© 2014 - Todos os Direitos Reservados ao Blog Negócios e Informes. Tecnologia do Blogger.

terça-feira, 19 de junho de 2018

Saques do PIS/Pasep colocarão R$ 34,3 bilhões na economia

Saque do PISFoto: José Cruz / Agência Brasil
Brasileiros com mais de 57 anos, que são titulares de contasinativas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), poderão sacar esses recursos a partir desta segunda-feira (18).

Entre os dias 14 e 28 de setembro, a autorização será ampliada para todas as idades, diferentemente do que ocorria até então, quando o saque total só podia ser feito quando o trabalhadorcompletasse 70 anos, se aposentasse, tivesse doença grave ou invalidez ou fosse herdeiro de titular da conta. Para saber se tem direito ao benefício, o trabalhador pode acessar os sites www.caixa.gov.br/cotaspis e www.bb.com.br/pasep.

A mudança da regra ocorreu na última semana, quando o presidente Michel Temer assinou decreto que amplia as possibilidades de saque até o dia 28 de setembro. A estratégia do governo é impulsionar a economia, seguindo o modelo adotado na liberação de saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que representaram cerca de R$ 43 bilhões em movimentação.

Pelas contas do governo, 28,7 milhões de pessoas serão beneficiadas. Em cifras, são R$ 34,3 bilhões disponíveis para saque no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal. Isto porque 3,6 milhões de pessoas já resgataram R$ 5 bilhões em recursos dos dois programas.

Quem tem direito

Tem direito ao saque servidores públicos e pessoas que trabalharam com carteira assinada de 1971, quando o PIS/Pasep foi criado, até 1988. Quem contribuiu após 4 de outubro de 1988 não tem direito ao saque.
Isso ocorre porque a Constituição, promulgada naquele ano, passou a destinar as contribuições do PIS/Pasep das empresas para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), que paga o seguro-desemprego e o abono salarial, e para o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Da Agência Brasil

segunda-feira, 18 de junho de 2018

Empresas adaptam carga horária para a Copa do Mundo

Foto: Gabriel Melo/Esp. DP
Os jogos da Copa do Mundo reacendem não apenas a esperança dos brasileiros, mas também trazem de volta a discussão, no ambiente profissional, sobre dispensa de funcionários para assistir às partidas, compensação de horas e demais liberalidades. Essa edição do Mundial será a primeira após a promulgação da reforma trabalhista, aprovada no ano passado, e o principal impacto será sentido por empresas de grande porte, que poderão fazer negociações com seus funcionários sem intermédio de sindicatos. 

É o que diz o advogado especializado em direito previdenciário Rômulo Saraiva. "Houve esse empoderamento por parte dos empregadores (através da prevalência do negociado sobre o legislado). Algumas questões podem ser resolvidas diretamente sem que qualquer entidade sindical participe do processo", explica. Segundo ele, no caso de empresas que precisem manter alguns departamentos em funcionamento, a negociação acontecerá de maneira mais tranquila.

Em âmbito geral, o advogado ressalta que a legislação trabalhista brasileira não trata de maneira específica sobre a Copa do Mundo, ficando a cargo de cada empresa as regras a serem adotadas durante os dias de jogos. "Existem aquelas em que as atividades são suspensas apenas durante as partidas e outras que trabalham meio-expediente", diz, ressaltando que tudo passa pelo diálogo e negociação entre patrão e empregado. Confira a matéria completa clicando no link: AQUI

domingo, 17 de junho de 2018

Rota de Aprovação | Em Surubim, inscrições abertas para preparatório do Concurso da PM de PE

Foto: Divulgação-Reprodução
Estão publicados os editais do concurso da Polícia Militar de Pernambuco (PM PE) 2018. O certame foi publicado no Diário Oficial do dia 08 de junho. Aos interessados, uma oportunidade imperdível:  Em Surubim, estão abertas as inscrições para o preparatório do Concurso da PM de Pernambuco.

A Rota de Aprovação disponibiliza: excelente equipe de professores; material de apoio incluso; resolução de provas anteriores; excelente estrutura física com salas climatizadas;

Conteúdos abordados:

Conhecimento de Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, História, Direito e Garantia Fundamentais.

Mais informações, podem ser adquiridas na Rua Estácio Coimbra, 179, Centro - Surubim, ou através dos fones (81) 9 9607.8655 / 9 9920.1005. | www.facebook.com/rotadeaprovacao/ | www.instagram.com/rotadeaprovacao/





Após três meses de queda, atividade econômica cresce 0,46% em abril

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade
econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões
sobre a  taxa básica de juros, a Selic.
Foto: Reprodução/Internet
Depois de três meses de queda, a atividade econômica registrou crescimento em abril. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), dessazonalizado (ajustado para o período), apresentou crescimento de 0,46%, de acordo com dados divulgados hoje (15).

Na comparação com o mesmo mês de 2017 (sem ajuste para o período), houve crescimento de 3,7%. No ano, a expansão chegou a 1,55%. Em 12 meses, o crescimento ficou em 1,52%. De acordo com os dados revisados, houve queda de 0,67%, janeiro, de 0,04%, em fevereiro e de 0,51%, em março.

O IBC-Br é uma forma de avaliar a evolução da atividade econômica brasileira e ajuda o BC a tomar suas decisões sobre a taxa básica de juros, a Selic.

O índice incorpora informações sobre o nível de atividade dos três setores da economia: indústria, comércio e serviços e agropecuária, além do volume de impostos.

O indicador foi criado pelo BC para tentar antecipar, por aproximação, a evolução da atividade econômica. Mas o indicador oficial é o Produto Interno Bruto (PIB – a soma de todas as riquezas produzidas no país), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Por: Agência Brasil

60 milhões de brasileiros devem ter gastos relacionados à Copa do Mundo, mostra levantamento do SPC Brasil e CNDL

(Foto: Divulgação-Reprodução)
Jogos do mundial devem movimentar cerca de R$ 20,3 bilhões no comércio e setor de serviços no Brasil. Supermercados, lojas de rua e camelôs serão os principais locais de compra. Para 41% dos torcedores, são altas as chances de o Brasil ser hexa

Faltando poucos dias para a estreia da seleção brasileira nos gramados da Rússia, a Copa do Mundo começa a despertar o interesse dos brasileiros. Uma pesquisa realizada em todas as capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) projeta que aproximadamente 60 milhões de consumidores devem realizar gastos com produtos ou serviços relacionados à Copa do Mundo. O dado corresponde a 51% dos consumidores que acompanharão aos jogos do campeonato. Os que não devem consumir produtos ligados à Copa formam 25% dos torcedores entrevistados.

Entre os que devem gastar para acompanhar as partidas, o consumo de alimentos na casa de amigos ou parentes (91%) e de bebidas na comemoração dos jogos (87%) serão os mais comuns. No caso das comidas, os tira-gostos (56%), itens para churrasco (49%), pipocas (37%) e salgados (31%) se posicionam entre os primeiros do ranking. Já para as bebidas, a preferência é por cerveja (74%), refrigerantes (72%) e água (69%).

De acordo com a pesquisa, outros tipos de engajamento que devem fazer o torcedor brasileiro desembolsar durante a Copa do Mundo são idas a bares e restaurantes para assistir as transmissões dos jogos (62%), compras de camisetas, uniformes e itens da seleção (61%), decoração verde e amarela (54%) e compra de acessórios, como bonés, maquiagem, cornetas e vuvuzelas (48%). Há ainda 46% de consumidores que vão participar de bolões, 38% que irão adquirir serviços de dados de internet para smartphone e 21% que compraram ou planejam adquirir uma TV nova para assistir as partidas.

Por outro lado, 50% pretendem evitar fazer algum tipo de compra durante o período em que o mundial será disputado, principalmente para poder acompanhar aos jogos pela TV (38%).

“Para o comércio e o setor de serviços, a Copa do Mundo vai além da competição em campo. O torneio representa um ótimo momento para incrementar as vendas de artigos de vestuário, eletroeletrônicos, alimentos, bebidas, decoração, entre outros itens, sobretudo em um momento de tímida recuperação econômica como o atual. Mesmo quem não acompanha futebol no dia a dia acaba se contagiando com a atmosfera proporcionada pela Copa, que é mais do que um evento esportivo. É um grande acontecimento geopolítico, cultural e também econômico”, analisa o presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior.

Copa deve injetar 20,3 bilhões no comércio e serviços; supermercados e loja de rua são as preferidas para adquirir itens ligados ao mundial

Para os torcedores que vão se reunir na própria casa (81%) ou na casa de amigos e parentes (44%) para assistir aos jogos da Copa, a média de gasto por encontro gira em torno de R$ 119, ao passo que, entre os que pretendem ir a bares ou restaurantes (22%), a média aumenta para pouco mais de R$ 128. De modo geral, o evento esportivo tem um potencial de movimentar aproximadamente R$ 20,3 bilhões na economia brasileira, considerando os setores de comércio e serviços.

Ao escolher um bar ou restaurante para assistir aos jogos da Copa, os torcedores priorizam, principalmente, o preço acessível das bebidas (35%), a qualidade do que é servido (30%), a preferência dos amigos ou familiares (27%) e o tamanho do telão em que os jogos serão exibidos (27%). “Historicamente, sabe-se que há uma tradição, entre os torcedores brasileiros, de acompanhar as partidas em espaços públicos ou privados que favoreçam o encontro e a convivência entre os torcedores, sejam bares, praças ou outros locais. Para os empresários desse segmento, é uma grande oportunidade para oferecer uma experiência diferenciada”, afirma o presidente Roque Pellizzaro Junior.

De acordo com a pesquisa, os locais de compras que mais devem ser frequentados para aquisição dos produtos ligados à Copa são supermercados (68%), lojas de rua (35%) e camelôs (28%). Os preços (58%) e as promoções (51%) serão os fatores mais levados em conta pelos consumidores antes de entrarem no estabelecimento.

Assim como costuma acontecer em outros eventos esportivos, é grande a chance de que produtos falsificados estejam à venda no Brasil durante os jogos. Sobre esse tema, a pesquisa revela que 34% dos potenciais compradores estão propensos a comprar apenas produtos oficiais, enquanto 64% pensam que a escolha depende do tipo de produto e 1% declaram abertamente a intenção de adquirir produtos falsificados. Entre os que cogitam comprar um item pirateado, mais de um terço (34%) argumenta não ter condições financeiras, enquanto 22% não se importam com a origem do produto e 15% compram o que for mais barato. Em contrapartida, dentre os que pretendem comprar produtos oficiais, a maioria (55%) considera que a qualidade é a principal vantagem.

Maioria vai pagar despesas da Copa à vista, mas 37% não farão um planejamento financeiro

De acordo com a pesquisa, a maioria dos torcedores que terão gastos com o mundial vai pagar à vista, seja em dinheiro (68%) ou no cartão de débito (35%). O cartão de crédito também será bastante utilizado, por 25% dos entrevistados em parcela única e por 18% em mais de duas prestações.

Um dado que inspira preocupação é que entre os que terão gastos com o evento, 37% não pretendem analisar as condições do orçamento antes de assumir essas despesas – os que vão estipular um valor fixo para gastar no período somam 63% da amostra. “Embora o ânimo que o evento traz sobre os torcedores os levem a gastar mais com as festividades, é importante que os gastos não fujam ao controle do orçamento, já que o evento passa e ficam as dívidas”, orienta a economista Marcela Kawauti.

17% devem ser liberados durante partidas, enquanto 14% vão acompanhar no local de trabalho; para 41% são altas as chances de o Brasil ser hexa

O interesse natural em acompanhar as partidas do Brasil na Copa do Mundo faz com que em muitas empresas sejam adotados esquemas especiais de bancos de horas, horários alternativos ou dispensas e compensações. De acordo com a pesquisa, em 17% dos casos, a empresa onde o entrevistado trabalha pretende liberar os funcionários durante os jogos da seleção brasileira. Outros 14% garantem ter um horário de trabalho flexível, enquanto o mesmo percentual de 14% informa que os funcionários vão dar uma pausa para assistir aos jogos dentro do próprio ambiente de trabalho. Apenas 6% disseram que os funcionários trabalharão normalmente e sem pausa durante as partidas.

De modo geral, 78% dos consumidores brasileiros pretendem assistir aos jogos da Copa do Mundo e 72% ficam empolgados com a competição, sendo que em alguns casos (10%), esse sentimento atrapalha a concentração em suas tarefas no dia a dia. Apenas 14% dos entrevistados disseram que vão seguir a rotina normalmente durante os jogos da Copa e 7% ainda não sabem. Em cada dez entrevistados, quatro (41%) consideram altas as chances de o Brasil ser hexacampeão, ao passo que 45% classificam a possibilidade como média e apenas 10% avaliam como pequena.

Metodologia

A pesquisa ouviu 1.061 consumidores de ambos os gêneros, todas as classes sociais, acima de 18 anos e em todas as capitais para detectar o percentual de quem vai assistir e acompanhar a Copa do Mundo. Posteriormente, a pesquisa se aprofundou a partir de 843 entrevistados que pretendem acompanhar ao evento. As margens de erro são de 3,0 e 3,4 pontos percentuais, respectivamente, a uma margem de confiança de 95%. Baixa a íntegra da pesquisa em https://www.spcbrasil.org.br/pesquisas

sábado, 16 de junho de 2018

ll Encontro da Indústria impulsiona negócios e atrai players, em evento no RioMar

(Foto: Divulgação-Reprodução)
Entre os dias 19 e 21 de junho, a FIEPE vai reunir 75 empresas dos mais variados setores industriais

Enquanto o País não retoma o crescimento esperado, a recomendação dos especialistas é que o mercado se prepare para quando isso acontecer, e um pontapé inicial pode estar na prospecção de novos negócios. Com esse foco, a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) realizam, entre os dias 19 e 21 de junho, no Shopping RioMar, o ll Encontro da Indústria. A abertura do evento contará com a presença do presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade.

Na ocasião, as indústrias locais terão a oportunidade se de promover junto ao potencial mercado consumidor de olho nos novos negócios. “Queremos fomentar a atividade industrial, fortalecer a cooperação entre as empresas e o público consumidor e, sobretudo, disseminar as novas tecnologias para o segmento”, destacou o gerente de Desenvolvimento Empresarial da FIEPE, Maurício Laranjeira.

A 2ª edição do evento vai contar com exposições de produtos e serviços em estandes destinados às indústrias pernambucanas e instituições. As empresas vão estar reunidas no piso L3, que será dividido em ilhas que contemplem as diversas cadeias produtivas do setor, como Metal Mecânico e Automotivo; Construção Civil; Têxtil, Confecções e Calçados; Alimentos e Bebidas; Químicos e Derivados e Gráfico e Embalagens.

A expectativa é que 2.500 pessoas passem por lá e confiram a exposição dos produtos de 75 empresas, que contarão com o engajamento de mais de 40 indústrias e 19 sindicatos participantes. Para esta edição, empresas como Saint Gobain, Asa, Etical, Vitamassa, Capriche, Tambaú, Imbiribeira Pallets, Zetra, Milet, Fruta Pluss e Rishon são algumas das confirmadas, dentre outras. 

“Esperamos repetir o mesmo sucesso da edição passada, bastante elogiada pelo segmento, por ter estimulado novos negócios”, frisou Laranjeira. Gerar novos negócios, sobretudo no setor industrial, pode ter uma repercussão direta e positiva no Produto Interno Bruto (PIB) do Estado, que chega a ter 20% das suas riquezas geradas pelas indústrias.

Além da exposição de produtos, o ll Encontro da Indústria vai promover palestras e capacitações com foco em segurança e saúde do trabalhador, em educação ambiental para sustentabilidade e em aspectos que busquem desvendar a indústria 4.0 e rodadas de negócios, com um balcão de atendimento internacional, para que as empresas possam conversar com trading companies, operador logístico e despachante aduaneiro, de modo a desenvolver a solução completa de exportação. Já a rodada nacional, vai proporcionar o contato direto entre empresas expositoras e compradores de empresas locais interessadas.

Esta edição conta com patrocínio master do SENAI e do SESI, patrocínio bronze do IEL, da AD DIPER, da Zetra, da Pasi/Millenium, da Caixa Econômica Federal e do Governo Federal e do apoio das empresas EmeCincO/Solutions, Litígio Cobrança e Liber. Sindicatos e Confederação Nacional da Indústria (CNI) darão apoio institucional.

Quem faz a diferença
A 2ª Edição do Encontro da Indústria será marcada também pelo reconhecimento a empresas e a nomes que contribuíram para o setor industrial. Na abertura do evento (19), medalhas pelo Mérito Industrial serão entregues a três empresas, a três empresários do segmento e ao presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade.

Entre as empresas agraciadas estão a Fiat Chrysler Automobiles (FCA), a Rota do Mar e a Curtume Moderno SA. Já entre as personalidades, estão Ayrton Gonçalves Cardoso dos Santos, José Antonio de Lucas Simon e Stênio Galvão, além do presidente da CNI, Robson Braga de Andrade.

SOBRE A FIEPE: Fundada em 1939, pelo industrial Joseph Tourton, a Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), é uma entidade representativa que tem como função promover o processo de desenvolvimento da indústria local, contribuindo para o aperfeiçoamento empresarial e para a melhoria das condições socioeconômicas regionais e nacionais. Composta por uma base sindical integrada por 36 sindicatos de diversos segmentos industriais, a Federação possui além da sede no Recife, três unidades regionais URSA, URSF, URA para dar assistência e promover ações de incentivo à competitividade industrial em todo o Estado. A entidade oferece aos sindicatos associados, serviços como: pesquisas técnicas, apoio jurídico, suporte para exportações e importação, intermediação de convênios internacionais, cursos de capacitação, entre outros.

Da ASCOM

Abertura da terceira edição do Conipe é sucesso de público e participação

Imagens: Divulgação/Reprodução

Promovido pela Unopar Santa Cruz, o evento trouxe palestrantes de renome nacional


A noite de terça-feira (13), em Santa Cruz do Capibaribe, foi marcada pela qualificação profissional e grande presença de público na abertura do III Congresso de Inovação Profissional e Empresarial (Conipe).

Promovido pela Unopar Santa Cruz, o congresso é voltado para as áreas de Educação e Gestão, onde além das palestras magnas, traz também 18 minicursos exclusivos.

Na abertura, dois palestrantes de renome nacional: o Doutor em Ciências da Educação, Max Haetinger; e o Consultor e Especialista em Vendas, Roberto Montanha; que juntos cativaram o público superior a 700 pessoas, entre estudantes e empresários de Santa Cruz e região.

Max Haetinger aborda importância das tecnologias na evolução da Educação
O professor Max foi o primeiro palestrante da noite, onde trouxe, como foco principal, a importância do uso das tecnologias como instrumentos para aprimoramento e evolução do processo educacional.

Max também detalhou vários pensadores contemporâneos da Educação como Paulo Freire e Piaget, que criticavam o método tradicional de educar, apostando no conceito de Educação Horizontal, onde professor e aluno trocam experiências e aprendem juntos, aprimorando o conhecimento.

“A Educação é um processo de grande transformação e é impossível viver em uma sociedade onde a Educação Vertical é pregada. Ela é algo a ser transformado, construído, moldado… Uma experiência em que professor e alunos crescem juntos, gerando e aprimorando o conhecimento” – disse.

Roberto Montanha destaca a necessidade de transformar sonhos em algo extraordinário
Fechando a noite, o consultor Roberto Montanha trouxe a palestra “Os segredos mágicos do sucesso”. O palestrante, juntamente com números de mágica realizados pelo mágico Crispim, destacou a necessidade de se transformar sonhos em algo extraordinário, de modo a ajudar as pessoas e alcançar o sucesso profissional.

Para Montanha, o sucesso não é expresso apenas com dinheiro, mas primeiramente no reconhecimento pelo trabalho realizado.

“Sempre me perguntam: ‘O que é ter sucesso?’. Eu sempre digo que ter sucesso não é, necessariamente, ter muito dinheiro, mas ser reconhecido pelas outras pessoas pelo seu trabalho. O dinheiro é consequência disso. Faça seu melhor, mesmo que você não tenha o melhor a sua disposição e o primeiro passo para se realizar sonhos é acreditar. Acredite!” – frisou.

Minicursos
Nesta quinta-feira seguem os 18 minicursos promovidos no Conipe, sendo estes realizados tanto no Polo Unopar Santa Cruz como na Escola Menino Jesus. Confira mais imagens: 





  




Da ASCOM

sexta-feira, 15 de junho de 2018

Comércio de Surubim terá independência para fechar durante jogos da Copa do Mundo

Foto: Blog Negócios & Informes.
A Câmara de Dirigentes Lojistas de Surubim (CDL) divulgou comunicado na tarde desta sexta-feira, (15), informando que os estabelecimentos comerciais do município têm independência para fechar ou não durante os jogos do Brasil na Copa do Mundo. Confira, na íntegra:

"Comunicado CDL: horário de funcionamento durante os jogos do Brasil na Copa do Mundo

A Câmara de Dirigentes Lojistas de Surubim (CDL Surubim) comunica a todos os associados e comunidade em geral os horários de funcionamento da Entidade durante os jogos do Brasil na Copa do Mundo.

Dia 22/06: das 08h às 09h e das 12h às 18h

Dia 27/06: das 08h às 15h

Os lojistas de Surubim poderão decidir se abrirão ou não seus pontos comerciais nos jogos do Brasil."

Bancos vão abrir por 4h em dias de jogo do Brasil

Quem tem contas a pagar com vencimento em dias de jogos da seleção brasileira durante a Copa não poderá usar as mudanças no horário de funcionamento das agências bancárias como desculpa para deixar de cumprir as obrigações no prazo.

O Banco Central determinou que bancos poderão alterar o horário de atendimento ao público de suas agências em dias de jogos do Brasil, desde que elas sejam mantidas abertas por ao menos quatro horas por dia, ininterruptas ou não.

A mudança é comum durante os períodos da Copa do Mundo de futebol e segue o mesmo padrão adotado pelo BC nos Mundiais de 2014 e 2010. A estreia do Brasil na Copa será contra os suíços no domingo (17), às 15h. As partidas seguintes serão diante da Costa Rica na sexta-feira (22) às 9h e da Sérvia na quarta (27) às 15h.

Quando os jogos da seleção brasileira acontecerem às 9h, as agências funcionarão das 13h às 17h, informou a Federação Brasileira de Bancos (Febraban). Em dias de jogos às 11h, o atendimento será das 8h30 às 10h30 e das 14h às 16h. Com jogos às 15h, o funcionamento vai das 9h às 13h.

Os bancos deverão afixar em suas agências aviso sobre o horário de atendimento nos dias de jogos do Brasil com uma com antecedência mínima de 48 horas, conforme definiu o BC.

Com agências fechadas, a Febraban lembra que o pagamento de contas pode ser realizado por caixas eletrônicos, internet banking, aplicativo do banco no celular (mobile banking) ou por telefone.

Da Folha de PE

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Surubim, Casinhas e João Alfredo vencem o Dia do Desafio; Vertente do Lério perde por diferença de 1%

(Foto: Divulgação-Reprodução)
As cidades de Surubim, Casinhas e João Alfredo venceram a edição 2018 do Dia do Desafio, uma competição mundial entre municípios que visa mobilizar a população contra o sedentarismo.  Realizado sempre na última quarta-feira de maio, este ano, devido aos transtornos provocados pela greve dos caminhoneiros, o evento aconteceu excepcionalmente em junho, no dia 6. Vence a cidade que conseguir envolver a maior parcela da população em no mínimo 15 minutos de exercícios físicos. Os resultados da nossa região divulgados pelo Serviço Social do Comércio (Sesc), que promove a disputa em parceria com as prefeituras, são os seguintes:
(Foto: Divulgação/ Sesc/ Montagem: Correio do Agreste)
Vertente do Lério, disputou com a cidade de São Sebastião da Amoreira, no Paraná e perdeu por uma diferença de 1%. Veja o placar:
(Foto: Divulgação/ Sesc/ Montagem: Correio do Agreste)
Este é o nono ano que os surubinenses participam da disputa e o primeiro que competem com uma cidade brasileira. Nas outras edições, o município concorreu com Pedro Escobedo, (México, 2010), Rafael Freyre (Cuba, 2011), Pojo (Bolívia, 2012), Aserri (Costa Rica, 2013), Cabaiguán (Cuba, 2014) Tajumulco, (Guatemala, 2015), Toa Baja (Porto Rico, 2016) e Funza (Colômbia, 2017). O resultado desfavorável só ocorreu uma vez, em 2014, e por menos de 1% de diferença.

Já Casinhas, conquista a terceira vitória na competição derrotando Belén, na Nicarágua. Em 2017, a cidade não foi inscrita no desafio. A última participação foi em 2016 enfrentando Barroquinha, no Ceará, quando perdeu por 35,76% contra 50,43% da adversária. Vertente do Lério também não concorreu no ano passado. Em 2016, obteve 45,85% derrotando Puntarenas, na Costa Rica, que mobilizou 13,13% da população.

João Alfredo perdeu em 2017 por 1,29% para Mombaça, no Ceará. A contagem ficou 69,91% X 68,62%. No ano anterior, os joãoalfredenses entraram pela primeira vez na disputa e ganharam da cidade de Cuauhtemoc, no México.

Do Correio do Agreste

Acompanhe-nos no Facebook


Publicidade


!

!
!
!

!

!

!

!

!

!

!

!
!
!
!
!

!

!
!

Você é o Visitante:

Acessos em Tempo Real

Previsão do Tempo em Surubim

Blogs e Sites Parceiros

Curta Nossa FanPage - Muito Obrigado!

Internautas On Line

(81) 9925.8297 // negocioseinformes@gmail.com