© 2014 - Todos os Direitos Reservados ao Blog Negócios e Informes. Tecnologia do Blogger.

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Mercado financeiro prevê queda de 5,89% na economia este ano

Foto: Flickr
A previsão para o crescimento do PIB em 2021 passou de 3,20% para 3,50% e para 2022 e 2023 continua em 2,50%

A previsão do mercado financeiro para a queda da economia brasileira este ano chegou a 5,89%. Essa foi a 15ª revisão seguida para a estimativa de recuo do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país. Na semana passada, a previsão de queda estava em 5,12%.

A estimativa consta do boletim Focus, publicação divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos. A previsão para o crescimento do PIB em 2021 passou de 3,20% para 3,50% e para 2022 e 2023 continua em 2,50%.

Dólar
A cotação do dólar deve fechar o ano em R$ 5,40. Na semana passada, a previsão era R$ 5,28. Para 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 5,03, contra R$ 5 da semana passada.

Inflação
As instituições financeiras consultadas pelo BC continuam a reduzir a previsão de inflação de 2020. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu pela 11ª vez seguida, ao passar de 1,59% para 1,57%.

Para 2021, a estimativa de inflação também foi reduzida, de 3,20% para 3,14%. A previsão para os anos seguintes - 2022 e 2023 - não teve alterações e permanece em 3,50%.

A projeção para 2020 está abaixo da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%.

Para 2021, a meta é 3,75% e para 2022, 3,50%, também com intervalo de 1,5 ponto percentual em cada ano. 

Selic
Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 3% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic encerre 2020 em 2,25% ao ano, a mesma previsão da semana passada.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Para o fim de 2021, a expectativa é que a taxa básica chegue a 3,29% ao ano. A previsão da semana passada era 3,50%. Para o fim de 2022, as instituições reduziram a previsão para a taxa anual de 5,25% para 5,13% e, para o fim de 2023, a estimativa segue em 6%.

Da Agência Brasil

Real ganha status de moeda tóxica com aversão a riscos fiscal e político

Foto: Pixabay / Reprodução
A desvalorização de quase 30% do real em relação ao dólar desde o início do ano reflete uma aversão à moeda brasileira que não era vista havia quase 20 anos e que já levou à classificação da divisa nacional como um "ativo tóxico" por bancos estrangeiros.

A perda de valor da moeda, que começou no ano passado por causa da queda no diferencial de juros entre o Brasil e outros países, se acelerou nos últimos meses por questões relacionadas ao coronavírus, à piora no ambiente político e à perspectiva de que o país pode ficar para trás na recuperação mundial no pós-pandemia.

O real é a moeda que mais se desvalorizou neste ano entre países emergentes, com uma perda de 29% em relação ao dólar.

Chama a atenção a diferença para países da América Latina, cujo segundo pior resultado é o do peso mexicano (-19%), e de economias como a África do Sul (-22% do rand) e a Rússia (-13% do rublo).

O risco Brasil medido pelo CDS (Credit Default Swap) subiu 220% em 2020. Na média dos países emergentes, a alta foi de 77%.

Na semana passada, o real voltou a se valorizar (fechou a sexta-feira, 22, vendido a R$ 5,58), mas praticamente sem alterar a distância em relação a outras moedas emergentes.

O banco Credit Suisse divulgou relatório em que classificou a moeda brasileira como "tóxica" e na lista das divisas de países fiscal ou politicamente expostos. A instituição projeta uma cotação de R$ 6,20 até o fim do ano.

Entre as instituições consultadas pelo Banco Central na pesquisa Focus, a mediana das projeções para o dólar no final do ano está em R$ 5,30, com algumas casas projetando uma cotação de até R$ 6,30.

Otávio Aidar, estrategista-chefe e gestor de moedas da Infinity Asset, afirma que a valorização recente no preço das moedas dos países emergentes corrige alguns exageros de mercado e que o real pode voltar a se alinhar com as moedas de outros pares.

Para ele, uma desvalorização do real na casa de 30%, enquanto outras moedas emergentes perderam cerca de 20% do valor, reflete uma percepção de risco descolada dos fundamentos econômicos do país. 
Um câmbio de equilíbrio, segundo ele, pode estar próximo de R$ 4,00 ou R$ 5,00, a depender do cenário externo, mas não há justificativa para caminhar para um patamar acima de R$ 6,00.

Para que haja uma melhora na visão sobre o Brasil, no entanto, é necessário sinalizar que o aumento de gastos por causa da pandemia vai ficar restrito a esse período e, adicionalmente, ter um plano para organizar a economia na saída da crise.

"O investidor precisava olhar para o Brasil e ver algo mais calmo, menos turvo, ter um pouco mais de clareza sobre o ambiente de investimento, diminuir um pouco essas incertezas."

Étore Sanchez, economista-chefe da Ativa Investimentos, afirma que sua projeção para o câmbio daqui a 12 meses, considerando os fundamentos da economia brasileira, é de R$ 4,70. Uma apreciação depende, no entanto, de uma significativa redução na aversão ao risco gerada pela pandemia, o que afetaria todas as moedas de países emergentes, e também de uma melhora nas questões políticas e fiscais do próprio país.

"Não estou dizendo para ninguém vender dólar. O câmbio é muito sensível. Ruídos a curto prazo tendem a fazer com que ele se deprecie ou aprecie. Se tiver uma piora de governabilidade, podemos ter um ruído", afirma Sanchez.

"Um segundo fator é não piorar mais do que os outros [países emergentes] e ter uma agenda reformista que volte à tona assim que passar, ou pelo menos reduzir, essa pauta da Covid-19", afirma.

De acordo com o economista-chefe da Ativa, embora a diferença de juros entre Brasil e Estados Unidos esteja em apenas 2,75 pontos percentuais, considerando a taxa básica de curto prazo, os títulos brasileiros são atrativos quando se observa um diferencial de quase 8 pontos em investimentos de prazos mais longos. Continue lendo, clique AQUI!

domingo, 24 de maio de 2020

Correios serão opção para fazer cadastro para auxílio emergencial

Foto: Reprodução/Internet
A partir de junho, as agências dos Correios serão uma opção para quem quer fazer o cadastro para receber o auxílio emergencial do governo, benefício de R$ 600 mensais (R$ 1,2 mil para mães solteiras) pago a trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados para amenizar os impactos do isolamento social adotado devido à pandemia do novo coronavírus. 

Até este sábado (23), a Caixa Econômica Federal pagou R$ 60 bilhões de auxílio emergencial, somadas as primeiras e segunda parcelas. No total, 55,1 milhões de pessoas receberam a primeira parcela, enquanto a segunda parcela alcançou 30,4 milhões.

Nota divulgada pelos Correios esclarece que o início da prestação de apoio das agências postais neste cadastramento será em junho, mas ainda não tem data definida.

Conforme a nota, “as agências estão, nesse momento, em processo de adaptação dos sistemas para realização do serviço.” A estatal promete que “a data de início do atendimento, as formas de acesso da população e demais procedimentos serão amplamente divulgados pelos canais oficiais da empresa.”

Do Diario de PE

Bolsonaro confirma estender auxílio emergencial, mas com valor abaixo de R$ 600

Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Brasil
Em entrevista à rádio Jovem Pan, o presidente disse que haverá uma quarta parcela da ajuda e que talvez ocorra até mesmo um quinto pagamento

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta sexta-feira (22) que o governo vai estender o auxílio emergencial para informais, mas que o valor pago será abaixo de R$ 600.

Em entrevista à rádio Jovem Pan, o presidente disse que haverá uma quarta parcela da ajuda e que talvez ocorra até mesmo um quinto pagamento.

"Conversei com o Paulo Guedes [ministro da Economia] que vamos ter que dar uma amortecida nisso daí. Vai ter a quarta parcela, mas não de R$ 600. Eu não sei quanto vai ser, R$ 300, R$ 400; e talvez tenha a quinta [parcela]. Talvez seja R$ 200 ou R$ 300. Até para ver se a economia pega", disse.

"Não podemos jogar para o espaço mais de R$ 110 bilhões, que foram gastos dessa forma. Isso vai impactar nossa dívida, no Tesouro", complementou.

Em reunião com empresários na terça-feira (19), Guedes havia admitido a possibilidade de prorrogar o auxílio.

Segundo Guedes, a extensão poderia ocorrer por um ou dois meses, mas com um corte para R$ 200.

O auxílio foi criado para durar apenas três meses, com valores concedidos em abril, maio e junho. Com a prorrogação por dois meses, permaneceria até agosto.

O discurso pela prorrogação representa uma mudança de posição da equipe econômica, antes contrária à extensão da medida. Mesmo assim, a redução do montante concedido é defendida como fundamental.

Guedes defende a redução do valor por causa das limitações das contas públicas. O ministro propôs uma ajuda de R$ 200 no começo da pandemia, mas o governo aceitou elevar o montante para R$ 600 após pressões do Congresso.

Por: Folhapress

Reabertura da economia pode não ser suficiente para retomada das vendas no varejo

Comércio varejistaFoto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco
O indicador de emprego da Fundação Getúlio Vargas apontou um recuo de 3,2 pontos em abril para 39,7 pontos


A sinalização de reabertura do comércio ao redor do país pode não ser suficiente para trazer uma melhora concreta do consumo. Aspectos como os cortes de salário e jornada, a queda de confiança do consumidor e as expectativas de aumento do desemprego até o final deste ano ainda devem influenciar as decisões de consumo.

Os números já mostram o agravamento da situação do setor ante a pandemia do coronavírus. O indicador de movimento do comércio da Boa Vista, que acompanha o desempenho das vendas no varejo pelo país, apresentou uma queda de 26,6% em abril na comparação mensal sem efeitos sazonais.

No acumulado do ano, o indicador recuou 6,4% contra os primeiros quatro meses do ano passado e 26,3% em relação a abril de 2019. Foi a terceira queda mensal consecutiva.

Segundo o economista da Boa Vista Flávio Calife, ainda que as sinalizações de reabertura da economia -que já começam a aparecer em alguns estados e municípios- sejam positivas, a redução ou suspensão de salário e jornada que alguns trabalhadores sofreram ainda podem pesar nos números do comércio ao longo dos próximos meses.

"Quatro variáveis são determinantes no consumo e, consequentemente, no comércio: renda e emprego, mercado de trabalho, crédito e juros. Apesar de a sinalização ser de que a quarentena caminha para um fim, essas questões ainda permanecem e já influenciam nas expectativas de retomada, principalmente se tiverem efeitos mais permanentes, como a perda de postos de trabalho ou o fechamento de empresas", afirma.

O economista diz, porém, que tem a expectativa de que os números estejam chegando ao ponto máximo de agravamento. "Ainda espero número ruins em relação a maio, mas a tendência é que essa queda não seja mais tão drástica."

O indicador de emprego da FGV (Fundação Getúlio Vargas), por exemplo, apontou um recuo de 3,2 pontos em abril para 39,7 pontos -a maior queda mensal e o menor nível da série história iniciada em 2008. Na média móvel do trimestre, esse mesmo indicador caiu 17,5 pontos (para 71,4 pontos).

Outro indicador da FGV, o Monitor do PIB também apresentou uma retração mensal de 5,3% em março -primeiro mês de isolamento social no país-, com queda de 6,5% no consumo das famílias brasileiras.

"Dado o fato de que vínhamos de uma mudança de expectativas e de confiança após uma crise que durou anos, o atual momento com certeza deixa as pessoas mais cautelosas e conscientes do orçamento", afirma o economista da Boa Vista.

Esse cenário, segundo Calife, se mostra de forma mais evidente na abertura por setores. Ainda conforme o indicador de movimento de crédito da Boa Vista, a maior queda foi observada no segmento de "Móveis e Eletrodomésticos", com recuo de 83,3% em abril -já havia registrado baixa de 13,5% no mês anterior, descontados os efeitos sazonais.

"Esse é um segmento que, além da influência das lojas físicas fechadas, também acaba ficando por último na lista de prioridades do orçamento das famílias. São coisas que ficam para ser compradas depois", diz.A categoria de "Tecidos, Vestuários e Calçados", por sua vez, recuou 2,9% no mês, enquanto o setor de "Combustíveis e Lubrificantes" caiu 18,2%. O item "Outros artigos de varejo" reduziu 12%.

"O segmento de combustíveis deve acabar se recuperando com a reabertura da economia, já que muito dessa queda se dá porque as pessoas não estão saindo de casa", afirma Calife.

A atividade de "Supermercados, Alimentos e Bebidas" foi a única analisada pelo indicador que evitou perdas, mas ainda assim se manteve em patamares praticamente estáveis, com uma variação de 0,1% no mês.

Por: Agência Brasil 

sábado, 23 de maio de 2020

Caixa Econômica abre em Surubim e mais 44 agências em Pernambuco neste sábado (23)

(Foto: Arquivo Agência Brasil)
A CEF abrirá 45 agências neste sábado (23) em Pernambuco, de 8h às 12h, para atendimento aos beneficiários do lote mais recente da primeira parcela do Auxílio Emergencial que recebem pela Poupança Social Digital. Eles também poderão sacar os beneficiários do Bolsa Família que já começaram a receber a segunda parcela do auxílio nesta semana. Em todo o país serão abertas 902 unidades.

Conforme o calendário divulgado pelo Ministério da Cidadania, podem sacar a partir de sábado 2,1 milhões de cidadãos nascidos entre maio e julho constantes no lote mais recente recebido da Dataprev. 

O calendário de pagamentos da segunda parcela para os beneficiários do Auxílio Emergencial que integram o Bolsa Família teve início no dia 18 de maio. No momento, podem realizar o saque 9,5 milhões de pessoas com número final de NIS entre 1 e 5. O calendário deste mês do Bolsa Família segue até a próxima sexta (29). A CEF ressalta ainda que os trabalhadores que já têm os recursos da segunda parcela disponíveis para movimentação na Conta Poupança Social Digital farão a movimentação dos valores pelo aplicativo CAIXA Tem, com as possibilidades de realização de compras e pagamento de contas. Esses não devem ir até as agências neste momento, já que terão que utilizar os recursos por meio do app.

Segunda parcela antecipada para uso digital:

De quarta-feira (20) até a próxima terça-feira (26), 31 milhões de beneficiários do Auxílio Emergencial recebem R$ 20,3 bilhões nas contas digitais criadas automaticamente para o público não integrante do Bolsa Família, uma antecipação dos valores do auxílio para movimentação digital, entre compras em sites credenciados para recebimento do cartão de débito virtual e pagamento de contas.

Se mesmo com essas possibilidades, entretanto, o beneficiário resolver realizar o saque em espécie, o ministério estipulou um outro calendário, também escalonado por mês de aniversário, iniciando a partir do dia 30 de maio. Nas datas indicadas para o saque em espécie, eventual saldo existente será transferido automaticamente para a conta em que o beneficiário recebeu a primeira parcela, sendo poupança CAIXA ou conta em outro banco. A transferência dos valores por meio da conta poupança social digital para outros bancos só poderá ser efetuada a partir do início desse calendário de saque em espécie.

Antes de ir à agência, os clientes devem consultar as unidades que estarão abertas neste sábado em sua localidade por meio do link:



Do Diario de PE

CDL Surubim lança Certificado Digital para Advogado e Microempreendedor Individual (MEI)

Atenta à atual situação econômica, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Surubim, divulgou em seus canais de comunicação, novo produto para classe de Advogados (e-Jurídico) e para o Microempreendedor Individual / MEI (PJ Simples). Tais produtos irão beneficiar as áreas citadas com preços diferenciados e acessíveis. Confira:

e-Jurídico: CDL Surubim lança Certificado Digital para Advogados

Estamos divulgando o e-Jurídico, modelo de Certificado Digital feito especialmente para profissionais da área do Direito. Você também pode utilizar para enviar declaração de Imposto de Renda, assinatura de documentos, além de se identificar de forma segura em sites, entre outras aplicações que utilizam a Certificação Digital. Reduza burocracia e otimize seu tempo. Aproveite as condições especiais que a CDL Surubim preparou. 

PJ Simples: CDL Surubim lança Certificado Digital para Microempreendedor Individual (MEI)

Se você é Microempreendedor Individual e tem a necessidade de utilizar Certificado Digital, nossa CDL está lançando o produto PJ Simples, Certificado Digital em Token com 24 meses de validade por um preço super acessível. Aproveite as condições especiais que a CDL Surubim preparou.

Vantagens do certificado digital PJ Simples
Um certificado digital é como a assinatura eletrônica da empresa, utilizando chaves criptográficas para confirmar a sua identidade. É um documento eletrônico, cujo objetivo é garantir a segurança e a validade jurídica dos processos realizados no ambiente online.

Mantenha contato através dos fones (81) 3634.1608 / 3634.1607, ou através do WhatsAPP (81) 9 9236.3897. 

sexta-feira, 22 de maio de 2020

Agência bancária do Santander em Surubim está temporariamente fechada; Caixas eletrônicos voltaram a funcionar nesta sexta-feira (22)

Foto: Divulgação/Reprodução - Luís Fernando Germano
A agência do banco Santander de Surubim, localizada no Agreste Setentrional, se encontra  temporariamente fechada. De acordo com informativo exposto na frente da agência, a medida foi tomada de forma preventiva para garantir bem-estar dos colaboradores e da sociedade. Também orienta que os clientes podem realizar maioria das transações pelos canais digitais apps Santander e Way ou Internet Banking. Além de informar aos usuários sobre o funcionamento normal nas agências mais próximas, que são Limoeiro e Santa Cruz do Capibaribe. Os caixas eletrônicos voltaram a funcionar na tarde desta sexta-feira (22), já o atendimento interno não tem previsão de retorno. 

Confira o comunicado:

"Caros Clientes
Esta agência encontra-se temporariamente fechada como medida preventiva para garantir seu bem-estar, de nossos colaboradores e da sociedade. Retornamos em breve!

Você pode realizar a maioria das transações nos nossos canais digitais: apps Santander e Way ou Internet Banking.

Caso precise de agência ou caixa eletrônico, confira abaixo os endereços mais próximo de Surubim. 
Agência 4010 - Limoeiro / Agência 4147 - Santa Cruz do Capibaribe."

Da Redação (Negócios & Informes)

Pedidos de seguro-desemprego sobem 76% na primeira quinzena de maio

Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco
A informação foi divulgada pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira (21)

O número de pedidos de seguro-desemprego apresentou um salto de 76% na primeira quinzena de maio deste ano, se comparado com o mesmo período de 2019. A informação foi divulgada pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira (21).

Nas primeiras duas semanas deste mês, foram registradas 504 mil solicitações da assistência do governo a pessoas demitidas sem justa causa. Na primeira, quinzena de maio de 2019, o número foi de 286 mil.

O número também é maior do que os 481 mil observados na segunda quinzena de abril deste ano, quando o país já enfrentava a pandemia do novo coronavírus.

Neste ano, o seguro-desemprego já foi liberado a 2,8 milhões de pessoas, uma alta de 9,6% em relação a igual período de 2019.

De acordo com o Ministério da Economia, o número ainda apresenta uma defasagem e pode ser maior porque o fechamento de agências do Sine (Sistema Nacional de Emprego) fez com que muitas pessoas não solicitassem o benefício.

O governo estima que 250 mil pessoas foram demitidas sem justa causa, estão aptas a receber o auxílio, mas ainda não fizeram o pedido.

O seguro-desemprego é uma assistência financeira temporária paga pelo governo a trabalhadores dispensados sem justa causa. O valor do benefício varia de R$ 1.045 a R$ 1.813,03.

A pessoa demitida tem quatro meses de prazo para requerer o auxílio no Sine, no portal "gov.br" ou no aplicativo de celular "Carteira de Trabalho Digital".

O Ministério da Economia afirma que, uma vez feita a solicitação pelo trabalhador, não há fila de espera para concessão do benefício.

Membros do governo afirmam que a medida colocada em vigor em abril que permite corte de jornadas e salários está surtindo efeito. Sem ela, dizem, o número de demissões durante a crise seria muito maior.

O programa autoriza empresas a fazerem acordos com seus funcionários para suspender integralmente contratos por até dois meses ou para reduzir jornadas e salários por até três meses. Nesses casos, o governo entra com uma compensação em dinheiro para os trabalhadores atingidos.

Até o momento, 8 milhões de trabalhadores formais tiveram contratos suspensos ou salários e jornadas reduzidos.

Por: Folhapress

Federação Pernambucana de Futebol adia Copa do Interior

Por pandemia, a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) confirmou, na manhã dessa quarta-feira (20), através da Diretoria de Futebol Amador, o adiamento da 33ª edição da Copa do Interior para a próxima temporada. “Infelizmente, não vamos conseguir realizar a competição. É uma pena, mas não é o momento. Precisamos focar na luta contra a expansão do COVID-19”, afirmou o diretor de futebol amador, Jorge Vieira Júnior.

A competição tinha o seu início previsto para o final de maio e a expectativa era de realizar a maior de todas as edições, com mais de 100 ligas e 4.000 atletas em disputa. Pouco antes da suspensão das atividades, mais de 60% das ligas já haviam iniciado o processo de inscrição. A última edição da Copa do Interior foi realizada no ano de 2018. Na ocasião, a Liga de Paulista, comandada pelo técnico Paulo Júnior, levantou o troféu de bicampeão. A final aconteceu no Estádio Ademir Cunha, diante da Liga de Cachoeirinha.

Futebol Amador - Além da Copa do Interior, a diretoria confirmou também o adiamento do Campeonato Pernambucano de Futebol Amador pelo mesmo motivo. A competição também será realizada em 2021. 

Do Blog do Agreste - (Assessoria da FPF)

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Fábricas de confecção do Agreste e da RMR fornecem novas 300 mil máscaras de tecido a ações do Governo de Pernambuco para combate à Covid-19

Foto: Divulgação/Reprodução
Oitenta por cento do primeiro lote dos itens comprados pela AD Diper diretamente dos fornecedores virão de Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe, Toritama, Surubim e Limoeiro.

Doze fábricas dos Agrestes Setentrional e Central serão as primeiras fornecedoras de máscaras de tecido, vendendo diretamente à Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), por meio de credenciamento público ainda aberto aos interessados. Juntos, esse grupo produziu 240 mil itens, ou seja, 80% do total de 300 mil que formam a encomenda inicial para diversas ações em curso do Governo do Estado no combate aos efeitos da Covid-19. Os 20% restantes virão do Recife. Nesta quinta-feira (21/5), está prevista a chegada da primeira remessa de 20 mil máscaras. As fábricas têm até 5 de junho para entregar todos os pedidos. A meta da AD Diper é comprar até 1 milhão de peças. 

Nesta primeira rodada de fornecimento, a produção foi adquirida de cinco empresas de Caruaru, localizado no Agreste Central; quatro de Santa Cruz do Capibaribe, uma de Limoeiro; outra de Toritama e uma de Surubim, municípios integrantes do Agreste Setentrional. Representando a Região Metropolitana, a lista conta com três confecções do Recife.

O presidente da AD Diper, Roberto Abreu e Lima, convoca mais empresas para ampliar o alcance do processo. “Queremos que as confecções de vários municípios participem. Encontramos uma forma de ajudar as pequenas fábricas e quem está na ponta do combate à pandemia”, completa.  
Segundo as regras do edital, disponível para os interessados no site da AD Diper (www.addiper.pe.gov.br), serão adquiridos lotes com 20 mil máscaras cada, por empresa, podendo chegar a 50 (cinquenta) lotes com a mesma quantidade. Dessa forma, um número bem maior de empresas poderá se habilitar a fornecer o insumo.

Os interessados em participar deverão encaminhar o Formulário de Credenciamento disponibilizado no site da AD Diper, preenchido eletronicamente e acompanhado dos documentos de habilitação indicados,  para correio eletrônico mascaraparatodos@addiper.pe.gov.br.

A Agência está comprando somente produtos das empresas do ramo que detenham o selo de qualidade que atesta padrão de conformidade reconhecido pelo Núcleo Gestor da Cadeia Têxtil e de Confecções de Pernambuco (NTCPE), em virtude da parceria já estabelecida com essa entidade. Desde abril, as duas instituições, juntamente com a SDEC, vêm desenvolvendo o Programa Máscara Para Todos, por meio do qual mais de 100 empresas do Polo de Confecções de Pernambuco, concentrado no Agreste, receberam, até o momento, a chancela que atesta padrão de conformidade das máscaras. Por tal acordo, inclusive, a AD Diper já havia comprado 200 mil unidades desse tipo de protetor facial, que já foram repassadas a diversas secretarias e órgãos estaduais.

O NCTPE é uma organização social contratada pela SDEC para executar as políticas públicas desenhadas para o setor de têxteis e confecções. Por conta da pandemia, o Núcleo tem disponibilizado às empresas, gratuitamente, cadernos técnicos que ensinam como fabricar máscaras e outros equipamentos de proteção contra o novo coronavírus, a exemplo de batas e protetores para os pés. Os manuais estão disponíveis no site www.ntcpe.org.br e descrevem com detalhes as modelagens e insumos necessários para a fabricação de cada produto. 

A ação é um desdobramento das medidas previstas pelo Decreto Estadual nº 48.969/2020. Por meio desse instrumento, o governador Paulo Câmara atribuiu à Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (SDEC), a função de formar rede de atuação colaborativa entre cidadãos, empresas, sobretudo as integrantes do Polo de Confecções do Estado, e entidades da sociedade civil, para incentivar a produção, a distribuição e a entrega de máscaras, mesmo que artesanais, para a população, por conta do coronavírus. O decreto em questão estabelece a obrigatoriedade do uso de máscara para o exercício de atividade essencial no período de enfrentamento da emergência em saúde pública.

Da Assessoria

Caixa vai liberar uso dos R$ 600 nas maquininhas de cartão

Foto:Marcello Casal jr/Agência Brasil
A Caixa Econômica Federal (CEF) está fazendo uma parceria com as maquininhas de cartão para ampliar as possibilidades de uso do auxílio emergencial de R$ 600. A ideia é permitir que os brasileiros que não têm cartão possam usar o benefício para pagar compras sem ter que sacar o recurso, aproximando o celular das maquininhas.

A possibilidade, anunciada nesta quinta-feira (21) pela Caixa Econômica Federal, será viabilizada em breve pelo aplicativo Caixa Tem. O plano é que o aplicativo gere um código para pagamento quando o brasileiro quiser fazer uma compra com os recursos do auxílio emergencial e pagá-la pelo Caixa Tem. O código será exibido por meio de um QR Code, que deve ser aproximado das maquininhas de cartão para concluir a transação, como se fosse um cartão.

"Em breve vamos estar junto com as maquininhas e as redes de adquirentes conseguindo pagar com QR Code. Em breve vamos estar lançando", anunciou o vice-presidente de Tecnologia e Digital da Caixa, Cláudio Salituro, contando que a Caixa já está conversando com as grandes redes de varejo para que elas possam aceitar o pagamento por aproximação pelo QR Code do Caixa Tem.

Segundo Salituro, a ideia é permitir que os brasileiros possam fazer todas as suas transações financeiras pelo aplicativo Caixa Tem. Hoje, o aplicativo já permite o pagamento remoto de contas e as compras online, por meio de um cartão de débito virtual. Por isso, agora o app se prepara para também oferecer o pagamento de compras presenciais através de um QR Code capaz de ser lido pelas maquininhas de cartão das lojas brasileiras.

"O cliente poderá fazer todo o uso [do auxílio] através do aplicativo, fazendo com que não precise mais ir às agências e não tenha contato com o dinheiro físico. Que possa utilizar seu benefício de forma rápida, ágil e cada vez mais podendo utilizá-lo nos diversos canais, na internet ou nas máquinas de adquirência", disse Salituro, em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (21).

Presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães acrescentou que a ideia da Caixa é oferecer as contas digitais para todos os mais de 50 milhões de brasileiros que estão recebendo o auxílio emergencial. É uma forma, segundo ele, de contribuir com a inclusão bancária e também com a digitalização desses brasileiros.

Guimarães ainda afirmou que o uso dos R$ 600 através do Caixa Tem está sendo cada vez mais aceito pela população. "A Caixa já tem mais pessoas usando o canal virtual do que o saque nos ATMs, nas lotéricas e na boca do Caixa. Hoje, 132 mil pessoas sacaram e 147 mil pessoas realizaram compras virtuais via cartão virtual", contou o presidente da instituição, dizendo que essa opção ainda tem contribuído com a redução das filas para saques nas agências bancárias.

Nesta quinta-feira, a Caixa pagou o auxílio emergencial para 7,2 milhões de brasileiros. Dessas, 700 mil tiveram acesso à primeira parcela do benefício nas agências da Caixa e 7,2 milhões à segunda parcela, dos quais 1,9 milhão receberam o recurso em espécie porque são do Bolsa Família e 5,3 milhões tiveram o benefício creditado na sua conta social da Caixa. Esse último grupo, por sinal, só pode usar os R$ 600 através do aplicativo Caixa Tem nos próximos dez dias, pois só terá direito ao saque em espécie ou à transferência do recurso depois que a Caixa concluir o pagamento do Bolsa Família.

Os pagamentos foram divididos dessa maneira, lembrou a Caixa, para evitar que mais de 3 milhões de brasileiros fossem ao banco ao mesmo tempo, provocando novas filas e aglomerações nas agências. "Hoje, 7,9 milhões de brasileiros receberam. Se tivéssemos pago esses 7,9 milhões de brasileiros com o saque em espécie, teríamos aglomerações relevantes. Esta mudança do calendário, indicada pelo Ministério da Cidadania e cumprida pela Caixa, mostrou-se um sucesso do ponto de vista de redução de filas", afirmou Guimarães.

Por: Correio Braziliense

Dia do Pedagogo: Unicesumar Surubim homenageia com ofertas de cursos

Em tempo: Ontem, dia 20/05, foi celebrado o Dia do Pedagogo e, por se tratar de uma das profissões de maior peso e importância na formação educacional, nós da Unicesumar homenagearemos esses profissionais nos dias 20, 21 e 22/05/2020, ofertando os cursos de Graduação e Pós-Graduação listados abaixo com 40% desconto. Indique amigos e ganhe descontos.

⚠️Cursos com Desconto Graduação (30% + 10% Pontualidade):

✅ Pedagogia; 
✅Psicopedagogia;

⚠️Cursos com Desconto Pós-Graduação (40%):  

✅ Pós-graduação em Docência Aplicada em Questões Socioeducativas; 

✅ Pós-graduação em Gestão Educacional; 

✅ Pós-graduação em Neuroaprendizagem.

Durante este período, o curso livre O Pedagogo e suas Competências será disponibilizado de forma gratuita. https://www.universoead.com.br/curso-livre/o-pedagogo-e-suas-competencias

Mais informações: Polo Unicesumar Surubim – 3634-2340 | Whatsapp: 9.8982-5586 | Av. São Sebastião, 889 – Bairro São Sebastião!

Da Assessoria

Casinhas totaliza 9 casos confirmados do novo coronavírus

Casinhas registrou mais um novo caso, nessa quarta-feira (20), totalizando agora 9 casos confirmados do novo coronavírus no município. Segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde de Casinhas, a paciente é da comunidade de Lagoa de Pedra e teve contato recente com uma pessoa infectada pela doença.

O boletim aponta ainda que, dentre os 9 casos confirmados, 7 estão em isolamento, 1 é profissional da saúde e 1 veio a óbito. Entre os suspeitos, 3 pessoas aguardam resultado de exame laboratorial e 4 casos já foram descartados. Já em isolamento domiciliar, 11 pessoas com síndromes gripais encontram-se neste momento sendo monitoradas pelo Município e outras 27 completaram o monitoramento sem complicações médicas.

Do Mais Casinhas

Seis em cada 10 informais têm auxílio emergencial aprovado

Foto: Alfeu Taveres / Folha de Pernambuco
De 49,2 milhões de solicitações processadas, 29,3 milhões de informais foram considerados aptos a receber o benefício

Apenas seis em cada dez pedidos de auxílio emergencial processados são considerados elegíveis, informou nesta quarta-feira (20) a Caixa Econômica Federal.

De 49,2 milhões de solicitações processadas, 29,3 milhões de informais foram considerados aptos a receber o benefício, o que representa 59,55% dos pedidos processados pelo aplicativo ou site, diz o banco. Dentre os brasileiros que se cadastraram para pedir o auxílio, 19,9 milhões foram considerados inelegíveis, sendo que 4,5 milhões estão sendo reanalisados. Ainda há 4,4 milhões aguardando uma primeira resposta (primeira análise).

Dentre os 32,1 milhões de casos analisados para quem é do CadÚnico (cadastro do governo para programas sociais), 10,5 milhões tiveram direito ao benefício (32,7%) e outros 21,6 milhões foram considerados inelegíveis.

Segundo a Caixa, já foram processados 101,2 milhões de cadastros (considerando quem se inscreveu pelo site ou aplicativo, beneficiários do Bolsa Família e participantes do CadÚnico).

Os motivos para a negativa dos que se inscreveram variam, mas a maioria está ligada à renda. Em muitos casos, os trabalhadores que hoje são informais receberam rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018, o que impede o pagamento do benefício pelo governo, segundo a lei que criou o auxílio. Quem recebeu renda tributável (como salários) acima de R$ 28.559,70 em 2018 foi obrigado a enviar a declaração do Imposto de Renda de pessoa física.

Outra regra para ter direito ao auxílio é que no máximo duas pessoas da mesma família podem recebê-lo.

Dentre os benefícios que ainda estão em análise pela Dataprev, empresa de tecnologia do governo federal, há casos de trabalhadores que se inscreveram recentemente e um outro grupo sobre o qual ainda há dúvidas se há direito ou não, por isso o "pente-fino" é maior.

"No começo, nós tivemos um problema grande dos CPFs inválidos por alguma questão na Justiça Eleitoral", diz Guimarães.

"Nós resolvemos isso. Estamos pagando agora aquelas pessoas que se cadastraram por último e, provavelmente a grande maioria se cadastrou pela segunda ou pela terceira vez", diz ele.

No caso de quem é do Bolsa Família, foram processados 19,9 milhões de cadastros, sendo que 19,2 milhões foram considerados aptos a receber a renda complementar. Para esses beneficiários, passa a ser pago o benefício de maior valor.

NOVOS PAGAMENTOS
A Caixa começou a pagar, nesta quarta-feira (20), a segunda parcela do auxílio emergencial para 5 milhões de pessoas fora do Bolsa Família.

Esses beneficiários são aqueles que têm a poupança social digital e que fazem parte do Cadastro Único ou que se inscreveram pelo aplicativo ou site. Recebe nesta quarta quem teve a primeira parcela até 30 de abril e que tenha nascido nos meses de janeiro ou fevereiro.

Os pagamentos seguem o calendário, de acordo com o mês de nascimento, até a próxima terça-feira (26), totalizando 31 milhões de pessoas beneficiadas.

A poupança digital, segundo a Caixa, não vai permitir transferências para outras contas bancárias por enquanto, apenas o pagamento de contas e compras por cartão de débito virtual. Transferências para outras contas e saques serão liberados apenas a partir de 30 de maio, conforme o mês de aniversário do trabalhador. Continue lendo, clique AQUI.

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Procissão de Santa Rita acontece neste domingo (24) em Surubim

Imagem: Divulgação/Reprodução-Internet
Considerada como a Santa dos impossíveis e advogada das Causas Perdidas, no próximo domingo (24), os Missionários de Santa Rita de Cássia em parceria com a  Pastoral Social da  Paróquia de São José, em Surubim, realizará procissão com a imagem da Santa permitindo que os devotos vejam o andor das próprias casas e ao mesmo tempo possam contribuir com alimentos não perecíveis, pois o objetivo é arrecadar alimentos, o qual será feita doação à famílias carentes do município. 

A procissão será realizada sem a participação de fíéis a pé. A saída está programada para às 16h, em frente à residência do casal Daniele Duda e do comunicador César  Nascimento.

Fábio Augusto, um dos organizadores, enfatiza sobre o uso de máscaras, além de divulgar o roteiro que será seguido: Chã do Marinheiro, Vila de Jacó,  Coqueiro, Avenida São Sebastião, bairro Santo Antônio, bairro Centro e bairro São José. 

Faculdade Unicesumar em Surubim abre inscrições para vestibular 2020.2

Imagem: Divulgação/Reprodução
A UniCesumar abriu nesta semana as inscrições para o Vestibular 2020.2. A Campanha “aprendendo juntos, porque o seu sonho de aprender não pode parar” convida os futuros acadêmicos a fazerem a diferença, tanto na área pessoal como na profissional.

As aulas iniciam no dia 20 de julho, porém os interessados têm até o dia 8 de agosto para se inscreverem e realizar o vestibular agendado. Inscrições abertas para o vestibular 2020.2. Faça a sua inscrição e a prova online acessando: https://inscricoes.unicesumar.edu.br/ | Mais informações: Polo Unicesumar Surubim, telefone: 3634-2340 ou pelo Whatsapp: 9.8982-5586 | Av. São Sebastião, 889 – Bairro São Sebastião.

CNC: endividamento das famílias alcança 66,5% em maio

Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
O número de famílias com dívidas em cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal, prestação de carro e seguro recuou ligeiramente em maio, passando de 66,6%, em abril, para 66,5%. O percentual de endividamento foi maior que maio de 2019, quando ficou em 63,4%.

A proporção de famílias endividadas, medida pela Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) foi divulgada hoje (20).

Segundo a CNC, a quantidade de brasileiros com dívidas ou contas em atraso caiu 0,2 ponto percentual na comparação mensal, ficando em 25,1%. No entanto, houve crescimento em relação a maio do ano passado, quando ficou em 24,1%.

“Mesmo com as incertezas impostas pela pandemia, a inadimplência não mostra trajetória explosiva, pelo menos não ainda. Com medidas de auxílio à renda, como o coronavoucher, as famílias mostram alguma resiliência na quitação de seus compromissos financeiros”, afirmou, em nota, a economista da CNC responsável pela pesquisa, Izis Ferreira.

O percentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes aumentou, passando de 9,9% do total em abril para 10,6% em maio. Esta é a maior proporção de famílias que permanecerão na inadimplência para um mês de maio desde o início da realização da Peic, em janeiro de 2010, e a mais elevada desde abril de 2018.

O total de famílias que se declararam muito endividadas também aumentou em maio, chegando a 16% e atingindo o maior percentual desde setembro de 2011, quando o indicador alcançou 16,3%.

O presidente da CNC, José Roberto Tadros, avalia que, apesar das medidas para enfrentar a crise provocada pelo novo coronavírus, como a injeção de liquidez na economia e a queda das taxas de juros, a maior aversão ao risco no sistema financeiro tem impedido que o crédito de fato alcance os consumidores.

“Apesar da pequena queda no mês, o endividamento das famílias está em proporção elevada, sendo importante também viabilizar prazos mais longos para os pagamentos das dívidas, como forma de evitar o crescimento da inadimplência nos meses à frente”, disse Tadros, em nota.

Em relação aos tipos de dívida, o cartão de crédito continua sendo o mais apontado pelos brasileiros como a principal modalidade de endividamento: 76,7%. Carnês (18%) e financiamento de veículos (11,1%) também permanecem na segunda e terceira posições, respectivamente. “O cartão de crédito, apesar de seguir em primeiro lugar nos principais tipos de dívida, vem perdendo espaço para outros tipos de dívida, em função de ser uma das modalidades mais caras de crédito. O endividamento com cartão chegou a representar 79,8% em janeiro deste ano”, disse a economista.

Por: Agência Brasil

terça-feira, 19 de maio de 2020

Covid-19: situação econômica do comércio de Surubim é tema de debate na CDL

Foto: Divulgação/Reprodução
Atendendo o decreto governamental e limitando reuniões até dez pessoas, na tarde desta terça-feira (19), a Câmara de Dirigentes Lojistas de Surubim reuniu em sua sede, representantes da prefeitura, Polícia Militar (PM), Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e PROCON. A pauta do encontro foi a atual situação econômica do comércio de Surubim.  

Na oportunidade, os empresários puderam expor as dificuldades encontradas nesse período de pandemia, como também debater as determinações e ações governamentais. Ficou acertado que até a próxima semana, a CDL irá preparar um documento, onde será analisado e revisado em conjunto com os participantes do encontro de hoje. Tal documento irá esclarecer dúvidas e orientar os lojistas surubinenses sobre o funcionamento de maneira correta e atendendo aos meios jurídicos. Além disso, a Câmara de Dirigentes sugeriu a criação de Plano de Ação para o retorno gradual das atividades econômicas, o qual será enviado para aprovação da gestão municipal.

A CDL Surubim compartilha da preocupação com o recente aumento de casos de COVID-19 em Surubim, e têm ciência de que medidas devem ser tomadas para reverter os atuais indicadores, porém, é importante estar atentos aos enormes prejuízos econômicos enfrentados com o fechamento do comércio e empresas. Reforçamos que por problemas na conexão da internet, ocasionou falhas no acesso de alguns usuários ao APP Zoom.

Da ASCOM CDL Surubim

Trabalhadores sentem-se inseguros no cenário pós-pandemia

Agência Brasil
Além de avivar temores relativos à saúde, a pandemia da covid-19 aumentou a insegurança quanto à esfera profissional. De acordo com sondagem produzida pela consultoria de recrutamento Talenses Group, em parceria com a Fundação Dom Cabral, quase metade (47,6%) das pessoas sente medo do cenário pós-pandemia, em relação ao mercado de trabalho.

O levantamento considerou as avaliações de 1.294 trabalhadores, ouvidos em abril. Em novembro de 2019, quando a abrangência era de 778 entrevistados e a covid-19 ainda não afetava todo o globo, a proporção daqueles que manifestaram apreensão quanto ao futuro profissional era de 19,4%. Apesar do receio do porvir, 83,2% dos entrevistados da pesquisa mais recente julgam estar preparados para enfrentar os desafios que poderão surgir pelo caminho. No ano passado, a taxa era de 74,6%.

A pesquisa quis saber se os profissionais têm se capacitado para incorporar novos modelos de trabalho. Em novembro, a parcela que respondeu que sim chegou a 81,7% em 2019 e a 80,7% neste ano. Outro aspecto revelado diz respeito à compreensão que os profissionais têm, especificamente quanto ao ramo em que estão empregados. Em ambos os levantamentos, a maioria acredita que seu setor será "altamente impactado" por reestruturações em curto ou médio prazo. Em novembro de 2019, a porcentagem era de 79% e, em abril deste ano, de 73%.

 Em ambas as sondagens, predomina o entendimento de que as transformações no âmbito profissional chegarão rapidamente, em curto ou médio prazo. Nessa questão, o índice subiu de 82,2% para 95,4%. Tendo em vista que a condição de pandemia foi declarada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) somente em 11 de março deste ano, uma série de perguntas consta apenas do levantamento mais recente. Na primeira delas, aborda-se a percepção quanto ao uso de recursos tecnológicos para se acelerar a retomada da economia. Quase a totalidade (92,8%) dos entrevistados respondeu afirmativamente.

Dia a dia nas organizações
A empresa de consultoria também estimulou os participantes a refletir sobre a rotina das organizações. O que se nota é que parte significativa das pessoas ouvidas vislumbra uma forte digitalização dos processos. No total, 87,4% dos entrevistados julgam que a pandemia estimulou empregadores a utilizar tecnologia para realizar novas contratações de funcionários, promovendo, assim, uma "quebra de paradigma".

Além disso, 95,6% consideram que o fenômeno se configura por outro fator: a incorporação de tecnologia que viabiliza procedimentos como o home office. O palpite de 75,1% é de que novas profissões surgirão ao término da pandemia. De acordo com a pesquisa, 69,4% dos respondentes concordam com a assertiva de que as práticas nas empresas voltarão a ser como antes, mas que incluirão processos digitais, de forma permanente. Para 30,1%, todos os recursos digitais aplicados antes da pandemia serão mantidos, e somente 0,46% imagina que não existirá nenhuma inovação digital.

Perfil de funcionários
Com foco na digitalização em curso, os entrevistados que informaram serem responsáveis também pela seleção de funcionários elencaram, cada um, duas competências técnicas que presumem que sejam mais demandadas após a pandemia.

Na primeira lista, de novembro, destacavam-se habilidades técnicas, específicas de sua área de atuação (91,4%); inglês avançado ou fluente (48,7%); e habilidades com pacote Office - pacote de programas com várias funcionalidades, como editor de textos e planilhas, da Microsoft (27,3%).

Quando o contexto da pandemia é levado em conta, a primeira posição é ocupada pelas habilidades digitais (78,2%), que inicialmente eram destacadas por 26,3% dos entrevistados apenas; seguidas de habilidades técnicas, específicas de sua área de atuação (75,2%); e inglês avançado ou fluente (29,1%). Já no grupo de competências comportamentais, a avaliação que fazem é de que a proatividade, que concentrava 72,1% das indicações, ficando no topo da lista, perderá relevância após a pandemia. Continue lendo, clique AQUI!

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-PE realiza doações de protetores faciais em Surubim

Foto: Divulgação / Reprodução
Equipamentos de proteção serão entregues nesta segunda-feira (18/05) a profissionais da saúde ligados à Prefeitura e ao Hospital São Luiz 


Profissionais de saúde ligados à Prefeitura de Surubim e ao Hospital São Luiz, localizado na cidade do Agreste, vão receber 200 protetores faciais doados pelo Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-PE para serem usados no trabalho de combate ao coronavírus. A distribuição será feita pelo Sesc Ler Surubim, na tarde desta segunda-feira (18/05). “É de grande importância a participação das instituições nesta luta para frear a propagação deste vírus que vem comprometendo a saúde de milhões de pessoas”, afirma Nelma Farias, gerente do Sesc Ler Surubim.

Em todo o Estado, além dos profissionais de saúde, esta ação de solidariedade também vai contemplar funcionários do comércio, como farmácias e supermercados. Ao todo, serão doadas mais de 40 mil máscaras de dois tipos diferentes, totalizando cerca de R$ 105 mil. As primeiras máscaras são 20 mil protetores faciais de acetato, conhecidos como face shields, que oferecem mais proteção por cobrirem todo o rosto. Foram investidos cerca de R$ 65 mil na confecção do material. Também foram produzidas 20 mil máscaras de tecido, com investimento de R$ 40 mil. 

Todas as unidades do Sesc do Estado vão repassar o material para profissionais de saúde de seus municípios. “Este é um momento em que toda a sociedade deve estar engajada e unindo esforços para ajudar os profissionais da área de saúde a realizarem seu trabalho de forma segura. Essa doação também é uma forma de o Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-PE parabenizar todos que estão arriscando suas vidas para combater o avanço do novo coronavírus no Estado”, afirma o presidente do Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-PE, Bernardo Peixoto. 

Serviço – Doação de protetores faciais para profissionais de saúde em Surubim
Quando: segunda, 18 de maio
Público: funcionários da Secretaria Municipal de Saúde e do Hospital São Luiz
Quantidade: 200 protetores faciais
Investimento: R$ 105 mil ao todo

Da Assessoria

Primeira morte por Covid-19 é confirmada em Santa Maria do Cambucá

A prefeitura de Santa Maria do Cambucá, no Agreste, divulgou neste domingo (17) o boletim diário onde confirma que o município registrou a primeira morte por Covid-19. A vítima é um homem de 83 anos, portador de doença crônicas, residente na zona rural do município. O mesmo encontrava-se internado para tratamento oncológico no Hospital Santo Amaro, na capital pernambucana. Confira a nota emitida pela Prefeitura de Santa Maria do Cambucá:

"Nota de pesar, 
Com muita tristeza que a Prefeitura Municipal de Santa Maria do Cambucá, através da Secretaria  Municipal de Saúde registra, na data de hoje, (17/05/2020) o primeiro óbito de paciente portador de  Covid-19. Trata-se de de um paciente sexo masculino, 83 anos, residente no Sítio Capoeiras o mesmo  encontrava-se internado para tratamento oncológico no Hospital Santo Amaro ( Hospital do Câncer).

Nossos Sentimentos de Todos que Fazem a Prefeitura Municipal de Santa Maria do Cambucá e Secretaria Municipal de Saúde."

Com informações da TV CAMBUCÁ / Redação (Blog Negócios & Informes) 

COVID-19: CDL realiza reunião online sobre situação econômica do comércio de Surubim

Imagem: Divulgação/Reprodução 
A Câmara de Dirigentes Lojistas de Surubim, realiza nesta terça-feira (19), a partir de 15h, reunião online abordando a situação econômica do comércio local, esclarecimentos de dúvidas e repassar solicitações dos comerciantes aos órgãos competentes. 

Estarão participando representantes da Prefeitura, Polícia Militar, Ministério Público, PROCON e CDL. A reunião será transmitida através do APP ZOOM e a quantidade de participantes será limitada. 

Caso o (a) empresário (a), queira deixar sua dúvida, ou participar, envie sua mensagem para o número (81) 9 9236.3897.

Da ASCOM CDL Surubim

Acompanhe-nos no Facebook


Publicidade


!

!
!
!

!

!

!

!

!

!

!

!

!
!
!
! !
!

!

!
! !

Você é o Visitante:

Acessos em Tempo Real

Previsão do Tempo em Surubim

Blogs e Sites Parceiros

Curta Nossa FanPage - Muito Obrigado!

Internautas On Line

(81) 9925.8297 // negocioseinformes@gmail.com