© 2014 - Todos os Direitos Reservados ao Blog Negócios e Informes. Tecnologia do Blogger.

quarta-feira, 30 de junho de 2021

Colapso do turismo pela pandemia pode custar mais de US$ 4 trilhões à economia mundial

O colapso do turismo internacional por causa da pandemia de covid-19 pode provocar uma perda de mais de quatro trilhões de dólares à economia mundial ao longo dos anos de 2020 e 2021, afirma um relatório da Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e o Desenvolvimento (UNCTAD) publicado nesta quarta-feira.


"A nível mundial, o golpe que a covid-19 representou para o turismo internacional resultou em uma perda do PIB de mais de quatro trilhões de dólares somente nos anos de 2020 e 2021", afirma o documento da UNCTAD, apresentado em conjunto com a Organização Mundial do Turismo (OMT).


O turismo internacional e os setores que dependem dele sofreram perdas avaliadas em 2,4 trilhões de dólares em 2020 por causa do impacto direto e indireto da redução expressiva das viagens de turistas internacionais.


Uma perda similar pode acontecer em 2021, adverte o relatório. O documento explica que a recuperação do turismo dependerá em grande parte da distribuição em larga escala de vacinas contra covid-19.


"O mundo precisa de um esforço global a favor da vacinação que permitirá proteger os trabalhadores, atenuar os danos sociais e adotar decisões estratégicas a respeito do turismo", declarou Isabelle Durant, secretária-geral temporária da UNCTAD.


Os percentuais de vacinação são muito desiguais, com menos de 1% da população inoculada em alguns países e mais de de 60% em outras nações. 


As perdas relacionadas ao turismo são mais expressivas nos países em desenvolvimento.


Dos três cenários contemplados para 2021, o mais otimista no que diz respeito à redução das chegadas de turistas calcula o índice em 63% de média.


De acordo com a OMT, os especialistas do setor não acreditam na recuperação do fluxo habitual de turistas antes de 2023, "ou inclusive mais tarde", porque os principais obstáculos são as restrições de viagens, a lentidão para frear o vírus, a reduzida confiança dos viajantes e um clima econômico desfavorável. Para continuar lendo, clique AQUI! (Foto: Pexels | Anna Shvets)

Vacinação contra febre aftosa prorrogada até 16 de julho em Pernambuco

Primeira etapa da campanha segue até 16 de julho em todo o Estado com a meta de imunizar 90% do rebanho de bovinos e bubalinos


 A Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária do Estado de Pernambuco (Adagro), autarquia vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), estendeu o prazo para aquisição e aplicação da vacina contra a febre aftosa. Os produtores pernambucanos têm até 16 de julho para vacinar seu rebanho e, obrigatoriamente, declarar a vacina até 31 de julho.


"A falta de imunizantes atrasou o ritmo de vacinação não só em Pernambuco como em diversos estados brasileiros, que também estão prorrogando a campanha. Fizemos um mapeamento que constatou a ausência de vacinas nas casas agropecuárias e encaminhamos o levantamento e a solicitação de remanejamento ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)", explicou o presidente da Adagro, Paulo Roberto Lima.


A Adagro registrou mais de 70% de cobertura vacinal na reta final da campanha que tem a meta de imunizar mais de 2 milhões de animais, entre bovinos e bubalinos. “Pernambuco sempre assegura uma cobertura superior aos 90% exigidos pelo Ministério e mantém o status de área livre de aftosa com vacinação. Em tempos de pandemia, estamos contando ainda mais com a cooperação dos produtores, secretarias municipais de agricultura, as próprias prefeituras e o nosso quadro técnico para garantir a sanidade do rebanho e a manutenção desse status”, afirma Paulo Lima.


A declaração de vacinação é obrigatória e deve ser efetuada nos escritórios da Agência ou preferencialmente pela internet no portal www.adagro.pe.gov.br ou pelo celular via aplicativo nas versões IOS e Android. Para facilitar o acesso e esclarecer possíveis dúvidas relacionadas ao cadastramento do produtor e ao preenchimento do formulário de declaração, a Adagro disponibiliza um tutorial no seu portal. A agência ainda disponibiliza sua ouvidoria no 0800 081 1020 para dúvidas ou sugestões.

 

Balanço 2020: Na primeira etapa foram vacinados 1.827.41 bovinos e 9.685 búfalos, atingindo uma cobertura de 93,59% do rebanho pernambucano. Na segunda etapa, quando apenas o rebanho de 0 a 24 meses recebe uma dose de reforço, Pernambuco garantiu a imunização de 595.043 bovinos e bubalinos, alcançando percentual de 94.89% de cobertura nesta faixa etária.


Da ASCOM

Estado de PE prorroga prazo para regularizar ICMS

O governo de Pernambuco prorrogou por mais dois meses o prazo para as empresas regularizarem os débitos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) com redução de juros e multas. Adotada para amenizar os efeitos da crise da pandemia da Covid-19, a regularização era válida até 25 de junho e agora se estende até 27 de agosto deste ano, segundo o Decreto Estadual nº 50.901.


A prorrogação não alterou a data do fato gerador dos débitos determinado no decreto de março deste ano, permanecendo limitado a 31 de agosto de 2020. Assim, as empresas podem negociar a inclusão de qualquer débito de ICMS, no Programa de Recuperação de Créditos Tributários (PERC), anterior a setembro do ano passado. A regra não vale para quem optou pelo Simples Nacional.


O novo decreto manteve os percentuais de redução de multa e juros. A redução será de 90% com a quitação à vista. Quanto mais parcelas menor o desconto. Em até seis parcelas, a redução cai para 80%. Entre sete e 12 parcelas, 70%. Têm direito a 60% de redução quem escolher entre 13 e 24 parcelas; 50%, entre 25 e 36 parcelas; 40%, entre 37 e 48 parcelas; e 30%, entre 49 e 60 parcelas.


De acordo com o governo, o programa vale para débitos lançados pela Secretaria da Fazenda (Sefaz) através de Notificação de Débito, Auto de Infração, Auto de Apreensão ou Termo de Acompanhamento e Regularização; débitos não lançados e a serem regularizados espontaneamente por meio de Regularização de Débito.


A relação de débitos de ICMS que podem ser renegociados incluem ainda os inscritos ou não na Dívida Ativa do Estado; débitos de substituição tributária e aqueles referentes à venda interestadual para consumidor final e débitos alvo de denúncia-crime, desde que não exista sentença transitada em julgado. O benefício também se estende para saldos remanescentes de débitos já parcelados pelo contribuinte.


Do Diario de PE 

Nova bandeira tarifária eleva conta de luz em 8,12%, diz FGV

O reajuste na bandeira tarifária cobrada para bancar as térmicas terá um impacto médio de 8,12% na conta de luz em julho, calcula a FGV (Fundação Getúlio Vargas). A alta neste índice pressionará a inflação do mês em 0,36 ponto percentual e levar a inflação para ainda mais longe do teto da meta este ano.


O cálculo foi feito pelo economista André Braz, responsável pela elaboração dos índices de inflação medidos pela FGV, e considera o aumento de 52% na tarifa da bandeira vermelha nível 2, que passará de R$ 6,24 para R$ 9,49 por 100 kWh (quilowatt-hora).


A elevação tem por objetivo arrecadar mais recursos para enfrentar a crise hídrica, que levou o governo a acionar todo o parque térmico disponível, independente do preço de geração de energia. Além disso, sinaliza ao consumidor a necessidade de economizar eletricidade.


Com a escassez de água nos reservatórios das hidrelétricas a tendência é que o brasileiro continue pagando a bandeira vermelha durante o período seco, que vai até o início da primavera. Assim, a energia se manterá como um fator de pressão inflacionária.


Braz diz que o impacto direto na inflação pode ser temporário, já que a tendência é que a taxa seja retirada no fim do ano, quando as chuvas começarem a cair sobre os reservatórios. Mas lembra que o custo da energia tem efeito indireto sobre a inflação de outros produtos.


"Sempre que a energia aumenta, aumenta o custo de produção de vários segmentos", frisa. "Então, esses impactos não seriam tão temporários, vão ser mais persistentes e isso pode, sim, criar uma pressão inflacionária maior para esse ano."


Em maio, com a adoção da bandeira vermelha nível 2, a energia já foi o principal fator de pressão no IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), o índice oficial de inflação, que fechou o mês em 0,83% no país, após variação de 0,31% em abril.


Foi o maior resultado para maio desde 1996 (1,22%). No acumulado em 12 meses até maio, a inflação chegou a 8,06%, bem acima do teto da meta para o ano, de 5,25%.


O aumento do valor da bandeira foi decidido nesta terça-feira (29) pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). A direção da agência decidiu não seguir orientação da área técnica, que pedia reajuste de 11,5%, deixando a cobertura de parte dos custos adicionais para 2022.


Além de pesar no bolso do consumidor, a elevação dos preços da energia no país em decorrência da crise hídrica pode reduzir o espaço no teto de gastos em 2022, segundo nota informativa do Ministério da Economia divulgada nesta terça.


De acordo com análise feita pela Secretaria de Política Econômica, o atual cenário de risco hidrológico pode exigir novas elevações de preços de energia -com um efeito direto na inflação usada para calcular o reajuste de despesas previdenciárias e itens como o BPC (benefício de prestação continuada).


Nesta segunda-feira (28), o ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) fez um pronunciamento em rede nacional de TV pedindo que a população poupe energia e água para enfrentar a crise hídrica.


Por Nicola Pamplona (Folhapress) / Foto: Reprodução/Internet

terça-feira, 29 de junho de 2021

Prefeitura de Surubim inaugura Centro Especializado de Atendimento à Mulher

A Prefeitura de Surubim entregou, nesta terça-feira (29), o Centro Especializado de Atendimento à Mulher Lucila Medeiros Silva, o CEAM. O espaço é destinado ao acolhimento e atendimento humanizado às mulheres vítimas de violência.


O CEAM foi criado através da Coordenadoria da Mulher, para ser a referência de apoio à mulher vítima de violência, promovendo principalmente a sustentabilidade das mesmas e os encaminhamentos necessários para a superação da situação vivida. Para isso, elas contarão a partir de agora com uma equipe técnica especializada para proporcionar amparo e proteção a todas e ofertar serviços de atendimento social, orientação psicológica, encaminhamentos jurídicos, oficinas e cursos profissionalizantes.


Para a prefeita Ana Célia, o CEAM representa um espaço de proteção, acolhimento e desenvolvimento para a mulher surubinense. "Eu espero que, a partir do serviço prestado aqui, muitas surubinenses tenham as condições necessárias para escrever uma nova etapa de suas vidas, cheia de  dignidade e esperança. Para mim é uma imensa alegria também que esta iniciativa possa homenagear um símbolo da força, da competência e da sensibilidade da mulher surubinense, como foi a ex-vereadora Lucila Medeiros Silva”, destacou a prefeita.


Estiveram presentes no evento a prefeita Ana Célia; o vice prefeito Edigar; o deputado federal Danilo Cabral; a deputada estadual Gleide Ângelo; a secretária executiva da Mulher, Anna Elisa; o secretário executivo de Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Farias; a militante feminista Dora Pires; a delegada da mulher Sara Golveia; vereadores; secretários municipais; e representantes da família de Lucila Medeiros Silva.


O Centro fica localizado na rua Manoel Aureliano Matheus, 203 e os atendimentos serão feitos de segunda a sexta-feira das 8h às 16h. 


Da ASCOM

Câmara aprova projeto que prevê auxílio emergencial para artistas de Surubim

A Câmara de Vereadores aprova a Lei Tuca Araújo de Auxílio Emergencial aos Artistas, proposto pela Prefeitura Municipal de Surubim. O valor de R$50 mil reais será destinado e distribuído entre os artistas inscritos no Cadastro Cultural sob o decreto 027/2021 e que se enquadrem nos critérios da lei vigente. A lei seguirá para os processos administrativos necessários, após a sanção da prefeita.

Da ASCOM Surubim

IEL-PE recruta para 100 vagas de estágios em PE

Vai se candidatar? Veja algumas dicas para se sair bem na seleção de estágio


O Instituto Euvaldo Lodi (IEL-PE) recruta para 100 vagas de estágio nos níveis médio, técnico e superior. As oportunidades são para as áreas de Pedagogia, Direito, Engenharia Civil e Letras, além para Técnico em Mecânica, Administração e em Segurança do Trabalho, entre outras. Para concorrer a uma dessas vagas, o interessado deve realizar seu cadastro no ielpe.org.br e ficar atento às dicas de como se sair bem durante o recrutamento. As bolsas chegam até R$ 1 mil. 


De acordo com a analista de Carreira e psicóloga do Instituto, Natália Rodrigues, o primeiro passo é ficar por dentro das tendências do mercado de trabalho, que, na visão dela, vem mudando muito em razão da pandemia. O vídeo-currículo é um desses exemplos que vem se fortalecendo nos últimos meses.  


Gravado por meio de uma câmera, o conteúdo pode ser explorado e beneficiado para aproximar candidatos e recrutadores para vagas de empregos e estágios. O IEL-PE tem sentido o reflexo dessas demandas na rotina das seleções. “Diante do novo cenário, os processos seletivos estão sendo recriados e cada vez mais personalizados, então a potencialidade do vídeo pode auxiliar na identificação de perfis técnico e comportamental”, disse Natália.  


Esse modelo de currículo pode ser demandado para candidatos que almejam oportunidades de estágio, jovem aprendiz ou para as áreas operacional, estratégica e de gestão. O candidato deve ficar atento ao tempo de duração, que não pode passar de dois minutos, à linguagem clara e objetiva, à postura, ao local adequado, ao visual do candidato e se a apresentação está coerente com a missão, com a visão e com as políticas da empresa. 


Embora essa ferramenta seja considerada interessante para os moldes atuais, é importante lembrar que, antes de enviar à empresa pela qual sonha em trabalhar, é fundamental verificar se este é um modelo adotado pela organização. “Até para não ter o efeito inverso e gerar a desclassificação”, orientou a analista. 


Da Assessoria

Pandemia ainda provoca impactos no mercado de trabalho, diz Ipea

A melhora da atividade econômica e o crescimento da população ocupada não foram suficientes para reduzir o impacto provocado pela pandemia da covid-19 no mercado de trabalho, que segue com alta no desemprego, subocupação e desalento. A avaliação faz parte da análise do desempenho recente do mercado de trabalho e perspectivas para 2021 apresentado, hoje (28), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).


Com base nos dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), em março, o estudo mostra que a taxa de desocupação ficou em 15,1%, o que representa 2,3 pontos percentuais acima do resultado do mesmo período do ano anterior. O crescimento do contingente de desalentados também indica que o mercado de trabalho não se recuperou. Nos últimos 12 meses, o número de pessoas com idade de trabalhar que estavam fora da força de trabalho por conta do desalento avançou de 4,8 milhões para quase 6 milhões, uma alta de 25%.


Desemprego

Segundo a pesquisadora do Grupo de Conjuntura do Ipea e autora do estudo, Maria Andréia Lameiras, os níveis de desemprego ainda estão ruins porque a cada dia que passa, mais gente volta para o mercado de trabalho para procurar emprego, o que não ocorria no período inicial da pandemia.


“Muita gente deixou de procurar emprego por medo de contágio, porque sabia que a situação econômica estava muito ruim e a probabilidade de conseguir um emprego era muito pequena e porque existiu o auxílio emergencial que, bem ou mal, deu segurança ao trabalhador de ficar em casa se protegendo e ter algum meio de subsistência”, informou em entrevista à Agência Brasil.


A movimentação da economia que apresentou sinais de melhora no primeiro trimestre de 2021, o avanço da vacinação e o valor menor do auxílio emergencial, segundo Maria Andréia, estão fazendo as pessoas procurarem mais o mercado de trabalho o que vai continuar impactando o nível de desemprego.


“Todas as pessoas que ficaram desempregadas na pandemia e, também têm chegado para este contingente, as pessoas que estavam inativas e sem procurar emprego. Quando chega ao mercado de trabalho sem uma colocação é considerado um desempregado e, por isso, o contingente de desempregados continua crescendo e vai continua crescendo, porque o movimento de retorno só tende a crescer nos próximos meses”, afirmou.


Informalidade

O estudo indica ainda que a recuperação da ocupação vem ocorrendo de maneira mais intensa entre os empregados sem carteira e os trabalhadores por conta própria, que integram os segmentos informais do mercado de trabalho. O contingente de trabalhadores sem carteira e por conta própria registraram recuos menos expressivos no primeiro trimestre de 2021 com retrações de 12,1% e de 1,3% respectivamente, do que no trimestre móvel encerrado em agosto de 2020, quando os recuos foram de 25,8% e de 11,6%. Para a pesquisadora, a melhora da recuperação da ocupação pelos informais já era esperada.


“Porque primeiro foi o segmento mais afetado pela pandemia que foi o de serviços e de comércio. Segundo porque a gente já tinha visto que a pandemia causou menos estrago no setor formal. O emprego com carteira acabou sendo um pouco mais preservado durante a pandemia, porque é o trabalho com melhor qualificação, o trabalhador consegue fazer home office, então, foi de fato mais preservado. O informal foi mais atingido e é compreensível que, na retomada, acabe liderando”, comentou.


A pesquisadora destacou que, embora apresentasse sinais de recuperação no período de pré-pandemia, a situação do mercado de trabalho não era excepcional. Para continuar lendo, clique AQUI! (Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil)

Ministro pede que todos poupem água e energia e fala que período desafiador será superado

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, pediu, nesta segunda-feira (28), que a população poupe energia e água para enfrentar a crise hídrica.


"O uso consciente e responsável de água e energia reduzirá consideravelmente a pressão sobre o sistema elétrico, diminuindo também o custo da energia gerada", declarou


Albuquerque fez um pronunciamento em rede nacional de TV. O objetivo foi tentar afastar os rumores de que pode haver apagão ou racionamento de energia neste ano devido ao agravamento da crise hídrica que deixou os reservatórios das hidrelétricas em seu pior nível em 91 anos.


"Esse quadro provocou a natural preocupação de muitos brasileiros com a possibilidade de racionamento de energia, como aconteceu em 2001", afirmou o ministro.


Para enfrentar a crise atual, disse, o governo vem atuando desde 2020. Nesse sentido, já autorizou o uso de todo o parque térmico disponível, independente do preço da energia, e anunciou a possibilidade de contratação de usinas hoje sem contrato e de importações.


No entanto, o ministro não informou claramente se o risco de apagão ou racionamento está totalmente afastado. "É com serenidade, portanto, que tranquilizamos a todos. Estamos certos de que, juntos, superaremos esse período desafiador e transitório", discursou.


Nesta segunda, o ministério editou medida provisória que dá poderes a um comitê responsável pela gestão da crise energético, incluindo gerir a vazão dos reservatórios e realizar leilões para a contratação de energia emergencial.


A medida era defendida por especialistas, que veem necessidade de um comando com autonomia para propor e executar medidas. Segundo o ministro, o objetivo da MP é " fortalecer a governança do processo decisório neste momento de crise hídrica".


Além disso, Albuquerque citou que está elaborando, junto com representantes da indústria, um programa para incentivar que as empresas mudem o horário de consumo para períodos de menor demanda de energia. A medida seria voluntária e quer evitar que a produção e crescimento econômico sejam afetados.


"Essas medidas são essenciais, mas, para aumentar nossa segurança energética, é fundamental que, além dos setores do comércio, de serviços e da indústria, a sociedade brasileira, todo cidadão-consumidor, participe desse esforço, evitando desperdícios no consumo de energia elétrica, com isso, conseguiremos minimizar os impactos no dia a dia da população", disse Albuquerque.


O ministro reforçou que o sistema elétrico brasileiro evoluiu nos últimos anos. "Reduzimos nossa dependência das usinas hidrelétricas de 85% para 61%, com a expansão das usinas de fontes limpas e renováveis, como eólica, solar e biomassa, além de termelétricas a gás natural e nucleares", afirmou.


"Hoje temos um setor elétrico robusto, que nos traz garantia do fornecimento de energia elétrica aos brasileiros", completou o ministro.


Por Thiago Resende e Nicola Pamplona/Folhapress / Foto: Ministerio de Minas e Energia

Presidente do BC prevê crescimento no segundo semestre com vacinação

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, disse hoje (25) que, apesar das incertezas decorrentes da pandemia de Covid-19, o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país) do país deverá continuar a crescer no segundo semestre do ano. Segundo ele, com o avanço da vacinação contra a doença, o Brasil deverá seguir o mesmo caminho de países onde a imunização já é massiva.


“O que gente está vendo em alguns países onde a vacinação foi efetiva é que o número de óbitos caiu barbaramente, e as pessoas estão voltando a viver uma vida muito próxima da normalidade. Então, nós entendemos que isso é um processo que vai acontecer [aqui], uma vez que o Brasil está acelerando na vacinação de forma considerável agora”, disse, em evento virtual da Federação Brasileira de Bancos (Febraban). 


Em relatório divulgado ontem, o BC aumentou a projeção para o crescimento da economia do país em 2021. A estimativa para a expansão do PIB passou de 3,6% para 4,6%. Segundo o órgão, apesar da intensidade da segunda onda da pandemia de Covid-19, os indicadores recentes da atividade econômica interna continuam mostrando evolução mais positiva do que o esperado.


A despeito do aumento da projeção, o presidente do BC ressalvou que o processo de crescimento ainda não pode ser previsto com exatidão. “Existe muita incerteza em relação ao segundo semestre, nós entendemos que o avanço da vacinação e essa reabertura vai ser um processo contínuo, entendendo que, obviamente, existe um elemento de incerteza em relação a essa reabertura, em como esse processo vai se dar”, acrescentou Campos Neto. 


Por: Agência Brasil / Foto: Eduardo Valente/AFP

Pesquisa do Sebrae aponta que pequenos negócios têm maior taxa de mortalidade

O setor de microempreendedores individuais (MEI) é o que apresenta a maior taxa de mortalidade de negócios em até cinco anos, segundo pesquisa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).


De acordo com a pesquisa Sobrevivência de Empresas (2020), realizada com base em dados da Receita Federal e com levantamento de campo, a taxa de mortalidade dessa área de negócios é de 29%. Já as microempresas têm taxa, após cinco anos, de 21,6% e as de pequeno porte, de 17%.


O presidente do Sebrae, Carlos Melles, disse à Agência Brasil que a menor taxa de sobrevivência entre os pequenos negócios está relacionada à capacidade de gestão, à maior experiência e ao conhecimento do ramo. "Quando avaliamos a realidade da maioria dos MEI, a pesquisa mostra que, nesse segmento, há maior proporção de pessoas que estavam desempregadas antes de abrir o próprio negócio e que, por isso, não tiveram condições de se capacitar adequadamente e aprimorar a gestão".


Somado a esse fato, a taxa de mortalidade na área de MEI também é influenciada pela maior facilidade de abrir e fechar esse tipo de empreendimento, quando comparado aos segmentos de microempresas e empresas de pequeno porte.


Dificuldades na pandemia

Melles destacou as dificuldades adicionais que a pandemia trouxe nesse cenário desfavorável às MEI. “Entre os pequenos negócios, os microempreendedores individuais foram os que mais amargaram prejuízos no faturamento. Não temos dúvida de que a pandemia de covid-19 intensificou as dificuldades e impôs outros desafios. Quando observamos o aspecto da gestão financeira, por exemplo, a situação ficou ainda mais complexa. As finanças são um desafio para a maioria dos MEI e no cenário de incertezas da pandemia, isso se tornou um grande problema”, afirmou.


De acordo com o Sebrae, quanto menor o porte da empresa, mais difícil obter crédito para manter o capital de giro e conseguir superar obstáculos como os causados pela pandemia de covid-19. Mais de 40% dos entrevistados citaram como causa do encerramento da empresa a pandemia. Para 22%, a falta de capital de giro foi primordial para o fechamento do negócio. A pesquisa também detectou que 20% dos antigos empresários reclamaram do baixo volume de vendas e da falta de clientes.


Entre as empresas que encerraram as atividades, cerca de 34% dos entrevistados acreditam que ter acesso a crédito poderia ter evitado o fechamento. Ainda segundo o levantamento, apenas 7% desse grupo de empresas solicitaram crédito bancário e obtiveram êxito.


Segmentos

Ao analisar a sobrevivência por setor, o levantamento mostrou que a maior taxa de mortalidade é verificada no comércio, onde 30,2% fecham as portas em cinco anos. Na sequência, aparecem indústria de transformação (com 27,3%) e serviços, com 26,6%. As menores taxas de mortalidade estão na indústria extrativa (14,3%) e na agropecuária (18%).


Minas Gerais é o estado com a maior taxa de mortalidade, 30%. O Distrito Federal, Rondônia, o Rio Grande do Sul e Santa Catarina apresentaram índice de 29%. O Amazonas e Piauí foram os que apresentaram as menores taxas de mortalidade (22%), seguidos pelo Amapá, Maranhão e Rio de Janeiro (23%).


Sobrevivência

A adesão ao comércio eletrônico é parte da estratégia de sobrevivência em meio à pandemia. A pesquisa de Impacto da Pandemia nos pequenos negócios, realizada pelo Sebrae em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV) mostra que 70% dos pequenos negócios já comercializam produtos pela internet.


“O empreendedor deve sempre buscar a inovação e a capacitação. Preparar a entrada no mundo dos negócios é o primeiro passo para ter sucesso com uma empresa”, destacou Melles.


Da Agência Brasil / Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

quinta-feira, 24 de junho de 2021

Prefeita garante espaço para instalação de Universidade em Surubim

A prefeita de Surubim, Ana Célia Farias (PSB), em reunião virtual realizada neste dia 22, com representantes da Comissão Pró Universidade, confirmou que a municipalidade garantirá o local necessário para a implantação do campus de uma universidade pública no Agreste Setentrional de Pernambuco.


Além da garantia do terreno e disponibilização de espaços para a instalação de cursos de ensino superior, Ana Célia disse que o município arcará com o pagamento e custeio de seguranças e serviços gerais do campus.


Serão pelo menos 19 municípios beneficiados diretamente que contam com uma população superior a 530 mil pessoas. Quanto aos alunos, somente de Surubim, cerca de 800 diariamente se deslocam em ônibus para regiões como  a Mata Norte, Mata Sul e Agreste Central para frequentarem cursos universitários, expondo suas vidas e comprometendo a qualidade do aprendizado.


A microrregião do Agreste Setentrional é a única em todo o estado de Pernambuco onde não existe sequer uma instituição de ensino presencial pública, quer seja universidade estadual, universidade federal ou um instituto federal.


Isso está sendo compreendido como uma discriminação inadmissível no direito ao ensino superior público pelos moradores da região. Eles sentem-se desconfortáveis por terem sido excluídos do processo de interiorização do ensino superior, mesmo tendo contribuído no cenário político com secretários de educação estadual, deputados estaduais, federais e até com senador da República.


A prefeita Ana Célia, acompanhada pelo seu vice Edigar Leal, assegurou que essa página ficará no passado. Surubim escreverá uma nova história na região a partir de unidades de ensino universitário público e presencial em seu município.


Pela parte da Comissão Pró Universidade participaram da reunião o seu presidente Antônio Barros, o iniciador do movimento, Ir. Gerson, os professores universitários Luciano e Horasa Andrade, a professora Lúcia Farias e o editor deste jornal, Fernando Guerra.


Do Correio do Agreste / (Foto: Divulgação/ Reprodução)

quarta-feira, 23 de junho de 2021

Prefeitura de Surubim lança revisão do Plano Diretor do município

A Prefeitura de Surubim realizou hoje, de forma online, o fórum de lançamento da revisão do Plano Diretor do município, importante ferramenta de desenvolvimento e de planejamento utilizada para direcionar o crescimento dos municípios. A prefeita Ana Célia, a Gênesis Consultoria, o Consórcio Público Intermunicipal do Agreste Pernambucano (CONIAPE), e representantes do Poder Judiciário, do Poder Legislativo e da sociedade civil participaram do evento. 


Na ocasião, a Gênesis Consultoria explicou todas as etapas e o cronograma de ações da Revisão do Plano Diretor, que serão executadas e acompanhadas por um núcleo gestor da Prefeitura para garantir um processo responsável e eficiente. 


Serão realizadas oficinas e seminários temáticos, sempre divulgando o processo de trabalho com a participação popular e planejamento, para fazer de Surubim uma cidade cada vez melhor de se viver, com qualidade de vida e justiça social. 


“Para que Surubim possa aproveitar o ciclo de desenvolvimento que nós esperamos nos próximos anos, é preciso estar preparada para garantir que isso seja feito com sustentabilidade, mobilidade, planejamento e melhoria da qualidade de vida da população. E o Plano Diretor é que vai dar o norte deste desenvolvimento sustentável a todas as ações e intervenções praticadas na cidade”, explicou a prefeita Ana, ressaltando que o crescimento do município deve estar sempre ligado ao cuidado com a população.


Da ASCOM

Sem São João, economia de Pernambuco deve registrar perda milionária

Palco de um dos maiores festejos juninos do país, Pernambuco enfrentará mais um ano de prejuízo econômico por causa do cancelamento do São João. Com o impedimento da realização da festa em decorrência da pandemia da Covid-19, o estado deixará de movimentar cerca de R$ 434 milhões. O cálculo foi realizado com base no montante que circulou em Pernambuco em 2019, último ano das comemorações antes da crise sanitária.


Naquele ano, mais de 513 mil turistas circularam por diversas cidades do estado que possuem tradição no festejo junino, como Gravatá, Arcoverde e Petrolina. Em 2019, pequenos, médios e grandes empresários chegaram a celebrar um aumento de 25% no faturamento em relação a 2018. 


Em Caruaru, a expectativa para o período é negativa. Sem a festa, a estimativa é de que o prejuízo seja de R$ 200 milhões, de acordo com a prefeitura. “Perdemos a data de Santo Antônio e Dia dos Namorados com o fechamento do comércio em todas as cidades da região. Também não tivemos as festas do Pátio do Forró e as comemorações tradicionais como a queima da fogueira estão proibidas. É uma queda das vendas muito grande que não tem como recuperar”, explicou o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Caruaru, Adjar Soares.


Adjar destaca que o baixo movimento de turistas impacta o desempenho do setor. “Caruaru é um polo que atende mais de 50 cidades, mas como também não tá havendo festividade nos outros municípios, a queda do movimento é enorme e impacta muito”, avaliou. Apesar da provável retração nas vendas, ele observa que neste ano o impacto deverá ser menor do que em 2020. “Ainda não temos como computar o número das vendas, mas no ano passado passamos a mesma situação só que ficamos fechados o mês todo. Agora, as lojas estão abertas desde o dia 15, então deve ser melhor do que o ano passado”.


Para os empreendedores que dependem do São João ou registram alta das vendas durante o período, a internet tem sido uma alternativa para turbinar as vendas e diminuir o prejuízo. “As lojas  estão fazendo promoções e se dedicando mais às vendas online pelo Whatsapp, por exemplo. Com as restrições, aumentam esse movimento nas redes sociais”, avaliou o presidente da CDL Caruaru.


O economista Horácio Forte, da Fundação Dom Cabral, explica a importância de criar um ambiente junino no mercado, mesmo que não seja possível a realização das festas. “Os hábitos e as tradições merecem ser mantidos. É importante fomentar campanhas mercadológicas que sigam o calendário festivo. Dá pra ir de junho até agosto, por exemplo, mês em que é comemorado o Dia do São Caetano. Ou seja, em vez de 30 dias, trabalhe o tema em 90”, sugeriu. 


Gerente de marketing do Caruaru Shopping, Wallace Carvalho comenta que parte dos consumidores se preparou e optou por adiantar as compras. “As ferramentas online foram muito bem aceitas e o nível de compras cresceu 36%, incluindo itens de São João. Nós observamos que uma parte dos clientes se preparou e comprou com antecedência”. 


No entanto, como as vendas online não costumam demandar a presença de vendedores, a cidade também deve sofrer com a diminuição de contratações temporárias. De acordo com dados da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), antes da pandemia, cerca de 12 mil postos de trabalho diretos e indiretos eram criados em Caruaru. “Alguns lojistas que contratavam 15% a mais de pessoal para trabalhar nesse período, acabou contratando cerca de 3%, já que está sendo suprida por funcionários fixos”, observou Wallace.


Apesar da diminuição drástica no número de turistas, a esperança é de que a população local vá às compras e aqueça a economia da cidade. “Esperamos um aumento de 8% em comparação com 2019, último ano antes da pandemia. Especialmente por conta da demanda represada nesse mês”, concluiu o gerente.


Com a vacinação da população, há chances de que o São João volte a ser realizado de forma tradicional no próximo ano. Para o economista, no entanto, o processo de recuperação financeira só deve acontecer em dois ou três anos. “Acredito que o retorno econômico para esse segmento será em ‘U’, e não em ‘V’. Isso significa que será um processo mais lento, porém constante e progressivo”, concluiu.


Já para o presidente da CDL Caruaru, a expectativa é que o volume de vendas se recupere ainda este ano. “Se imaginarmos que em setembro toda população adulta já tenha tomado pelo menos uma dose da vacina, a expectativa é que 2021 seja um ano muito bom. Esperamos um grande movimento no final de ano em datas como o Dia das Crianças e o Natal. Para o São João do ano que vem, se tudo der certo, o cenário deverá estar muito melhor”, afirmou. 


Do Diario de PE / Foto: (Samuel Calado/Arquivo DP)

terça-feira, 22 de junho de 2021

Centro de Convenções de Caruaru volta a funcionar

Novo decreto do Estado libera realização de eventos corporativos


O Centro de Convenções Empresário Djalma Farias Cintra, localizado nas dependências do Senac, em Caruaru, já está realizando agendamentos para eventos corporativos. Como o Agreste avançou no Plano de Convivência com a Covid-19, houve flexibilização das atividades econômicas e sociais e, a partir de 21 de junho, estão liberados eventos corporativos com até 50 pessoas ou 30% da capacidade do local. Os interessados em realizar eventos em um dos espaços do Centro de Convenções devem entrar em contato nos números (81) 3727-8265/8266 ou (81) 98493-1607, no horário das 8h às 17h.


Todos os cuidados estão sendo adotados no Centro de Convenções para que os participantes estejam seguros durante a realização dos eventos. “Estamos seguindo todos os protocolos exigidos: distanciamento social, uso de máscara, álcool gel, aferição de temperatura, higienização frequente, tudo para garantir a segurança de todos os usuários”, explicou a assessora técnica Silvia Suzarte, gestora do espaço.


Estrutura - O Centro de Convenções tem mais de 4 mil m², compostos por auditório principal com capacidade total de 644 pessoas, dois miniauditórios com capacidade para até 100 pessoas, um miniauditório com capacidade para até 250 pessoas, foyer, salão de eventos para até 300 pessoas, sala VIP, além de estacionamento. Os auditórios são equipados com sistema de sonorização, microfones, projetor, telão e internet, ou seja, a infraestrutura completa para realização de eventos de pequeno, médio e grande porte.



Obedecendo aos critérios estabelecidos pelo governo, a capacidade dos ambientes estará reduzida. Para os auditórios de 100 lugares, só poderão atender até 30 pessoas; para o auditório de 250 pessoas, o limite será até 50 pessoas; e, para o teatro, a capacidade será de até 100 pessoas. Ainda seguindo as orientações do decreto, o horário de funcionamento será de segunda à sexta das 8h às 22h, sábados, domingos e feriado das 8h às 21h.


Da ASCOM

segunda-feira, 21 de junho de 2021

24 de junho não é feriado em Surubim, comércio funciona normalmente

Anualmente diversos surubinenses questionam sobre o dia de São João, 24 de junho, se é feriado ou não. Em Surubim, de acordo com a lei municipal N.° 499/2014, que dispõe dos feriados, 24 de junho não consta na lista, portanto, não é feriado na capital da vaquejada. 

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Surubim) divulgou uma nota sobre o funcionamento do comércio de Surubim, confira:

Comunicado CDL: 24 de junho não é feriado em Surubim, comércio será aberto normalmente

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL Surubim) informa a todos os associados e comunidade em geral que, quinta-feira (24), a entidade
terá expediente normal. Reforça ainda que, 24 de Junho de 2021 não é feriado municipal, o comércio será aberto normalmente, seguindo rigorosamente o protocolo definido pelo Plano Municipal de Convivência da COVID- 19.

Bom Jardim se despede do compositor Bráulio de Castro

Faleceu na manhã deste domingo (20), aos 78 anos, em Recife, o compositor bonjardinense Bráulio de Castro. Ele estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), desde a quinta-feira (17). Segundo familiares, antes da internação, Bráulio já enfrentava problemas de saúde, sobretudo cardíacos. O atestado de óbito aponta como causa da morte insuficiência respiratória aguda, síndrome gripal e suspeita de Covid-19.


Por causa da possível contaminação com o novo coronavírus, não houve velório. O corpo foi sepultado na tarde de hoje no Cemitério de Bom Jardim, após uma carreata que teve início, na entrada da cidade, em frente ao Ginásio de Esportes, Edson Coutinho. Antes de chegar ao campo santo, o cortejo parou em frente ao Grêmio Lítero Musical Bonjardinense, onde o compositor recebeu homenagens.


Braúlio José Gomes de Castro nasceu em 18 de agosto de 1942 e dedicou mais de 60 anos à música. Ele compôs frevos, forrós, sambas e teve várias de suas canções gravadas por artistas de renome nacional, como Alcione (Desafio), Jair Rodrigues (Porta é pra bater), Genival Lacerda (O rádio, O disco, Rock do Jegue e O gravador), Benito de Paula (Bendito Seja) e Petrúcio Amorim, na parceria do grande sucesso “Eu sou o forró”.


Doddó Félix, colunista deste Correio do Agreste, era um dos grandes amigos de Bráulio, e por diversas vezes hospedou o compositor em sua residência, quando ele visitava a terra natal. Há alguns anos, Doddó escreveu um soneto em homenagem ao conterrâneo, publicado com um texto do jornalista e autor do blog “Musicaria”, Bruno Negromonte, escrito quando Braúlio completou 75 anos. “As músicas que Bráulio compartilha com a sensibilidade de nós todos, só aplausos merecem, nunca apodos, pois do seu estro só sai maravilha!” diz um trecho do poema. 


Braúlio de Castro era casado com a também compositora Fátima de Castro e deixa dois filhos, Estela e Márcio. O prefeito de Bom Jardim, João Francisco da Silva Neto (PL), divulgou nota de pesar e decretou luto oficial de três dias no município.


Do Correio do Agreste / (Foto: Reprodução/ Divulgação)

Medidas restritivas em Pernambuco são flexibilizadas a partir desta segunda (21)

A partir desta segunda-feira (21), entra em vigor em Pernambuco o decreto que estabelece uma nova fase do plano de convivência com a Covid-19. A etapa prevê a flexibilização de atividades sociais e comerciais para as macrorregiões de saúde 1, 2 e 4, que englobam a Região Metropolitana do Recife (RMR), Zona da Mata, Agreste e parte do Sertão. 


A partir desta segunda-feira (21) o funcionamento de boa parte dos setores poderá se estender até às 22h durante a semana e até às 21h nos fins de semana e feriados, até o dia 4 de julho. Já a macrorregião de saúde 3, que engloba as Gerências Regionais de Saúde com sedes em Arcoverde, Afogados da Ingazeira e Serra Talhada, seguirá um esquema diferenciado. Na região, a partir desta segunda, até o dia 27, as demais atividades poderão funcionar até às 18h, tanto nos dias de semana como aos sábados e domingos.


A secretária executiva de Desenvolvimento Econômico do Estado, Ana Paula Vilaça, detalhou o funcionamento de alguns serviços com esquema diferenciado. “As academias terão de fechar às 22h durante a semana, e às 18h nos finais de semana. Além disso, museus, teatros e cinemas poderão voltar a funcionar, com limite de 30% da capacidade. Já os eventos corporativos poderão ser realizados com até 50 pessoas”, informou. Caberá às prefeituras decidir como funcionará e será fiscalizado o comércio de praia. 


Do Diario de PE / Foto: Tarciso Augusto/ Esp DP

sábado, 19 de junho de 2021

Atenção: cuidado com as fraudes no PIX

Um número parecido ao da instituição bancária em que a veterinária Fernanda Nicoletti é cliente, ligou para ela. Ao atender, um suposto funcionário do banco disse que reconheceu uma tentativa de acesso suspeito na conta de Fernanda e por isso ela teria que bloquear a conta em algum caixa eletrônico. Nervosa, com medo de invadirem a sua conta e retirarem dinheiro, Fernanda foi a um caixa eletrônico e, assim que chegou, recebeu orientações do suposto funcionário. Ele pedia para ela acessar a conta e clicar na opção de autorizar a verificação de celular. Em seguida, ele pediu para ela fazer a leitura do QR Code com o celular dela.


Como o QR Code não foi lido pelo celular de Fernanda, o suposto funcionário ligou para ela por chamada de vídeo. Depois desse momento, Fernanda não sabe como ele conseguiu acessar a conta dela. Ela relatou que ele deve ter lido o QR Code pelo celular dele através da tela do caixa mostrada no vídeo. Em seguida, ele pediu para ela digitar um código na tela do caixa. Foi assim que um golpe foi aplicado. O golpista fez um pagamento de R$ 1.078 com o dinheiro de Fernanda.


“Na ligação, ele disse que precisaria ser rápido porque havia uma tentativa de acesso à minha conta. É impressionante, eles tinham todos os meus dados. Eu percebi que era um golpe apenas no caminho de volta para casa porque eu recebi um SMS do meu próprio banco dizendo que eu tinha alterado o número do meu celular. Sinceramente, eu fiquei muito nervosa e acabei caindo”, contou Fernanda.


Uma outra pessoa, que preferiu não se identificar, quase repassava valor para um golpista. O celular do tio dele foi clonado e ele não sabia. Foi quando o golpista, que teve acesso ao WhatsApp do tio, entrou em contato e pediu dinheiro com urgência via PIX. O fraudador disse que depois pagaria o valor. “Percebi que era um golpe porque decidi ligar para minha mãe e para minhas irmãs e elas acharam estranho porque não era típico do meu tio fazer esse tipo de pedido”, relatou a pessoa.


Esse sistema de transferências rápidas, pagamentos instantâneos e sem custo chegou para facilitar a rotina dos consumidores no Brasil. Há pouco mais de seis meses, em novembro de 2020, chegava o PIX, serviço do Banco Central (BC) que conquistou muitas pessoas pela sua praticidade. Por outro lado, houve aparecimento de golpes que utilizam a ferramenta para que as vítimas façam transferências imediatas. Seja através de links enviados por e-mails, SMS, redes sociais, sobretudo pelo WhatsApp, ou até mesmo ligações, os golpistas conseguem as senhas das pessoas ou se passam por ela para aplicar golpes em outras vítimas.


Com a pandemia da Covid-19 e a necessidade de manter o isolamento social, as transações digitais garantem praticidade aos consumidores. Nesse contexto, criminosos se aproveitam do maior tempo on-line das pessoas e da rapidez possível pelo PIX para conseguir o dinheiro cada vez mais rápido. Por isso, é preciso ficar bastante atento. Segundo especialista, ao longo dos últimos seis meses, houve um aumento de 60% nos golpes aplicados relativos ao PIX.


“Muitas fraudes estão sendo aplicadas. O aumento do número de usuários no PIX, aumenta o número de golpes via esse sistema. Hoje, são cerca de 100 milhões de Pessoas Físicas cadastradas no PIX. O que chama atenção dos golpistas, sobretudo, são pessoas com pouca experiência digital. Temos vários tipos de golpes aplicados que utilizam o PIX, por falsas centrais de telefonia, falsos e-mails e outros falsos caminhos”, alertou Afonso Morais, sócio-fundador da Morais Advogados, especializado em direito bancário e recuperação de crédito.


A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) já relatou que os bancos estão usando toda a expertise com todos os sistemas de pagamentos para o PIX. Para isso, contam com as melhores tecnologias e o que há de mais moderno em relação à segurança cibernética e prevenção a fraudes.




É possível tomar conhecimento de alguns tipos de golpes aplicados (ver infográfico). Para prevenir situações em que golpistas se aproveitam de falhas ou desatenção das vítimas, especialistas relatam algumas dicas importantes.  


“As pessoas sempre devem suspeitar de mensagens pedindo dinheiro, principalmente quando são urgentes. Antes de qualquer ação, busque ter certeza se está falando realmente com alguém que você conhece. Pode ligar para a pessoa ou familiares para checar a informação”, disse Morais.  


Algo simples, mas que também pode passar despercebido é a confirmação dos dados para quem deseja enviar o valor. “É essencial ter certeza da razão social (nome da pessoa) quando digitar a chave do PIX. Se tiver dúvida, liga para a pessoa e pede o nome dela antes de confirmar a transferência”, indicou Paulo Alencar, economista e professor do Centro Universitário Tiradentes (Unit-PE).  


É importante ressaltar que os dados confidenciais do cliente jamais são solicitados ativamente pelas instituições financeiras, tampouco funcionários de bancos ligam para clientes para fazer testes com o PIX. Além disso, os sistemas bancários são avançados para apresentarem “bug” que dê dinheiro às pessoas. Na dúvida, sempre deve-se procurar o banco para obter esclarecimentos.  


A Febraban informa que o cadastramento das chaves PIX deve ser feito diretamente nos canais oficiais das instituições financeiras, como o aplicativo bancário, internet banking, agências ou através de contato feito pelo cliente à central de atendimento. O consumidor não deve clicar em links recebidos por e-mails, pelo WhatsApp, redes sociais e nem por mensagens de SMS, que direcionam o usuário a um suposto cadastro da chave do PIX.  


“Se for possível, também deve evitar compras na internet via PIX porque se o site for de golpistas, o consumidor não terá a devolução do dinheiro. Outra possibilidade é limitar transferências em determinados horários que se sinta mais vulnerável, como horários noturnos, ou limitar, junto ao banco, valores de transferência”, disse Alencar.  


Outra medida para evitar golpe é habilitar, no WhatsApp, a opção "Verificação em duas etapas". Basta acessar Configurações/Ajustes, depois Conta e, em seguida, Verificação em duas etapas. Desta forma, é possível cadastrar uma senha que será solicitada periodicamente pelo aplicativo. Contudo, os golpistas já estão conseguindo vencer essa barreira. Então, de qualquer forma, é essencial deixar familiares e amigos cientes de que não vai solicitar dinheiro através desse aplicativo.  


"Como pode ver, os aproveitadores nem precisam mais clonar o WhatsApp. Por isso, outro alerta importante é sobre a necessidade de cuidado com a exposição de dados em redes sociais. Fique atento a sorteios e promoções que pedem o número de telefone do usuário. Além disso, recebendo mensagem de alguém que afirma ter mudado o número, certifique-se dessa informação", alertou Afonso Morais.


Da Folha de PE / Foto: Reprodução

Prefeitura de Surubim distribui mudas de plantas para pais de alunos da Zona Rural

Dentro das ações que comemoram a Semana do Meio Ambiente, a Prefeitura de Surubim distribuiu mudas de plantas para os pais de alunos das escolas municipais localizadas na Zona Rural. Com o objetivo de reflorestar áreas desmatadas, algumas espécies serão plantadas, como Craibeira, Ipê Rosa e Ipê Branco, Lobeira da Mata, Jacarandá, entre outras. A ação é uma parceria entre as secretarias de Educação e Cultura e de Agricultura e Infraestrutura (através da Diretoria de Meio Ambiente) do Município. 


As mudas foram adquiridas através do Centro Tecnológico do Nordeste, CETENE, SERTA, Comitê de Bacia Hidrográfica de Goiana e Jardim Botânico do Recife. Cuidar do meio ambiente é cuidar do futuro da nossa gente.


Da ASCOM Surubim

Confiança do empresário do comércio pernambucano volta a crescer

Após três meses consecutivos em queda, o índice de confiança dos empresários do comércio (ICEC), que é calculado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), voltou a subir em Pernambuco. O levantamento que detecta tendências de curto e médio prazos na atividade varejista registrou 85,6 pontos no estado em junho, contra 80,2 no mês anterior. Em comparação com o mesmo período do ano passado, a alta foi de 12,7 pontos.  


O índice consolidado (ICEC) leva em consideração três subíndices, o das condições atuais do ambiente de negócios (ICAEC), o das expectativas para a economia brasileira (IEEC) e o das intenções de investimentos das empresas (IIEC). Na comparação mensal, o maior avanço no estado foi no subíndice das expectativas para a economia, que cresceu 10,1%, seguido do subíndice sobre as condições atuais, que subiu 8,6%.

 

De acordo com a Fecomércio-PE, a melhoria nas perspectivas atual e futura para o comércio são fruto da flexibilização de medidas restritivas e aumento gradual da circulação de pessoas em função do avanço da vacinação, bem como da continuidade das medidas de auxílio emergencial às famílias e empresas. 


Em Pernambuco, a retomada parcial das atividades rendeu bom resultado ao varejo no mês de abril. A Pesquisa Mensal do Comércio (IBGE), apontou um crescimento de 10,1% no acumulado deste ano em relação ao período de janeiro a abril de 2020. Entre maio e junho, a percepção dos empresários a partir das comemorações de Dia das Mães e Dia dos Namorados também ajudaram a melhorar a expectativa de vendas para as datas especiais do segundo semestre.


Apesar da expectativa por uma melhora no cenário, os empresários continuam com uma perspectiva tímida para investimentos, com crescimento de apenas 0,6% no índice IIEC em relação a maio. Com isso, a tendência é de que decisões como a ampliação do quadro de colaboradores, aumento do estoque de produtos e melhorias em infraestrutura só sejam tomadas após a consolidação de um ambiente de negócios mais previsível e favorável.


Sobre as condições atuais da economia, 52,1% dos empresários consideram que estão muito piores em junho de 2021, comparado ao semestre anterior; em maio, esse percentual foi de 55,1%. Já o percentual dos que enxergam uma situação econômica um pouco melhor cresceu de 11,6% para 14,8%. Com relação às expectativas para o próximo semestre, 55,9% dos empresários revelaram a perspectiva de que esteja um pouco melhor em relação ao momento atual; em maio, esse percentual foi de 49,3%. O percentual dos que vislumbram uma situação um pouco melhor para o setor cresceu de 53,7% para 60,0%. 


Do Diario de PE / Foto: (Tarciso Augusto/DP)

Caixa paga 3ª parcela do auxílio emergencial para nascidos em janeiro

A Caixa iniciou ontem (18) os pagamentos da terceira parcela do auxílio emergencial 2021. Os beneficiários nascidos em janeiro serão os primeiros a receber os recursos em suas contas digitais.


Os valores podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem para pagamento de boletos, compras na internet e pelas maquininhas de estabelecimentos comerciais.


Os beneficiários também conseguem movimentar os recursos usando o Caixa Tem na Rede Lotérica.


A Caixa lembra que o calendário da terceira parcela foi antecipado. Marcado inicialmente para encerrar em 12 de agosto, com a possibilidade de saques para os nascidos em dezembro, o terceiro ciclo agora finaliza no dia 19 de julho.


Os beneficiários que recebem o crédito nesta sexta-feira, terão o saque liberado a partir do dia 1º de julho. Amanhã será a vez dos pagamentos para nascidos em fevereiro, com saque liberado a partir de 2 de julho.


Bolsa Família

O pagamento da terceira parcela do auxílio emergencial 2021 para beneficiários do Bolsa Família com final de NIS (Número de Identificação Social) 2.


O recebimento do auxílio emergencial é realizado da mesma forma e nas mesmas datas do benefício regular para quem recebe o Bolsa Família. Para quem recebe por meio da Poupança Social Digital, os recursos podem ser movimentados pelo aplicativo Caixa Tem e na rede lotérica de todo o Brasil, ou sacados por meio do Cartão Bolsa Família ou Cartão Cidadão.


O auxílio emergencial foi criado em abril do ano passado pelo governo federal para atender pessoas vulneráveis afetadas pela pandemia de covid-19. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil para mães chefes de família monoparental e, depois, estendido até 31 de dezembro de 2020 em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.


Neste ano, a nova rodada de pagamentos, durante quatro meses, prevê parcelas de R$ 150 a R$ 375, dependendo do perfil: as famílias, em geral, recebem R$ 250; a família monoparental, chefiada por uma mulher, recebe R$ 375; e pessoas que moram sozinhas recebem R$ 150.


Da Agência Brasil / Foto: (Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

sexta-feira, 18 de junho de 2021

PIB pernambucano apresenta crescimento de 13,0% no comparativo com abril de 2020

Em um cenário de recuperação, o PIB pernambucano em abril apresentou um crescimento de 13,0% em relação ao mesmo mês do ano passado com os três setores: agropecuária, indústria e serviços, apresentando resultados positivos. Já no comparativo com o mês de março deste ano, o estado obteve retração de 1,4% e o terceiro mês consecutivo de queda. No acumulado do ano, a variação foi de 4,1% e no levantamento dos 12 meses, a pesquisa apontou variação de 0,5%. Os dados foram divulgados pela Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem).


Mesmo lento, o crescimento apontado em abril deste ano comparado ao mesmo mês de 2020 é um sinal de recuperação, além de um reflexo do cenário visto no ano passado. 


“Na segunda quinzena de março do ano passado, já começaram os efeitos da pandemia no estado de Pernambuco e nós tivemos fortes impactos negativos na economia do estado com relação às atividades econômicas, principalmente no setor de serviço, de forma que, exatamente em abril do ano passado, foi o maior baque na economia. A gente pode dizer que a economia está se recuperando desse baque agora, por isso esse resultado positivo, a gente tem resultados setoriais muito bons que estiveram também acompanhando essa recuperação. A economia como um todo ela sofre impacto negativo ou positivo exatamente de acordo com o comportamento dos setores”, explica o diretor de Estudos e pesquisas da Condepe/Fidem, Maurilio Lima. 


Nos quatro comparativos apontados pela pesquisa, os setores, em sua maioria, apresentaram resultados positivos. Comparando abril com março deste ano, a agropecuária apresentou variação de 2,2%. No caso da indústria, o resultado foi negativo, com uma retração de 0,9%. Já o setor de serviços obteve um aumento de 0,7%. Na comparação com abril de 2021 e abril de 2020, todos os setores apresentaram um aumento significativo. Em um salto, a indústria teve um crescimento de 41,3%. A agropecuária obteve variação de 9,2% e o setor de serviços cresceu 7,4%. 


De janeiro a abril de 2021 e de 2020, a indústria também apareceu em destaque, com crescimento de 13,4%. Já a agropecuária, teve uma variação de 11,6% e o setor de serviços aumentou 1,4%. No acumulado de 12 meses, o setor de agropecuária apresentou um aumento de 15,5%. A indústria obteve variação de 6,0% e o setor de serviços teve retração de 1,7%. 


A aceleração da vacinação contra a Covid-19 e a atenção da população no cumprimento das medidas de isolamento social são fundamentais para que as atividades econômicas se recuperem efetivamente. “A economia para crescer como estava antes da pandemia vai ter que apresentar resultados mais fortes do que esses apresentados. Nós esperamos que ao longo dos próximos meses esses resultados de recuperação continuem sendo apresentados. A recuperação das atividades econômicas que foram mais afetadas depende do processo de vacinação e do isolamento social, são medidas duras, não são fáceis, mas são importantes para a saúde da população e para o ressurgimento das atividades econômicas”, complementa Maurilio Lima. 


Da Folha de PE /   Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil




Acompanhe-nos no Facebook


Publicidade


!

!
!
!

!

!

!

!

!

!
!
!
!
!

!
! !

Você é o Visitante:

Acessos em Tempo Real

Previsão do Tempo em Surubim

Blogs e Sites Parceiros

Arquivo do blog

Curta Nossa FanPage - Muito Obrigado!

Internautas On Line

(81) 9925.8297 // negocioseinformes@gmail.com