famílias brasileiras com dívidas em atraso ou não chegou a 74,6% em outubro deste ano, maior patamar da série da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), iniciada em janeiro de 2010. Antes de julho deste ano, a parcela nunca havia superado a marca dos 70%.


Desde julho, no entanto, o percentual de endividados no país, que está há 11 meses em alta, supera os 70%. Os dados foram divulgados hoje (29) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).


Em setembro deste ano, o índice havia ficado em 74%. Já em outubro do ano passado, os inadimplentes eram 66,5% das famílias.


Inadimplência

O percentual de inadimplentes, ou seja, famílias que têm contas ou dívidas em atraso, apresentou, em outubro deste ano (25,6%), uma ligeira alta em relação a setembro (25,5%). Houve, no entanto, queda em relação a outubro de 2020 (26,1%).


O percentual de famílias que não terão condições de pagar suas dívidas ou contas caiu para 10,1% em outubro deste ano, abaixo dos 10,3% do mês anterior e dos 11,9% de outubro do ano passado.


A parcela média da renda comprometida com dívidas manteve-se estável em 30,2%. A maior parte das dívidas (84,9%) é com cartão de crédito. Entre os inadimplentes, o tempo médio de atraso na quitação das dívidas é o menor desde março deste ano: 61,4 dias.


Da Agência Brasil / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Mercado financeiro prevê inflação em 10,15% e expansão do PIB em 4,78%

A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerada a inflação oficial do país, subiu de 10,12% para 10,15% neste ano. Essa foi a 34ª elevação consecutiva da projeção. A estimativa está no Boletim Focus de hoje (29), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a expectativa das instituições para os principais indicadores econômicos.



Para 2022, a estimativa de inflação subiu 4,96% para 5%. Para 2023 e 2024, as previsões foram mantidas em 3,42% e 3,10%, respectivamente.



A previsão para 2021 está acima da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior de 5,25%. Para 2022 e 2023, as metas são 3,5% e 3,25%, respectivamente, com o mesmo intervalo de tolerância.


Taxa de juros

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, definida em 7,75% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom). Na última reunião do Copom deste ano, nos dias 7 e 8 de dezembro, a previsão do mercado financeiro é que a Selic suba para 9,25% ao ano.


Para o fim de 2022, a estimativa é de que a taxa básica chegue a 11,25% ao ano. E para 2023 e 2024, a previsão é de Selic em 7,75% ao ano e 7% ao ano, respectivamente.


Da Agência Brasil / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Infarto mata vereador de Frei Miguelinho, Moisés Santos

Morreu na  manhã deste domingo (28), após sofrer um infarto, o vereador de Frei Miguelinho, Moisés Ferreira dos Santos, de 63 anos. Segundo familiares, ele passou mal na casa do sogro, na comunidade de Placas, na zona rural do município, foi socorrido pelo Samu para o Hospital e Maternidade João Alexandre de Oliveira, em Frei Miguelinho e depois transferido para o Hospital Mestre Vitalino, em Caruaru, onde já deu entrada sem vida.


Moisés exercia o quinto mandato no legislativo municipal. Ele era filiado ao partido Avante e foi eleito no último pleito com 542 votos. O parlamentar havia casado pela terceira vez há duas semanas e deixa dois filhos de relacionamentos anteriores.


O velório acontece até a manhã desta segunda-feira (29), na Câmara de Vereadores de Frei Miguelinho. Às 9h, o corpo será levado para a residência dele, no distrito de Lagoa de João Carlos. O sepultamento será às 16h, no Cemitério da localidade.


Do Correio do Agreste

sábado, 27 de novembro de 2021

Taxas cobradas no cartão de crédito alcançam maior patamar desde agosto de 2017

A disparada da inflação está fazendo um estrago grande no orçamento das famílias, cada vez mais endividadas, num cenário em que os custos dos empréstimos não param de subir. Segundo dados do Banco Central, a taxa média do cartão de crédito da pessoa física teve alta pelo quarto mês consecutivo em outubro, com os juros anuais do rotativo alcançando 343,6% ao ano, o maior patamar desde agosto de 2017. O crédito pessoal não consignado subiu 6,2 pontos percentuais, entre setembro e outubro, para 83,6% ao ano, enquanto as taxas dos empréstimos consignados para servidores públicos avançaram para 17,9%. Na contramão, o juro do cheque especial recuou para 128,8%.


“Esses dados mostram a nova realidade de um mercado em que a alta de juros para corrigir a inflação deve ajudar a manter elevado o desemprego estrutural. Essa é uma situação delicada do ponto de vista do orçamento familiar, mas não chega a ser alarmante ainda”, afirmou Fabio Bentes, economista sênior da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).



De acordo com especialistas, os aumentos refletem a elevação da taxa básica da economia (Selic), atualmente em 7,75% ao ano, mas que pode passar para 9,50% na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) de dezembro.


Bentes destacou que, apesar de a inadimplência total para a pessoa física ter ficado estável em 3%, a taxa de calotes no crédito de recursos livres nos empréstimos pessoais voltou a crescer, após dois meses de estabilidade, passando de 4,2% para 4,3%, mesmo patamar de novembro de 2020”. “O ideal seria uma taxa de inadimplência em torno de 2%, mas acho que não vamos conseguir voltar a esse patamar tão cedo devido ao endividamento elevado das famílias”, alertou. Conforme os dados do BC, o endividamento das famílias voltou a crescer em agosto após leve recuo em julho, passando de 59,2% para 59,9% da massa salarial ampliada, novo recorde. “Retirando o financiamento imobiliário, esse percentual ainda está acima de 30%, o que acende um alerta”, destacou Bentes.


De acordo com Miguel Ribeiro de Oliveira, diretor-executivo de Estudos e Pesquisas Econômicas da Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), o aumento dos custos dos empréstimos para o consumidor e para as empresas era esperado, porque reflete um cenário mais instável da economia e a elevação da taxa Selic, que vem ocorrendo desde março. “A Selic é um dos itens que compõem as taxas de juros cobradas pelo mercado. Os bancos estão repassando os custos superiores de captação”, alertou.


O consumidor vai continuar tendo dificuldade para contrair empréstimos, de acordo com Ribeiro. “As condições de crédito estão piorando desde o começo do ano, e os bancos estão sendo mais seletivos, temendo inadimplência”, afirmou. Segundo ele, os consumidores também estão mais receosos, diante do desemprego e do custo de vida elevados.



Para fugir dos empréstimos cada vez mais caros, o comerciário Júnior Salgado, 40 anos, pesquisou as ofertas da Black Friday a fim de antecipar as compras de Natal. Ele diz que prefere pagar as compras à vista e usar o cartão de crédito como último recurso. “Eu e minha mulher ficamos de olho nos presentes desde o início do mês. Quando chega a Black Friday, fazemos a maior parte das compras de fim de ano, fica bem mais barato”, disse.


 Por: Correio Braziliense / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Colabore: "Natal Feliz Um Por Todos" acontece dia 20 de dezembro em Casinhas

Confirmado a terceira edição do projeto "Natal Feliz Um Por Todos", de acordo com uma das idealizadoras Carla Cabral. A campanha acontece na noite de 20 de dezembro com concentração na comunidade do Diogo, onde seguirá em desfile até o Centro de Casinhas. 


"Já estamos em campanha para arrecadar o máximo possível de brinquedos, para que possamos fazer doações às crianças mais carentes do município de Casinhas," destaca Carla. 


Para colaborar com a campanha, ou mais informações, entre em contato através do (81) 9 9948-1433 (WhatsApp).   


Da Redação (Negócios & Informes) Foto: Henrique Silva

sexta-feira, 26 de novembro de 2021

Shopee vai inaugurar seu primeiro Centro de Distribuição no Brasil

O galpão é construído na cidade de Barueri, em São Paulo, que fica a cerca de 30 minutos da capital paulista


Com intuito de concorrer com os gigantes do e-commerce no Brasil, a Shopee está construindo o seu primeiro Centro de Distribuição no país.



O galpão está sendo construído na cidade de Barueri, em São Paulo, que fica a cerca de 30 minutos da capital paulista. As informações são da coluna Capital do O Globo. 



No entanto, não há previsão de quando o galpão ficará pronto. Segundo o gerente de negócios da Shopee Brasil, Felipe Feistler, a empresa quer implementar a solução de fulfillment.



A solução foi criada pela Amazon, que consiste em permitir que os e-commerces armazenem seus produtos diretamente no galpão do site.


Além disso, a Shopee ainda está em ampliação de sua estrutura administrativa no Brasil. Há um ano, a empresa instalou escritório no B32, prédio que fica em um dos endereços mais nobres da Avenida Faria Lima.


O galpão da Shopee chega em um momento que a empresa figura entre os dez e-commerces mais acessados pelos brasileiros. 


Da Folha de PE / Foto: Reprodução/Shopee

CRC-PE investe R$ 15 milhões em nova sede

Com um investimento de R$ 15 milhões, o Conselho Regional de Contabilidade em Pernambuco (CRC-PE) inaugurou sua nova sede nesta quinta-feira. O prédio conta com mais de 2 mil metros quadrados, e servirá como um instrumento de suporte ao profissional contábil de Pernambuco. 


Com 75 anos de atuação, a nova sede do Conselho fica localizada no bairro do Prado, Zona Oeste do Recife, teve uma inauguração consagrada. O diretor executivo da Folha de Pernambuco, Paulo Pugliesi, prestigiou o evento, representando o presidente do Grupo EQM, Eduardo de Queiroz Monteiro.


A cerimônia contou ainda com a presença de ex-presidentes do Conselho, da deputada estadual Priscila Krause, do presidente da Amupe, José Patriota, entre outros. 


Novo espaço


O novo edifício-sede do Conselho conta com 2.338 metros quadrados, cinco pavimentos, auditório com 120 lugares, plenária para 56 pessoas, salas de aula, setor de atendimento ao público, entre outros espaços. 


Segundo a presidente do CRC-PE, Maria Dorgivânia Arraes Barbará, o projeto para o novo prédio levou cerca de 15 anos, e irá beneficiar a profissão contábil. 


Serviço essencial

“É um novo marco. São quase 16 mil profissionais e além dessas paredes devemos ter laços invisíveis contribuindo com a sociedade pernambucana. O conselho tem objetivo de proteger a sociedade, o contador não está sozinho no ambiente social. A profissão contábil é essencial e merece um prédio à altura da sua importância”, disse. 


Para a vice-presidente de desenvolvimento profissional do Conselho, Deborah Barros, o prédio simboliza um trabalho feito a muitas mãos no órgão representativo. “É uma conquista que vem de vários presidentes e inicia um novo capítulo. Vamos ter estrutura para receber os profissionais, com melhores condições, é um troféu que simboliza a luta da classe nesses anos”, declarou. 


Na avaliação do ex-presidente José Eraldo Lúcio, o novo empreendimento representa um ponto de apoio para os profissionais atuantes. “Dezesseis mil profissionais ativos e isso veio de um projeto que durou a compra do terreno, legalização dos projetos, correção de área do terreno, até a conclusão pela administração atual. É o pagamento de uma dívida que a entidade tinha com os profissionais que hoje estão no mercado”, contou.


Para o também ex-presidente do Conselho, José Campos, que marcou presença no evento, o prédio representa um local à altura da classe. “Esse prédio representa muito para a classe contábil pernambucana. Não tínhamos uma sede que nos representasse à altura da importância da contabilidade pernambucana. Com muito esforço, trabalho de presidentes que me antecederam, e a presidente Dorgivânia, estamos entregando para a classe contadora”, afirmou.


Da Folha de PE / Foto: Ed Machado/Folha de Pernambuco

Despesas de brasileiros no exterior crescem 87% em outubro

Mesmo com o dólar caro, os gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 531 milhões em outubro, uma alta de 87% em relação ao registrado no mesmo mês do ano passado, segundo o Banco Central. Foi o maior valor mensal desde o início da pandemia, refletindo, segundo o BC, o avanço da vacinação e a reabertura de fronteiras em muitos países, que fizeram muitas pessoas se sentirem mais seguras para viajar.



No entanto, as despesas dos turistas brasileiros estão longe do patamar pré-pandemia, quando chegaram ao nível de R$ 2 bilhões mensais. De janeiro a outubro deste ano, os gastos dos brasileiros fora do país alcançaram US$ 3,8 bilhões, com queda de 18% frente ao mesmo período de 2020 (US$ 4,7 bilhões). Foi o menor valor para o período desde 2004.


Segundo o BC, os gastos diminuíram por causa das restrições ao fluxo de voos e pessoas entre os países adotadas para combater o novo coronavírus. A desvalorização do real em relação ao dólar também contribuiu para a queda das despesas com viagens.


A pandemia modificou os planos de muitas pessoas. O estudante Bento Lomba, 23 anos, tinha viagem planejada com a família à Alemanha desde o início da pandemia. "A princípio, nós iríamos em julho de 2020, mas com as medidas sanitárias tivemos de adiar", contou.


O embarque foi remarcado para janeiro de 2022, mas, com o real se desvalorizando cada vez mais em relação ao euro, o planejamento ficou mais modesto. "É complicado porque fica difícil comprar uma moeda que está custando quase R$ 7. Os planos do que vamos fazer lá agora são bem mais limitados. Ficaríamos duas semanas na Alemanha, agora mudamos para cinco dias de estadia."


Famílias ricas

O economista da FGV André Braz observou que a Covid-19 afetou de maneira diferente as diversas classes sociais. "Durante a pandemia a parcela dos mais ricos, até juntou dinheiro. Imagine, uma família de classe média alta que não podia ir ao cinema, ao teatro. Os mesmos que mantinha seus filhos em escolas particulares e receberam desconto, devido à prática do ensino a distância. "Essa família juntou dinheiro, pois uma parte do seu orçamento era reservada para essas coisas que foram proibidas durante a pandemia", disse Braz.


Mesmo com o dólar mais valorizado, o economista afirma que essas famílias conseguem gastar. "Essas pessoas estão colocando em dia essa agenda de viagens, mesmo com a quarta onda surgindo em alguns países. Porém construíram uma poupança e decidiram gastar", afirmou.


Flexibilização

O epidemiologista e vice-coordenador da Sala de Situação de Saúde da UnB, Mauro Sanchez, avalia que a volta do fluxo internacional de brasileiros está relacionada com a queda de restrições da entrada de brasileiros. "A volta não é por uma melhora na renda. O brasileiro ficou muito tempo sem viajar, e, agora, com a flexibilização da entrada em uma série de países, as viagens voltaram a se tornar mais freqüentes."


Por: Correio Braziliense / Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Pernambuco anuncia R$ 6 milhões para 5ª edição do programa Força Local

Com um investimento de R$ 6 milhões, R$ 1 milhão a mais do que nos editais anteriores, Pernambuco anunciou a abertura do 5º chamamento público do Programa para o Fortalecimento dos Arranjos Produtivos Locais em Pernambuco - Força Local. Na 5ª edição, 50 projetos serão contemplados e os segmentos de derivados artesanais de cana-de-açúcar e panificação foram incluídos no programa. 


Além disso, os projetos advindos de povos e comunidades tradicionais (PCTs) e projetos com foco em sistemas orgânicos de produção ou com base agroecológica terão pontuações extras na seleção. Como na edição anterior, a pontuação extra para APLs com pelo menos 80% de participação feminina, em conformidade com o projeto Pernambuco com Elas, continua sendo válida.  



A iniciativa direciona investimentos para impulsionar o crescimento dos Arranjos Produtivos Locais (APLs) e outros segmentos econômicos de relevância para os municípios, fortalecendo, assim, as cadeias econômicas do Estado. 


“A Força Local tem como objetivo fortalecer as comunidades e as associações dentro das suas áreas de atuação e dentro dos seus municípios, para que eles possam produzir, gerar emprego, renda e ao mesmo tempo ter condições de viver com tranquilidade nas suas comunidades”, destacou o governador Paulo Câmara. 


As inscrições para a nova edição do programa seguem até o dia 5 de janeiro de 2022 e a divulgação dos resultados será no dia 6 de fevereiro. Os interessados podem conferir o edital e realizar as inscrições no site da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (Adepe): www.addiper.pe.gov.br.  Com o 5º chamamento, os recursos ultrapassaram a meta de R$20 milhões que seriam investidos até o final de 2022 no programa. 



“Em termos de volume de recursos já foi superada, eram R$20 milhões que a gente pensava em fazer até o final do governo Paulo Câmara, até 2022, já estamos em mais de 26 milhões, devemos ultrapassar os R$30 milhões, devemos ter mais dois editais no ano que vem”, explicou Roberto. 


Representando as APLs, Maria do Socorro, presidente da Cooperativa de Beneficiamento de Leite em Lage do Carrapicho (Coobellac), localizada em Alagoinha, no Agreste pernambucano, destacou a importância do programa para o desenvolvimento dos trabalhos dos associados.


"Com o programa Força Local conseguimos os equipamentos para fazermos os produtos. Hoje, trabalhamos com leite de cabra, doce de leite, cocada, queijo, manteiga, queijo coalho e manteiga de garrafa. O programa foi o pontapé para a gente lançar novos, porque a gente tinha necessidade e vontade, mas não tinha condições de comprar os equipamentos. Com todo esse avanço, a gente participou da Agronordeste e nosso doce foi contemplado em primeiro lugar”, explicou Maria do Socorro. 


De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Geraldo Júlio, o programa converge com a promoção do desenvolvimento econômico e social.  


“Tudo isso está em convergência com a missão do Governo de Pernambuco de promover o desenvolvimento econômico e social, integrando a participação de estruturas produtivas de organização social que promovam a economia popular, como as cooperativas e associações. E é nesse tipo de segmento que o investimento público precisa entrar”, destacou o secretário. 


Todo o recurso aportado será destinado à capacitação das equipes das APLs, compra de equipamentos, reforma de espaços e desenvolvimento de negócios. O programa é liderado pela Adepe, vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado. As propostas, que podem estar relacionadas a desenvolvimento econômico e social ou infraestrutura, devem incluir projeto detalhado, plano de trabalho, cronograma de atividades, entre outras especificações. Para continuar lendo, clique AQUI! (Foto: Paullo Allmeida/ Folha de Pernambuco)

Aumento da expectativa de vida não considera efeitos da Covid-19

O aumento da expectativa de vida ao nascer no país em 2020 era de 76,8 anos, uma alta de 2 meses e 26 dias em relação ao ano anterior (76,6 anos). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no entanto, a idade foi estimada caso o país não tivesse passado pela pandemia de covid-19. Portanto, o IBGE não considera a crise de mortalidade provocada pela doença naquele ano.


De acordo com o IBGE, sem considerar os efeitos da covid-19, a expectativa de vida para os homens era de 73,3 anos em 2020. Já para as mulheres, a esperança de vida era de 80,3 anos, no ano.


O IBGE explicou que uma análise do aumento de óbitos acarretado pela pandemia para o Brasil e cada unidade da federação foi feita na publicação das Estatísticas do Registro Civil, na semana passada.


A expectativa de vida é parte da pesquisa chamada Tábuas de Mortalidade, que são calculadas a partir de projeções populacionais, baseadas nos dados dos censos demográficos.


“Após a divulgação dos resultados de cada Censo Demográfico, o IBGE elabora novas tábuas de mortalidade projetadas. As últimas tábuas foram construídas e projetadas a partir dos dados de 2010, ano de realização da última operação censitária no Brasil. Da mesma forma, um novo conjunto de tábuas de mortalidade será elaborado após a publicação dos resultados do Censo 2022, quando o IBGE terá uma estimativa mais precisa da população exposta ao risco de falecer e dos óbitos observados na última década”, informa nota do IBGE.


Da Agência Brasil / Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Natal de Oportunidades: Prefeitura de Surubim abre inscrições para cursos gratuitos

O final de ano está chegando e a Prefeitura de Surubim, através da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos vai oferecer uma leva de oportunidades para você!


Contribuir na qualificação profissional da nossa gente: é assim que o programa Surubim Qualifica vem fazendo. Só este ano já profissionalizou mais de 1.100 pessoas na nossa cidade, com a oferta de diversos cursos, como: eletricista, licor, defumados, corte e costura, bolo de noiva, bolo simples, doces, salgados, manicure, camareira, entre outros.


Se liga nos cursos que serão oferecidos, faça sua inscrição e não perca esta oportunidade!


Para mais informações, entre em contado através do Surubim Qualifica!  📲9 9396-3490

Gerar oportunidade também é cuidar da nossa gente! 


Da ASCOM Surubim

Agreste Setentrional: Caravana da Inovação chega a Surubim

A Caravana da Inovação desembarcou, ontem (24), em Surubim. Uma ação promovida pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação do Governo do Estado (SECTI-PE).


 O evento  aconteceu na Escola Técnica (ETE) e reuniu o secretário estadual Lucas Ramos, a prefeita Ana Célia, alunos, representantes de instituições e sociedade civil, com objetivo de mobilizar a população na discussão e na construção da nova política de Ciência, Tecnologia & Inovação do Estado (CT&I) para o período de 2023 a 2027. 


Neste processo inclui-se a elaboração e validação junto com a sociedade, de propostas  de políticas públicas para a área de tecnologia, que subsidiem o desenvolvimento do Estado, junto à necessidade local, trazendo desenvolvimento tecnológico para o município.


Na ocasião, foram apresentados aos surubinenses as políticas públicas e programas já em andamento no Estado como o Forma.AI (série de projetos de tecnologia), o Proupe (Bolsas de estudo) e o Espaços 4.0, entre outras iniciativas de CTI do Estado.


Da ASCOM Surubim


Saiba como usar o Décimo Terceiro de forma consciente

Com final de ano chegando, grande parte dos brasileiros esperam o momento de desafogo financeiro com o décimo terceiro. Mas, a atenção, principalmente no momento atual, aos gastos não planejados e ao direcionamento do benefício ao consumo de final de ano (festas de natal e ano novo) devem ser destacados. Por isso, a dica é trazer segurança monetária utilizando o décimo de forma consciente com o provisionamento financeiro.

Mas, o que é provisionamento? Antes de tudo, de acordo com o planejador financeiro da Múltiplos Investimentos, João Scognamiglio, é preciso frisar o atual momento em que se encontra a nossa economia. "Estamos passando por um momento de inflação alta, que significa um aumento no preço dos produtos básicos. Sendo assim, salvar um pouco do décimo terceiro para o futuro é uma tarefa muito prudente".


É neste momento que entra o chamado provisionamento financeiro. Segundo João, utilizar o décimo como forma de provisionar gastos futuros pode ser uma oportunidade para evitar as dívidas de início do ano. 

"Muitas famílias utilizam o benefício para comprar presente de Natal no fim do ano. Por outro lado, no início do ano seguinte, é bem comum ver contas que não estavam sendo contabilizadas pelo salário, como IPTU, material escolar, imposto de renda, entre outros. Imagina então a dor de cabeça que é já começar o ano com dívida. Por isso, ter um dinheiro reservado traz segurança para momentos de gastos atípicos", explicou.

Para isso, é importante reavaliar como será o orçamento do seu próximo ano. "Ter uma reserva financeira pode parecer algo difícil de se conseguir, mas os benefícios de saber que há um dinheiro para emergência é tranquilizador. Portanto, por mais tentador que seja utilizar o dinheiro para aquela compra de final de ano, vale reavaliar como será o seu ano de 2022", pontuou o planejador financeiro.



Veja a seguir, dicas sobre como destinar o valor do Décimo Terceiro da melhor forma: 

- Observar possíveis gastos futuros, que podem ser pagos;

- Priorizar gastos como o IPTU, IPVA, matrícula escolar e imposto de renda, que são cobrados no ano seguinte;

- Destinar a quantia para uma reserva financeira, que possa se tornar um investimento;

- Não esperar o dinheiro entrar na conta, já direcionar o seu uso antes mesmo do pagamento;

- Se tiver dívidas, optar por saldar as que estão em atraso a mais tempo;

- Não gastar mais do que vai receber;

- Pagar contas listadas como prioridades, de acordo com planejamento financeiro individual

Da Folha de PE /  Agência Brasil

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

Compesa promove leilão virtual de veículos e materiais com lances a partir de R$ 150

Um leilão virtual de carros e materiais será realizado pela Compesa, na próxima terça-feira (30), com 31 lotes de automóveis, motos, caminhões e diversos itens. 


Entre os lotes, é possível encontrar armários, mesas e conectores de tubulação, que variam entre R$ 150 e R$ 22.500. 

 

O leilão será realizado às 15h, com transmissão ao vivo e recebimento de lances no site oficial do leiloeiro. Para participar, é necessário realizar um cadastro até 48 horas antes da data do evento e enviar a documentação solicitada.



Os veículos e itens poderão ser vistos e examinados pelos interessados até segunda-feira (29), no horário das 08h30 às 11h30 e das 14h às 16h30, mediante agendamento pelo whatsapp: (81) 99432-7547.

 

As vistorias dos veículos ocorrerão em dois pontos: o Depósito Jaboatão, localizado na Rua Azul, 229, bairro de Santo Aleixo, e o Depósito Salgueiro (Lote 4), na Rua Alberto Soares, 663, Nossa Senhora das Graças. 

 

Os materiais poderão ser vistoriados no almoxarifado da Compesa, situado na Avenida Jardim Brasília, s/n, bairro de Peixinhos, em Olinda.

 

De acordo com o edital nº 004/2021, podem participar do leilão pessoas físicas, maiores de 18 anos, ou jurídicas. O cadastro para os interessados está disponível no site.

 

As condições de pagamentos, bem como das transferências documentais, estão no edital do leilão, disponível no site da Aragão Leilões. 


Da Folha de PE / Foto: reprodução

Confiança do consumidor cai e atinge menor nível desde abril

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), recuou 1,4 ponto na passagem de outubro para novembro deste ano. Com o resultado, o indicador chegou a 74,9 pontos, em uma escala de zero a 200 pontos, o menor valor desde abril deste ano (72,5 pontos).


A confiança foi afetada tanto pela piora do Índice da Situação Atual, que avalia o presente, quanto pelo Índice de Expectativas, que avalia o futuro.


O Índice da Situação Atual caiu 2,1 pontos e atingiu 66,9 pontos. Já o Índice de Expectativas recuou 1 ponto, indo para 81,4 pontos.


“Apesar do avanço da vacinação [contra a Covid-19], suas consequências favoráveis na redução de casos e mortes e flexibilização das medidas restritivas, o aumento da incerteza econômica diante de uma inflação elevada, política monetária restritiva e maior endividamento das famílias de baixa renda tornam a situação ainda desconfortável e as perspectivas ainda cheias de ameaças”, explicou a pesquisadora da FGV Viviane Seda Bittencourt.


Por Agência Brasil /  Foto: Tânia Rego/ Agência Brasil

Maioria dos pernambucanos deverá realizar compras durante a Black Friday, aponta Fecomércio

Marcada por descontos e promoções, a Black Friday deste ano será realizada nesta sexta-feira (26). A ação, que teve origem nos Estados Unidos e se espalhou pelo comércio mundial, costuma alavancar as vendas durante o mês de novembro. Em Pernambuco, um levantamento realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Pernambuco (Fecomércio-PE) apontou que 58,2% dos consumidores estão dispostos a realizar alguma compra durante a Black Friday.  Em média, eles pretendem gastar cerca de R$ 1.377,00. 


Com ações que se estendem durante o mês inteiro, o período de promoções passou a ser um marco importante para as empresas. Para o publicitário e professor do Cedepe Business School, Giovanni di Carli, a Black Friday deve ganhar ainda mais força neste ano. “Independente do isolamento social, ela está criando uma cultura de compra planejada. Com a pandemia cresceu o número de pessoas que passaram a comprar online. Com a volta dos serviços físicos, a abrangência da black deve ter um aumento considerável”, afirmou.


De acordo com a ‘Sondagem de Opinião do Black Friday 2021’ da Fecomércio-PE, as compras pela internet serão opção para um conjunto de 59,5% dos consumidores, enquanto o comércio tradicional deve atrair 44,9% dos pernambucanos.


“A tendência da busca pelo comércio eletrônico explica, em parte, o alto percentual de consumidores que pretendem utilizar o cartão de crédito como forma de pagamento neste ano, uma vez que o cartão de crédito é o meio de pagamento mais comum nas compras on-line”, explicou o assessor econômico da Fecomércio-PE, Ademilson Saraiva.


Já a lista de itens a serem procurados na Black Friday pelos pernambucanos é bastante diversificada, com destaque para os produtos de uso pessoal como as roupas e acessórios (38,1%), calçados (17,6%), smartphones e tablets (16,6%) e perfumes e cosméticos (13,7%), e os de uso familiar, como os eletrodomésticos (23,5%), equipamentos de áudio e vídeo (10,9%) e móveis (10,0%).


No comércio tradicional, 72,9% dos estabelecimentos acreditam que as vendas vão aumentar neste ano. Enquanto nos shopping centers, a expectativa de crescimento é compartilhada por 86,8%. A estimativa de variação das vendas para a Black Friday de 2021 é de 14,7% entre os estabelecimentos do comércio tradicional e 15,7% entre os estabelecimentos dos shoppings centers.


Se preparando para o aumento no fluxo de clientes, 17,5% das empresas do varejo pretendem contratar colaboradores temporários para dar suporte às vendas da Black Friday. Nos serviços de alimentação, esse percentual cai para 15%. Nos shoppings, a intenção de contratar temporários ocorre entre 22,1% dos lojistas do varejo e entre 18,4% dos estabelecimentos de alimentação. 


Do Diario de PE.

IBGE faz teste do Censo 2022 em comunidade quilombola

Recenseadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) fazem, nesta quarta-feira (24), um teste do Censo 2022 na comunidade quilombola Campinho da Independência, em Paraty, no sul fluminense. Neste censo, pela primeira vez, o IBGE fará um recorte específico sobre as características demográficas, sociais e econômicas dos quilombolas, de acordo com o instituto.



As comunidades remanescentes de quilombos, agrupamentos formados por escravos que escapavam do cativeiro para se libertar dessa condição, são grupos reconhecidos pela Constituição de 1988 como portadores de direitos territoriais coletivos.


Serão testados protocolos sanitários de segurança, normas de abordagem e o questionário específico para essas populações.


Os testes para o Censo 2022, voltados para a população em geral, começaram em vários municípios brasileiros, nas 27 unidades da Federação, no dia 4 de novembro e se estenderão até meados de dezembro.


O Censo 2022 começa em junho do ano que vem e visitará todos os domicílios do país. 


Por Agência Brasil / Foto: Tânia Rego/ Agência Brasil

Nordeste: atividade turística está quase em níveis de pré-pandemia, aponta o BC

Entre as cinco regiões do país, o Nordeste é a que está registrando crescimento mais acentuado da recuperação na atividade turística e está apenas 0,4% abaixo do nível pré-pandemia, de acordo com um estudo do Banco Central (BC) divulgado nesta terça-feira.


Com um cenário de restrição de viagens internacionais e turismo de negócios ainda retraído, o documento aponta que a região tem se favorecido da alta no lazer interno. Em comparação, o Sudeste ainda está 23,7% abaixo do nível pré-pandemia.



“Informações sobre voos comerciais oriundas da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram melhora mais acentuada no Nordeste, destacando-se os voos para aeroportos fora das capitais e mais próximos a importantes destinos turísticos (Porto Seguro, Ilhéus e Fernando de Noronha)”, aponta o estudo.


O setor turístico sofreu muito durante a pandemia com a necessidade de distanciamento social e começou a se recuperar no segundo trimestre de 2021, mas com características diferentes.


O documento aponta que houve uma recuperação mais acentuada na rede hoteleira de cidades com até 250 mil habitantes em todas as regiões.


“Esse fato é compatível com a hipótese de que as pessoas têm procurado destinos com atrações em espaços abertos, como praias em cidades menores, e ainda evitam aqueles com atividades em ambientes fechados ou aglomerados”, diz o documento.



Segundo o BC, o crescimento do setor visto nos últimos meses deve continuar em linha com o avanço da vacinação com “impactos relevantes” no nível de emprego. No Nordeste, o impacto é ainda mais significativo porque há uma maior participação do turismo no emprego formal.


Outro estudo do Banco Central divulgado nesta terça-feira aponta que o turismo pode ter impulsionado a recuperação do consumo de serviços no Nordeste, que foi a mais rápida entre as regiões.


Além do turismo, o Auxílio Emergencial pago durante o ano auxiliou na manutenção de renda da região e pode ter ajudado no consumo.


"A recuperação ao longo do restante do ano foi mais intensa no Nordeste, refletindo possivelmente a maior importância relativa do Auxílio Emergencial (AE) na manutenção da renda das famílias da região", disse o estudo. 


Por Agência O Globo / Foto: Secom e Setur Ipojuca


Brasil tem a 4ª pior taxa de desemprego em ranking com 44 países

Impulsionada pela crise econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus, a taxa de desemprego no Brasil é a quarta maior de uma lista das 44 principais economias do mundo. O dado é de um estudo realizado pela agência de classificação de risco Austin Rating. Segundo o levantamento, o país supera em mais de duas vezes a média mundial no índice. A taxa de brasileiros sem trabalho é ainda a mais alta entre os integrantes do G20 (grupo que reúne os 19 países mais ricos do mundo e a União Europeia).


Dos países que compõem o G20, apenas três ainda não divulgaram números os oficiais de desemprego no terceiro trimestre: África do Sul, Arábia Saudita e Argentina. O índice de desocupação laboral no Brasil caiu para 13,2% no trimestre encerrado em agosto, atingindo 13,7 milhões de trabalhadores, segundo a última pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Antes da chegada da Covid-19, a taxa estava abaixo de 12%, mas elevou-se para 14,7% no primeiro trimestre deste ano.



O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê que o Brasil feche 2021 com uma taxa de desemprego de 13,8%. Isso coloca a economia brasileira na 14ª pior posição no mercado mundial de mercado de trabalho.


Na avaliação do economista e sociólogo Vinícius do Carmo, o Brasil não está conseguindo acompanhar o crescimento do restante do planeta. "Em comparação com outros países, temos uma recuperação bem mais lenta. Perdemos até se formos comparados a outros emergentes. A nossa economia é pouco diversificada e pouco conectada globalmente. Isso nos leva a um beco: sem incentivo estatal, não há caminho de retomada. Por outro lado, o governo não teve competência para balancear sua parte fiscal, ficando com capacidade de investimento quase nula mesmo furando o teto", observa.


Desesperança

 

Há três anos buscando um emprego com carteira assinada, Cícera dos Santos, 33 anos, mantém as duas filhas com as diárias de faxineira. Moradora da região administrativa do Sol Nascente, a renda da casa é composta pelo trabalho informal e com a aposentadoria da mãe.


Ela relata a rotina exaustiva na procura por uma vaga no mercado de trabalho formal. São dezenas de currículos entregues e muitos "nãos". "Meu último emprego foi em maio deste ano e, desde então, faço faxina para completar a renda. Chego a enviar até 50 currículos por dia", afirma.


A falta de acesso à internet também é um empecilho na procura por emprego. Para Cícera, a crise sanitária agravou ainda mais a situação pessoal. "Já não estava fácil antes da pandemia, ficou pior depois", lastima.


Também moradora do Sol Nascente, Simone Bento Silva, 46, vende espetinhos na rua para compor a renda de casa. Ela procura emprego com carteira registrada há cinco anos e se sente cada vez mais desmotivada.


"Vejo muita dificuldade, principalmente por causa da minha idade", lamenta. Simone acredita que não há igualdade na oferta de vagas e lembra de uma concorrente mais jovem que foi selecionada em um processo de preenchimento de função.


"Ela foi contratada, mas eu, não", diz, desolada.


Do Correio Braziliense / Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

terça-feira, 23 de novembro de 2021

Surubim abre inscrições gratuitas para curso de camareira de hotel

A Prefeitura de Surubim está com inscrições abertas para o curso gratuito de Camareira de Hotel / Pousada. As camareiras fazem parte da área de governança e são responsáveis pela arrumação, limpeza e higienização dos quartos e áreas comuns do hotel, provendo o bem-estar dos hóspedes em suas acomodações.

Os interessados devem fazer a inscrição na Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, situada na Rua Severino Clemente, 374. Mais informações podem ser obtidas através do número (81) 9 7344-9583. 



Covid-19: Surubim ultrapassa 50% da população com esquema vacinal completo

De acordo com os dados mais recentes da vacinação contra a Covid-19, divulgados nesta quinta-feira (18) pela Prefeitura, Surubim está com 54% da população com o esquema vacinal completo, ou seja,  com as duas doses do imunizante (35.026) ou a dose única (586). Até agora, ainda segundo a Prefeitura, 3.821 pessoas já tomaram a terceira dose, também conhecida como dose de reforço.


A vacina está disponível para a faixa etária a partir dos 12 anos. Desde o início da imunização, 88.267 doses já foram aplicadas no município. A população de Surubim, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de 65.647 habitantes.


Em relação ao número de casos de Covid-19, a divulgação que antes era diária, agora passou a ser esporádica. O último boletim foi publicado no dia 8 de novembro e trazia a informação de 21 pessoas em tratamento naquela data, 93 óbitos e um total de 4.767 casos confirmados desde o início da pandemia. Certamente esse quadro mudou entre a divulgação do boletim e a publicação desta matéria. Ficaremos no aguardo de dados atualizados.


Do Correio do Agreste

Acompanhe-nos no Facebook


Publicidade


!

!
!
!

!

!

!

!

!

!
!
!
!
!

!
! !

Você é o Visitante:

Acessos em Tempo Real

Previsão do Tempo em Surubim

Blogs e Sites Parceiros

Arquivo do blog

Curta Nossa FanPage - Muito Obrigado!

Internautas On Line

(81) 9925.8297 // negocioseinformes@gmail.com