© 2014 - Todos os Direitos Reservados ao Blog Negócios e Informes. Tecnologia do Blogger.

quarta-feira, 2 de junho de 2021

Agropecuária, indústria e serviços puxam crescimento do PIB

As taxas positivas na agropecuária (5,7%), indústria (0,7%) e serviços (0,4%) puxaram o crescimento de 1,2% do PIB brasileiro no primeiro trimestre de 2021, em relação ao último trimestre de 2020, de acordo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No entanto, no acumulado dos últimos quatro trimestres, os desempenhos são mais modestos, com agropecuária crescendo (2,3%), e indústria (-2,7%) e serviços (-4,5%), caindo.


Nos serviços, que contribuem com 73% do PIB, houve resultados positivos em transporte, armazenagem e correio (3,6%), intermediação financeira e seguros (1,7%), informação e comunicação (1,4%), comércio (1,2%) e atividades imobiliárias (1,0%). Somente o segmento outros serviços ficou estável (0,1%), informou o órgão.


“A única variação negativa (em outros serviços) foi a da administração, saúde e educação pública (-0,6%). Estão ocorrendo muitas aposentadorias, sem novos concursos para repor as vagas. Isso afeta a contribuição da atividade para o valor adicionado”, explicou Rebeca Palis, coordenadora de Contas Nacionais do IBGE.


Em relação ao primeiro trimestre de 2020, os serviços tiveram queda de 0,8%, com baixa significativa em outras atividades de serviços (-7,3%) — influenciada pelo declínio de serviços presenciais, devido às restrições impostas pela pandemia.


O setor, por sinal, foi o único a apresentar queda em relação aos primeiros três meses de 2020, já que a indústria (3%) e a agropecuária (5,2%) mostraram recuperação. Na agropecuária, a alta foi puxada pela melhora na produtividade e no desempenho de alguns produtos, sobretudo, a soja, que tem grande peso na lavoura brasileira.


Gabriel Nunes, diretor geral da TNS Nano, que desenvolve soluções em nanotecnologia, com forte atuação no agronegócio, prevê que o desempenho do setor vai ser ainda melhor daqui para a frente. “O agronegócio aproveitou o câmbio favorável para exportar e ampliar as vendas para outros mercados. Agora, com a demanda consolidada e a expectativa de safra recorde, a diversificação dos mercados vai manter o setor aquecido”, assinalou Nunes.


No caso da indústria, somente a de transformação teve resultado negativo (-0,5%), no primeiro trimestre, no confronto com o último trimestre de 2020. Nos demais, houve avanço: indústrias extrativas (3,2%), construção (2,1%) e eletricidade e gás, água, esgoto, atividades de gestão de resíduos (0,9%).


Em relação ao primeiro trimestre do ano passado, a indústria cresceu 3%, com bom desempenho da indústria de transformação (5,6%) — influenciado pela fabricação de máquinas e equipamentos e metalurgia. 


Por: Correio Braziliense / Foto: ED ALVES/CB/D.A Press

Acompanhe-nos no Facebook


Publicidade


!

!
!
!

!

!

!

!

!

!
!
!
!
!

!
! !

Você é o Visitante:

Acessos em Tempo Real

Previsão do Tempo em Surubim

Blogs e Sites Parceiros

Arquivo do blog

Curta Nossa FanPage - Muito Obrigado!

Internautas On Line

(81) 9925.8297 // negocioseinformes@gmail.com