© 2014 - Todos os Direitos Reservados ao Blog Negócios e Informes. Tecnologia do Blogger.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Comércio eletrônico registra menor avanço desde 2001

Foto: Divulgação/Dressformer
Em 2016, o varejo eletrônico brasileiro desacelerou e registrou seu ano de menor crescimento desde 2001, quando seu faturamento começou a ser monitorado pela consultoria Ebit, companhia do Grupo Buscapé especializada em informações do segmento.

No ano passado, o setor cresceu 7,4% (sem descontar a inflação, que foi de 6,29% no período), movimentando R$ 44,4 bilhões.

Apesar de ter avançado em ano de recessão na economia, o crescimento é baixo se comparado com o dos anos anteriores (15% em 2015 e 24% em 2014). Com o resultado, o comércio eletrônico deixa o patamar de dois dígitos de expansão que vinha apresentando no decorrer dos anos.

De positivo, o setor viu aumentar em 22% o número de consumidores que fizeram ao menos uma compra pela internet, chegando ao patamar de 47,9 milhões de compradores.

O avanço foi impulsionado pelo maior acesso dos consumidores à internet via smartphone, diz Pedro Guasti, presidente da Ebit.

Em 2016, 21,5% das compras pela internet foram feitas por dispositivos móveis (celulares e tablets). Em 2015, a participação desses aparelhos era de 12,5%.

A PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, do IBGE) aponta a tendência do ganho de importância desses aparelhos no acesso à rede.

Em 2015, 92,1% dos domicílios brasileiros acessaram a internet por meio do telefone celular, enquanto em 2014 o percentual havia sido de 80,4%.

O número de pedidos ficou estável no ano passado em relação a 2015 -foram 106 milhões.

Vantagem

Guasti afirma que, apesar da desaceleração, o resultado [e positivo quando leva-se em conta o desempenho do varejo nacional, incluindo lojas físicas, que registrou queda de 6,2% em 2016.

Segundo ele, o comércio eletrônico tem vantagens sobre o físico em momentos de crises por permitir aos consumidores a comparação rápida de preços entre vários lojistas e, com isso, permitir a descoberta de preços mais atrativos.

Para este ano, Guasti espera que uma melhora da economia (incluindo estabilização da inflação e redução da taxa básica de juros para menos de 10%) possibilite a retomada de parte do ritmo de crescimento do passado, com avanço de 12%.

Metodologia

Para o estudo, a Ebit analisou dados de 5% das transações feitas em 7.000 lojas virtuais monitoradas pela companhia.

Da Folha de PE 

Acompanhe-nos no Facebook


Publicidade


!

!
!
!

!

!

!

!

!

!

!
! !
!

!
!

Você é o Visitante:

Acessos em Tempo Real

Previsão do Tempo em Surubim

Blogs e Sites Parceiros

Curta Nossa FanPage - Muito Obrigado!

Internautas On Line

(81) 9925.8297 // negocioseinformes@gmail.com